Categorias
Noroeste

Noroeste, novo elenco Copa Paulista (3): entrevistas com Thiago Junio e Alex Bacci

Parece nome de dupla sertaneja. Mas é a nova dupla de zaga do Noroeste, formada por um velho conhecido e por um bauruense. Então, está tudo em casa. Thiago Junio (sem R mesmo, é assim que ele gosta de ser chamado) atuou no Norusca na Série A-2 de 2012. Alex Bacci nasceu na Sem Limites e foi acolhido pelo time de sua cidade. Se a formação do elenco ainda é uma incógnita, diante da dificuldade financeira do Alvirrubro, pelo menos a defesa já tem boa notícia. O Canhota 10 falou com os dois reforços.

Xerife de volta
Thiago Junio fez uma boa segundona ano passado. Titular na zaga e autor de dois gols, ele se identificou com o clube. “Tenho um enorme carinho e vejo o Norusca como uma segunda casa pra mim”, diz o zagueiro, que avalia como positiva sua primeira passagem com a camisa alvirrubra. “Acredito que deixei uma boa imagem e sei que posso trazer muitas felicidades para os torcedores com minha dedicação e raça”, comenta, para em seguida elogiar a rubraiada: “É uma torcida que sabe ver futebol, por isso vem uma cobrança de bons jogos e resultados. E sei também que eles jogam e vibram com os jogadores”.

Da gema
“A reação da família com a minha contratação foi das melhores, todos estão felizes e são noroestinos. Estarão no estádio torcendo pelo Noroeste e por mim”, conta Alex Bacci, que frequentava o Alfredão quando pequeno e tem um ídolo daquela época. “Meu pai me levava, gostava muito de ver o Gilmar Fubá jogando naquela época”. O zagueiro tem contrato até novembro e tem que mostrar serviço na Copinha para continuar. “Espero fazer um ótimo campeonato junto com os meus companheiros  e representar com muita garra o Noroeste e minha cidade”, avisou. E o que esperar de  Bacci em campo? Ele resume seu estilo: “Sou um zagueiro de muita força e velocidade, jogo sempre com muita garra e vibração e também gosto de sair jogando com segurança. Sempre que tenho oportunidades no ataque, em uma bola parada, procuro fazer os gols”. Que sejam muitos.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *