Categorias
Noroeste

Em mais um tropeço no Alfredão, Noroeste entra na zona da degola da Série A3

Na estreia do técnico Vitor Hugo, Noroeste é superado pelo Rio Preto e cai para o Z6

retranca-ECN-A3Se você é supersticioso, comemore. Quando o técnico Vitor Hugo foi contratado para tentar salvar o Noroeste na Série A3 de 2014, ele estreou com vitória no Alfredão (1 a 0 sobre o Novorizontino). Mas foi fogo de palha: desceu a ladeira depois e caiu para a Bezinha. Desta vez, novamente Vitão chega com a missão de salvador. Começou perdendo (2 a 0 para o Rio Preto) e, tomara, escreva uma história de ascensão a partir de agora.

É rapidinho! Clique aqui
É rapidinho! Clique aqui

Como de costume, o Norusca criou chances, mas finalizou sem competência. E novamente assistiu ao ataque adversário balançar suas redes em vacilos de posicionamento da defesa. Vitor Hugo praticamente chegou e foi para o jogo, agora tem que intensificar os trabalhos para arrumar logo a casa, pois o Alvirrubro se encontra na zona do rebaixamento, com os empacados 13 pontos e agora bem longe do G-8 (oito pontos atrás), a apenas seis rodadas do fim.

O próximo desafio do Noroeste é um confronto direto de desesperados. Visita a Inter de Limeira, dia 16/qua, às 20h.

Marcelo voltou a atuar na lateral
Marcelo voltou a atuar na lateral

TENTATIVA
Chegando em cima da hora, com desfalques e querendo dar um choque de atitude no elenco, Vitor Hugo escalou o time num 3-5-2. Mas a derrota parcial ainda no primeiro tempo (gol de Márcio, aos 36min), fez o treinador mudar de ideia no intervalo, recolocando a equipe no 4-4-2. Guilherme entrou na direita e Marcelo Santos voltou a sua antiga posição, a lateral-esquerda. Tuxa entrou para dar velocidade ao ataque, depois Vitor Visa foi chamado para atuar ao lado de Marcão. Os três, aliás, tiveram chances cara a cara com o goleiro Juliano, mas falharam. O comandante tem pouco tempo para preparar o time até o próximo jogo. Vai ter que ser na base da conversa. Principalmente para orientar os defensores. O segundo gol, de Jonatas Obina (aos 15 da etapa final) foi de dar raiva: o rapaz estava livre na pequena área quando recebeu o cruzamento.

ABRE ASPAS
Na entrevista pós-jogo, ao repórter Jota Augusto (Auri-Verde/Jornada Esportiva), Vitor Hugo usou uma palavra importantíssima para o momento: tranquilidade. “Criamos oportunidades, mas infelizmente falhamos, no desespero de querer fazer o gol de qualquer jeito. Os jogadores estavam cansados da última viagem e sentiram o desgaste nos vinte minutos finais. Agora é ter tranquilidade. Vamos trabalhar. Quarta-feira é outra guerra. Até o final vai ser isso, mas temos que acreditar nos meninos. Só com trabalho poderemos sair dessa situação”, disse o técnico, que agendou treinamento para este domingo e avisou que, na segunda, o grupo treinará em dois períodos.

Vitão conversa com o time na parada técnica: haja conversa. Fotos: Bruno Freitas/EC Noroeste
Vitão conversa com o time na parada técnica: haja conversa. Fotos: Bruno Freitas/EC Noroeste

O Noroeste perdeu mais uma jogando com Roni; Marcão Vieira, Rafael Pontoli e Victor Matheus (Tuxa); Ueslei (Vitor Visa), Rafael Olinto, Alemão, Marcelo Santos e Octávio (Guilherme); Everton e Marcão.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *