Categorias
Copa do Mundo futebol Seleção

O rumo do hexa: Brasil 1, Suíça 0

É Casemiro, o autor do gol da vitória sobre a Suíça (que garantiu ao Brasil vaga antecipada nas oitavas da Copa do Mundo de 2022), a referência do time canarinho. Ou, metaforizando a partir de sua posição, volante, é quem dá o rumo. O rumo do hexa.

Não pelo gol de hoje, que apenas enriquece a história. O camisa 5 é onipresente. Está nos desarmes, nas coberturas, na construção das jogadas e… na conclusão delas. Da bola na trave da estreia ao belo tento, suas investidas têm sido cruciais como alternativa contra defesas vigilantes como a da Suíça — que impôs mais dificuldade ainda do que a Sérvia.

Foi um jogo de paciência, resolvido apenas aos 38 minutos do segundo tempo. O termo sufoco, entretanto, só cabe na percepção de que o ataque brasileiro finalizou menos do que deveria e um eventual empate poderia ser traiçoeiro para a definição do grupo G. Defensivamente, não houve susto algum. O goleiro Alisson não sujou o uniforme.

Não sofrer gols — e é difícil vazar a equipe de Tite, que teve Militão muito bem na lateral-direita — é quesito fundamental para, no mínimo, levar um mata-mata para a disputa de pênaltis. Para evitá-la, porém, é preciso balançar a rede. A apresentação desta segunda preocupou nesse sentido. Apenas nove finalizações, com Richarlison desta vez apagado, Raphinha discreto e Vini Jr., apesar de criativo mais uma vez, fominha além da conta. Neymar? Fez falta, sim.

A opção inicial de Tite por Fred, adiantando Paquetá, não funcionou. Apesar de a Sérvia ter defendido com linha de cinco, a Suíça parecia muito mais compactada e recuada (com suas duas linhas de quatro) e ofereceu pouco perigo para justificar dois volantes brasileiros. Mas o treinador não desfez a ideia no intervalo, apenas trocou Paquetá por Rodrygo, mais inventivo — como foi, de fato, com sua assistência. Já a troca seis-por-meia-dúzia de Fred por Bruno Guimarães valeu para o camisa 17 passar na frente na fila de oportunidades.

Apesar de ainda não ter garantido a primeira posição do grupo, é provável que Tite poupe boa parte da equipe contra Camarões. Afinal, as oitavas já serão 72 horas depois. Arrisco até a escalação:

Ederson; Dani Alves, Militão, Marquinhos e Alex Telles; Fabinho, Bruno Guimarães e Rodrygo; Antony, Richarlison e Vini Jr.

Manterá os mais saudáveis e fominhas. Descansará gente fundamental como Thiago Silva e Casemiro. Everton Ribeiro e Pedro ainda aguardam suas oportunidades. Talvez no segundo tempo.

A exemplo de 2002 e 2006 (quando goleou Costa Rica e Japão, respectivamente, na terceira rodada), possibilidade de um jogo divertido, cheio de gols. Ainda que protagonizado por reservas, uma oportunidade para destravar o ataque brasileiro.

 

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Jornalista e mestre em Comunicação pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *