Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru, vice mundial: ouça entrevistas dos guerreiros

retranca-intercontinental(Direto do Ibirapuera) Era um misto de tristeza e resignação o semblante dos bauruenses após a vitória do Real Madrid que definiu o título dos merengues. Como Guerrinha falou, tristes pela derrota e felizes pelo desempenho. Entrevistei alguns dos personagens do Paschoalotto Bauru no final de semana e o interessante é que as falas acabam por resumir o que aconteceu. Day disse que “faltou perna”, o que evidencia a preparação complicada do time, admitida por Guerrinha na coletiva inicial do evento; Alex falou que o time tem que voltar a jogar coletivamente (eu estava atrás do banco e vi as broncas que deu em Hett pelos momentos individualistas do jogo 2); Ricardo sabe o tamanho da vitrine em que brilhou; e o camisa 30 falou de sua permanência na Sem Limites — mesmo que acompanhada de um sorriso maroto e começando a falar em espanhol… Falem, guerreiros:

GUERRINHA:

 

ROBERT DAY:

 

ALEX GARCIA:

 

RICARDO FISCHER:

 

RAFAEL HETTSHEIMEIR:

 

 

Foto: Divulgação Fiba Américas

 

Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru conquista bela vitória e abre vantagem sobre o Real Madrid no Intercontinental

retranca-intercontinentalO ginásio do Ibirapuera merecia receber muito mais gente nessa noite de sexta-feira. Mas, certamente, haverá mais no domingo, acreditando numa façanha que já foi realizada pela metade. Isso mesmo: o Paschoalotto Bauru derrotou o poderoso Real Madrid no jogo 1 da Copa Intercontinental! Milimétrico, um pontinho: 91 a 90.

Depois de vigiar o placar no primeiro tempo, o Dragão viu o adversário esticar a diferença no início do terceiro quarto, mas não se entregou e conseguiu bela reação. Difícil apontar um destaque individual, o segredo foi mesmo o conjunto, a minutagem bem distribuída. Mas Rafael Hettsheimeir sobrou, com 27 pontos (6/9 nas bolas de três) em 38 min em quadra! Seja lá onde estiver jogando daqui uma semana, sua cabeça estava no Ibirapuera e sua mão estava quente.

Bauru e Real voltam a se enfrentar no domingo, 27/set, ao meio-dia. Vale muito a pena acompanhar in loco. Pegue a Rondon, a Castello e vá. Bendito anjo da guarda que me convenceu a ficar e fugir da tempestade que me esperava na estrada. Mas, no jogo 2, o Canhota estará lá!

BOLA QUICANDO
Nada de nervosismo inicial contra os campeões europeus. Bauru propõe um jogo franco logo no início, apostando no trabalho interno de Hettsheimeir e nas bandejas de Alex, e o Real não deixa por menos, com Carroll e Ayón. As bolas de fora começam a cair, com Jefferson, Day e o Brabo; do lado merengue, Sergio Rodríguez guarda uma. Guerrinha roda bastante o elenco para manter a intensidade. Assim, o Madrid consegue abrir apenas três pontos no primeiro quarto, 19 a 22.

O segundo período começa com ótima sequência bauruense, numa parcial de 8 a 0 com Rafael Mineiro, Paulinho Boracini, bolaça de fora do Ligeirinho e um lance livre de Jefferson cobrado após falta técnica de Rodríguez. O argentino Nocioni entra pela primeira vez em quadra, os espanhóis voltam a liderar o placar e contêm o entusiasmo dos guerreiros, que só fazem mais três pontos até o final do quarto, que ficou pegado, incluindo reclamações com a arbitragem e estouro de faltas coletivas dos dois lados. O Real fecha uma parcial baixa (11 a 15) e leva vantagem para o vestiário: 30 a 37.

Mais uma na redinha. Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket
Mais uma na redinha. Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket

O jogo recomeça com o Madrid fulminante no jogo externo, com 12 pontos nos dois primeiros minutos, parcial de 12 a 2 e pela primeira vez vantagem em dois dígitos. Guerrinha pede tempo e avisa: tem que tirar a diferença na defesa e trabalhar o ataque com calma. Surte efeito: cinco pontos seguidos de Day, mais um triplo de Hett. Mas os comandados de Pablo Laso erram pouco… Léo Meindl entra bem, Gui Deodato finalmente pisa na quadra — bacana demais ver o Batman com essa camisa. Ricardo e Hett comandam a reação: diferença cai de 17 para três pontos, incluindo maravilhosa bola de três de Meindl no estouro do cronômetro. Parcial de 29 a 25 fecha o terceiro quarto em 59 a 62.

Com defesa forte e mão certeira, o Dragão segue cuspindo fogo, no ritmo de Léo Meindl e Gui. Quando o Paschoalotto finalmente vira, Thompkins recoloca os merengues no jogo, que só pareciam grogues. Alex volta à quadra, as bolas de três não param de cair com Jé e Canela, mas Rodríguez e Carroll não vacilam do outro lado. Faltando 1min, um pontinho separa as duas equipes… O Brabo desperdiça um lance livre precioso, na jogada seguinte Reyes guarda sozinho embaixo da cesta. O camisa 10 bauruense se redime em mais um ganchinho certeiro e tudo empatado a 22s do fim! O Real gasta o relógio e acha falta restando 7s… Reyes só converte um. Tempo de Guerrinha, jogada combinado e pito do Brabo: “Não muda! Faz o que ele está mandando!”. Ricardo foi para o canto que o treinador pediu e converteu linda bandeja. É a vez de Laso armar ataque, para 4s, mas desperdiça. Fração de 32 a 28 e que vitória do Dragão, fechando com um ponto na frente!

ABRE ASPAS

Entrevistas ao repórter Arthur Sales, da Auri-Verde 760AM/Jornada Esportiva:

“Foi uma grande vitória. Começamos bem e isso deu confiança para o time. A gente manteve o foco no jogo e deu tudo certo. Nosso time estava se enturmando no Paulista, contra Mogi já estávamos mais completos e tiramos boas lições desses dois jogos. Agora esse jogo acabou, temos que descansar, porque tenho certeza que eles virão mais fortes no domingo”, disse o ala Alex Garcia.

“Tenho que agradecer por estar aqui hoje. Joguei ontem contra o Pinheiros, mas cheguei aqui focado e confiante que poderia ajudar, sobretudo com a minha defesa, que é minha principal característica”, comemorou Gui Deodato.

(agora, aspas reproduzidas da transmissão do Sportv)

"O mérito é do trabalho em conjunto que fizemos. A gente conversou no intervalo que tínhamos que mudar a atitude. Conversamos dentro de quadra e conseguimos a vitória. O segredo é manter o foco no que treinamos, defender e sair com a vitória no domingo", comentou Léo Meindl, que fez partidaço.
“O mérito é do trabalho em conjunto que fizemos. A gente conversou no intervalo que tínhamos que mudar a atitude. Conversamos dentro de quadra e conseguimos a vitória. O segredo é manter o foco no que treinamos, defender e sair com a vitória no domingo”, comentou Léo Meindl, que fez partidaço. Foto: José Jiménez Tirado/Fiba Americas (foto do topo também)

“As duas equipes estão num início de temporada e é normal essa alternância no placar. Nós tivemos solidez de continuar acreditando no jogo. Não pode desistir nunca. Fomos bem na defesa, revezamos e fomos resolvendo os problemas durante a partida”, explicou o técnico Guerrinha.

“Foi emocionante finalizar o jogo! Foi um trabalho em equipe. A entrada do Gui e do Mineiro foi fundamental. Tivemos paciência e tranquilidade para trabalhar pouco a pouco, manter o jogo parelho e decidir no final”, resumiu Ricardo Fischer, o maestro da noite.

“A equipe fez um grande trabalho nesta noite, jogou com muita raça. Eles abriram 17 pontos, mas não baixamos os braços, jogamos com raça e coração. Foi um jogo perfeito, todo mundo que entrou ajudou o time. Para domingo, tem que ser outro jogo perfeito”, disse Hettsheimeir, em noite perfeita.

NUMERALHA
Hettsheimeir, Canela de ouro: 27 pontos, 3 rebotes
Léo Monstro: 15 pontos, 4 rebotes, 3 roubos de bola
Brabo: 12 pontos, 7 rebotes, 8 assistências
Ligeirinho: 12 pontos, 2 rebotes, 8 assistências
Jé Definidor: 10 pontos, 3 rebotes
Roberdei: 8 pontos, 2 rebotes
Batman: 3 pontos, 1 rebote, 1 assistência
Rafael Mineiro: 2 pontos, 3 rebotes
Magic Paulo: 2 pontos

Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru x Real Madrid: chegou a hora, interrogação

retranca-intercontinentalNesta sexta-feira, dia 25 de setembro, às 21h, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, começa a decisão da Copa Intercontinental de Clubes de basquete masculino. De um lado, o todo-poderoso Real Madrid, campeão da Euroliga. Do outro, o campeão das Américas, o Paschoalotto Bauru. Um momento único, um sonho até outro dia inimaginável diante dos olhos dos torcedores do Dragão. Antes de qualquer coisa, uma festa do esporte. A coroação de uma caminhada que recomeçou do zero há cerca de oito anos.

Como escrevi no último post, que o time se divirta, curta o momento — incluindo a agenda na pré-temporada na NBA, no início de outubro. Claro que dará seu melhor, a bola laranja vai virar um prato de comida, mas talvez o melhor não seja o suficiente para superar os espanhóis, favoritíssimos. Ainda porque o potencial dos guerreiros neste exato momento é um grande ponto de interrogação.

E aqui aproveito para raciocinar a partir do que diz o técnico Guerrinha, que criticar na derrota é oportunismo. Portanto, vamos falar antes das partidas: é interrogação porque, além dos contratempos no início da temporada (atletas na Seleção e a fatalidade com Murilo), os trabalhos começaram tarde. Murilo teve 44 dias de férias (mesmo tempo da molecada sub-22), Alex, 53, Day, 58. Ricardo e Hettsheimeir são exceção, descansaram apenas 14 dias antes de se apresentarem à Seleção. Enfim, vale considerar que a temporada 2014/2015 foi muito desgastante e que mereciam descanso, mas não dá para negar que alguns dias fizeram falta na preparação para este Mundial.

O que foi programado a partir do início dos trabalhos tem sido cumprido à risca, com a comissão técnica tentando obedecer o tempo de quadra que o preparador físico Bruno Camargo pede, com algumas exceções — Alex se excedeu em seu retorno, dia 20/ago, contra Osasco, quando sentiu dores no joelho, e Paulinho talvez tenha jogado mais minutos do que deveria no primeiro turno. Tudo isso foi feito não visando o Real Madrid, mas um fôlego extra na reta final da temporada, em 2016, com pico na Liga das Américas sem cair o ritmo até terminar o NBB 8, a grande obsessão.

Não há nada de errado nisso (priorizar o médio prazo, o NBB), apenas será fácil creditar uma possível derrota para o Real Madrid apenas à força do adversário — que chega após menos de uma semana de elenco reunido, pois as feras estavam disputando Eurobasket e Copa América por seus países.

Mas eu prefiro mesmo é que surpreendam, deem aquelas entrevistas de que superaram as desconfianças e retornem a Bauru com o troféu. E quem sabe essa aura fantástica resolva os problemas que estão por vir, a partir da iminente saída de Rafael Hettsheimeir (foto acima, com os ex-colegas merengues). Se o camisa 30 ficar, sobrecarrega o orçamento, isto é, problema do mesmo jeito.

Problema pra depois. Como disse, hora de curtir essa merecida festa construída com muito trabalho e dedicação desde 2007. Pra cima dos merengues, guerreiros. Divirtam-se!

 

Aviso importante: resolvi não me arriscar a sair de Bauru no fim da tarde desta sexta e o imprevisível trânsito paulistano não me deixar chegar no Ibirapuera. Por isso, crônica in loco do Canhota 10, apenas no jogo de domingo. Mas estarei grudado na telinha pra repercutir o jogo 1.

 

Foto: José Jimenez Tirado/Fiba Amercias

Categorias
Bauru Basket

Depois de Gui e Rafael Mineiro, pivô Ronald pode ser terceiro reforço do Paschoalotto Bauru para o Mundial

retranca-intercontinentalDepois de repatriar temporariamente Gui Deodato e anunciar Rafael Mineiro (entrevista com o pivô aqui) como reforços pontuais para o Intercontinental,, o Paschoalotto Bauru PODE anunciar um terceiro e último nome para a disputa contra o Real Madrid. Trata-se do pivô Ronald, de 23 anos, do UniCeub/BRB/Brasília.

O próprio jogador admitiu ao Canhota 10 a possibilidade. E, hoje, o jornal Correio Braziliense traz matéria sobre o assunto, incluindo aspas de Vitinho Jacob. “Houve interesse das duas partes, nosso e do time de Brasília. Estamos vendo as condições reais, a parte legal. Estamos esperando respostas de seguradoras”, disse o gestor do Dragão ao repórter Vítor de Moraes.

Ronald está na Argentina disputando amistosos de pré-temporada com o time candango e aguarda o desfecho da negociação.

REPERCUSSÃO
Blogueiros da imprensa basqueteira têm refletido sobre esse expediente de reforços pontuais — leia Fábio Balassiano, Luís Araújo e Marcius Azevedo. Uma discussão superválida. Não creio que os reforços tirariam legitimidade ou merecimento do time de Bauru, mas de fato descaracteriza um pouco — não no caso de Gui, prata-da-casa. O que mais importa, entretanto, é que esses reforços sejam acolhidos sem melindres pelos atletas. Pelo que conheço do elenco, creio que serão. Resta conferir como será na prática.

 

Foto: Luiz Pires/LNB

Categorias
Bauru Basket

Gui Deodato liberado para defender o Paschoalotto Bauru contra o Real Madrid

retranca-intercontinentalAo final da vitória de seu Rio Claro sobre Bauru, na terceira rodada do Campeonato Paulista, o ala Gui Deodato revelou ao microfone da Auri-Verde 760AM o convite que recebeu do técnico Guerrinha para defender seu ex-time no Intercontinental, contra o Real Madrid, nos próximos dias 25 e 27/set. Pois bem. A diretoria rio-clarense liberou o Batman para voltar a vestir a camisa que defendeu por sete temporadas, onde nasceu para o basquete. O convite, aliás, é um reconhecimento pela caminhada, assim como Larry Taylor foi abordado — mas Mogi não liberou.

Gui, com a camisa do atual time. Foto: Jornal Cidade (Rio Claro)
Gui, com a camisa do atual time. Foto: Matheus Pezzotti/Jornal Cidade (Rio Claro)

A pedido da Fiba, que organiza o Mundial, não haverá partidas nesse fim de semana. Sendo assim, não há conflito de datas com o playoff do estadual. Provavelmente, Gui terá poucos dias para treinar com o time. “Mesmo assim ele vai disputar com a gente, mesmo se não treinar”, garantiu Guerrinha.

Ciente de que alguma reviravolta no calendário pode frustrar essa participação, o camisa 9 está ansioso. “Espero que dê certo, que aconteça. Quero muito ajudar, de qualquer forma!”, disse ao Canhota 10.

Atualizado: o técnico Marcelo

MAIS UM REFORÇO
Conforme Jorge Guerra contou ao Locomotiva Esportiva, o Dragão vai atrás de um pivô como reforço pontual nos quatro jogos profissionais que estão chegando. “Estamos tentando acertar, independente da saída do Hettsheimeir ou não, mais um jogador de empréstimo pro Mundial e pros jogos na NBA, pra gente disputar num nível melhor”. Os bastidores começam a fervilhar e um reforço surpreendente pode surgir a qualquer momento. O C10 está apurando esse nome que ouviu, mas vai ser difícil encontrar quem fale dessa possibilidade…

 

Foto topo: Henrique Costa/Bauru Basket