Com Betão Alcântara, Noroeste segue firme no propósito de crescimento

Betão Alcântara - novo técnico do Noroeste

Na quarta-feira anunciamos o novo treinador. E a torcida vai gostar”, disse o vice-presidente do futebol do Noroeste, Reinaldo Mandaliti, ao ENTREVISTA 10 da última segunda-feira. Feito. O clube anunciou hoje pela manhã Betão Alcântara como novo técnico. E todos gostaram mesmo. Era sonho antigo, é um rei de acessos.

A contratação mostra que a diretoria alvirrubra segue firme no propósito de tirar o Norusca desse patamar de terceirona. Pelo segundo ano seguido, contrata o treinador atual campeão da Série A3. Betão acabou de ganhar o título pelo Atibaia, um time de torcida diminuta e que atuava em outra cidade. Que ignorou camisas pesadas como a do próprio Noroeste (nas quartas) e da Portuguesa Santista (na final), que tinha melhor campanha.

Com 56 anos, vinte de carreira, Betão poderia dar um salto, disputar a Série A2 — pelo próprio Atibaia ou pelo Rio Claro, onde foi sondado —, mas acreditou no projeto noroestino. E sua chegada, agora, a mais de seis meses da próxima temporada, indica que o trabalho para a Copa Paulista ambiciona o cenário nacional — o título dá vaga à Série D.

O homem entende de acesso: em 2015, levou o Fernandópolis da Bezinha à Série A3; em 2016, subiu o Rio Preto da terceirona para a A2; e agora esse título com o Atibaia. O negócio é depositar confiança em Betão e deixá-lo trabalhar. Isso vale para todos: diretoria, imprensa e torcida. A paciência não é hábito na comunidade alvirrubra. Que tudo dê certo dessa vez.

Confira como foi a conversa com o vice de futebol, Reinaldo Mandaliti, ao ENTREVISTA 10:

Perfil completo de Betão no site oficial do Noroeste

Foto: Eduardo Lustosa/Atibaia

Entrevista 10, edição 10: João Bidu!

Entrevista 10 - João Bidu

Antes de se tornar o astrólogo sensação do Brasil, João Bidu, ele foi um dos grandes locutores esportivos de Bauru e região. Antes de se tornar o cronista João Carlos de Almeida, ele brincou de bola com Pelé. Não preciso me alongar, dê logo o play para ouvir esse grande mestre da comunicação.

Apoio cultural ao ENTREVISTA 10

Empresas que quiserem patrocinar a atração terão espaço durante a exibição (logomarca, slogan e contato), em banner no rodapé da tela. O investimento mensal é bem convidativo e o nível da conversa promete um bom valor agregado. Os interessados devem entrar em contato pelo e-mail fernandobh@canhota10.com ou pelo telefone (14) 99115.1360 (inclusive WhatsApp).

O ENTREVISTA 10 é uma parceria do CANHOTA 10 com a TV FIB

Entrevista 10, edição 8: professor Gualberto, ídolo noroestino

Entrevista 10 - Gualberto

O prazer do reencontro: da torcida do Noroeste com um dos grandes jogadores de sua história. E do aluno com o professor. João Gualberto Pires era lateral-esquerdo do Norusca que fez história com o quinto lugar no Campeonato Paulista de 1960 — e mais tarde ajudou o clube compondo comissões técnicas. Professor no curso de Educação Física da Unesp de Bauru, foi mestre de muita gente — meu, inclusive, quando puxei disciplina para aprimorar minha formação como jornalista esportivo. Ainda hoje,  aposentado, dá sua contribuição estimulando a atividade física entre idosos. Diante disso, inúmeros torcedores e ex-alunos prestigiaram essa saborosa conversa com esse homem sábio, um educador nato, um esportista que honra o nome de Bauru. Se ainda não viu, não deixe de dar o play logo abaixo:

Apoio cultural ao ENTREVISTA 10

Empresas que quiserem patrocinar a atração terão espaço durante a exibição (logomarca, slogan e contato), em banner no rodapé da tela. O investimento mensal é bem convidativo e o nível da conversa promete um bom valor agregado. Os interessados devem entrar em contato pelo e-mail fernandobh@canhota10.com ou pelo telefone (14) 99115.1360 (inclusive WhatsApp).

O ENTREVISTA 10 é uma parceria do CANHOTA 10 com a TV FIB

A3 de novo em 2019: termina o sonho do acesso do Noroeste

Atibaia x Noroeste - Série A3

Foi um jogo franco, com os dois goleiros praticando defesas milagrosas, mas somente o Atibaia balançou as redes e venceu o Noroeste por 1 a 0, fechando esse confronto das quartas da Série A3 com duas vitórias e avançando. Já o Norusca se despede do sonho do acesso.

A diretoria alvirrubra contratou reforços de peso para esta segunda fase (principalmente o lateral-esquerdo Alex Cazumba) e proporcionou à equipe uma preparação diferenciada em Sorocaba, nesta semana decisiva. Mas, apesar de criar jogadas, terminou esse mata-mata sem fazer gols. E sofreu, aos 21 do primeiro tempo, o tento do Atibaia marcado pelo zagueiro Júnior. Confira abaixo como foi:

Entre as chances criadas pelo Noroeste, Jorge Mauá ficou cara a cara com o goleiro Cairo:

Agora, é baixar a poeira, avaliar acertos e erros e planejar a Copa Paulista. Por que não sonhar com a Série D do Brasileiro?

O Noroeste perdeu jogando com Ferreira; Pacheco, Dão, Marcelinho e Alex Cazumba; Maicon Douglas, André Rocha (Leandro Oliveira), Gindre (Rodrigo Tiuí) e Ewerton Maradona; Fernandinho e Jorge Mauá (Gabriel Esteves).

Abre aspas

Confira algumas declarações colhidas pelos repórteres Jota Augusto e Jota Martins, durante a transmissão da Jovem Pan News Bauru:

Não matamos em casa. Aqui, fizemos um bom jogo, mas não conseguimos fazer o gol e tomamos na bola parada”, lamentou o lateral-direito Pacheco.

Faltou o resultado em casa… A bola pune. Infelizmente, não conseguimos, mas esse projeto do Noroeste é muito grande. Vamos ver o que a diretoria vai querer da gente na Copa Paulista”, disse o centroavante Jorge Mauá.

Lamentamos muito. Se não tivemos a competência para fazer os gols é porque faltou alguma coisa. Fica a sensação ruim, porque tínhamos capacidade, por tudo o que o time fez. Treinamos a semana inteira para chegarmos aqui com mais qualidade. Aconteceu exatamente o que treinamos, criamos situações, mas faltou o último toque”, lamentou o técnico Alberto Félix.

O Noroeste na Série A3 é uma judiação muito grande. Um time que enche seis ônibus é grande. Tiramos um grande do caminho. Tivemos o momento de jogar como time pequeno, recuar e partir para o contra-ataque”, comentou o Betão Alcântara, treinador do Atibaia.

 

Foto no topo e imagens dos gols:  Reprodução TV FPF

Noroeste fica no zero e terá que vencer Atibaia fora de casa para avançar

Noroeste x Atibaia

Alfredão bonito, tingido de vermelho e branco, bom público (3.376 pagantes, renda de R$ 56,9 mil) e aquela noite agradável para acompanhar um belo futebol. Mas, na pegada de um jogo decisivo (a ida das quartas de final da Série A3), sobrou correria e vontade e faltou qualidade. Nessa toada, o Noroeste pouco criou e empatou em 0 a 0 com o Atibaia.

No primeiro tempo, a bola ficou mais voando de um lado para o outro do que deslizando pelo gramado. E o Norusca, com três dos quatro reforços já no time titular, tinha dificuldades em criar. Ewerton Maradona e Fernandinho deram mais velocidade ao setor ofensivo, mas faltou o encaixe de uma tabela decisiva. O outro estreante, o lateral-esquerdo Alex Cazumba, passou segurança em seu setor, mas não apoiou o ataque.

Bastaram poucos minutos do segundo tempo para a torcida pedir o meia Leandro Oliveira e o centroavante Jorge Mauá, os principais jogadores da primeira fase. O técnico Alberto Félix ouviu meio apelo aos doze minutos, colocando Mauá no lugar de Vilson. Aos 26, a outra: Oliveira substituiu o aplaudido Maradona.

Com chute diferenciado, Oliveira passou a levar perigo à área do Atibaia nas bolas alçadas, além de bom arremate de longe, aos 32min. Nos minutos finais, os visitantes passaram a pressionar — e Ferreira a trabalhar… Oliveira ainda devolveu outro chute perigoso, mas o placar terminou inalterado.

O Noroeste empatou com o Atibaia jogando com Ferreira; Pacheco, Jean Pierre, Marcelinho e Alex Cazumba; Maicon Douglas, André Rocha, Vilson (Jorge Mauá) e Ewerton Maradona (Leandro Oliveira); Gindre (Alef) e Fernandinho.

(A foto, ruim, do celular, é minha mesmo)