Noroeste já tem time, mas falta esclarecer parceria

Depois de semanas de silêncio após a eliminação na Série A3, o Noroeste voltou a se movimentar desde a última  semana, enterrando a dúvida sobre a participação na Copa Paulista. Desembarcou em Bauru o treinador Adriano Kanaã (à direita, na foto de Bruno Freitas/ECN) e seu auxiliar, Gilmar Minelli (à esquerda), juntamente com um pacote de jogadores que haviam disputado a segunda divisão paranaense pelo Paranavaí. Pacote esse fruto da parceria de uma empresa com o Norusca.

Paralelamente, a diretoria alvirrubra manteve bons nomes do elenco remanescente (Jean Pierre, Gava, Felipe Merlo, Igor Pimenta, Diego Souza, John Egito, Chico e Pedro), além de trazer Arthur e Blade, dois destaques do Barretos, algoz noroestino na terceirona.

Sendo assim, surgem algumas interrogações. Se a base é noroestina, por que arriscar-se com um treinador desconhecido que traz consigo jogadores que, a princípio, serão reservas? A não ser que a empresa parceira vá remunerar todo o elenco. Do contrário, como Kanaã vai dar visibilidade aos atletas a ele atrelados sem parecer forçar a barra?

Preocupa também: se eventualmente a parceria não pagar salários, a bronca (mais dívidas trabalhistas…) recai sobre o clube, que assina o contrato do jogador.

Em recentes entrevistas aos colegas da 87FM/Jornada Esportiva e da Jovem Pan News, Kanaã limitou-se a falar que a parceria a princípio é para a Copa Paulista. E que trata-se de uma empresa que “tem condições de tocar e, se possível, comprar”, disse à 87. (Comprar o clube? Não ficou claro.) Esquivou-se de detalhes, até mesmo dizer o nome da empresa, e afirmou que tudo será explicado pelo clube. “Não posso falar sobre a empresa, parceria, salários… Por enquanto, só campo. O presidente é quem vai explicar em uma coletiva”, afirmou à JP News.

O que se sabe é que Kanaã é ligado a uma empresa de material esportivo (Kanaã Sports), que inclusive vestiu o Paranavaí recentemente. E o nome da parceira do Paranavaí é M10 Brasil. Lá, ele começou como gerente de futebol (e nas súmulas aparecia como auxiliar técnico) e assumiu a beira do campo na reta final (dois jogos, uma vitória e uma derrota). Na imprensa local, era chamado de “técnico-investidor”.

Aguarda-se, portanto, e ansiosamente, o pronunciamento do presidente Estevan Pegoraro. A comunidade noroestina está animada por ver a participação do clube viabilizada na Copinha, mas não basta otimismo. O fantasma Larangeira está fresco na memória. À época, este CANHOTA 10 também publicou interrogações, e deu no que deu. Que agora seja diferente, a começar pela transparência.

Procurado, o Noroeste informa que irá realizar a entrevista, mas não tem uma data definida.

Fernando Beagá

94FM, mais um veículo parceiro do Canhota 10

A imagem aí do lado é o banner que aparece no conteúdo do site da 94FM, de forma randômica para quem acessa as notícias do endereço eletrônico da rádio de maior audiência de Bauru e região. Quem clicar nela, lá, será redirecionado aqui para o Canhota 10 – e a recíproca acontece para quem clicar no banner da 94FM aí na coluna da esquerda.

Mas a parceria não se resume à simples troca de links. Um veículo irá repercutir o outro sempre que surgir essa necessidade. Minha ligação com a 94FM vem desde 2007, quando passei a editar a revista da rádio, que foi publicada até maio de 2008. Nesses mesmos anos, fui um dos comentaristas do programa Ritmo do Esporte, que ia ao ar nas noites de segunda-feira — ao lado de Mario Bross e Bruno Mestrinelli. O programa foi o primeiro esportivo da FM bauruense e marcou época por dar espaço a bandas da cidade, no melhor estilo ‘estúdio ao vivo’.

Sempre me sinto em casa cada vez que piso na sede da rádio. Alceu Rodrigues, Paulo Sergio Simonetti, Netão, Andreia Simonetti, Fabiana Simonetti, Rogério Franco, Carol, Carioca, Daniel San, Rosana Poli, Maria José, Morgado, Zé Maria… enfim, todos os membros da família 94FM sempre me receberam com carinho lá e sempre respeitaram meu trabalho. E me dão agora esse voto de confiança, acreditando no conteúdo do Canhota 10.

A 94FM se junta ao jornal BOM DIA e ao Basketeria como veículo parceiro do Canhota 10. Apenas a formalização de uma amizade antiga!