Categorias
Noroeste

Finalmente! Noroeste vence Monte Azul no Alfredão e respira

Seis meses e 17 partidas depois, o Noroeste volta a ganhar uma partida e respira na Copa Paulista

De 20 de fevereiro a 17 de agosto. Praticamente seis meses de angústia por comemorar uma vitória. Contra o mesmo Monte Azul, no mesmo Alfredão. Se os 2 a 0 serão suficientes para amenizar a crise do Noroeste, só os próximos dias dirão. Dentro de campo, pelo menos, deverá trazer tranquilidade.

Aliás, viu-se no gramado (ruim) muita aplicação do time. Não houve corpo mole. O que faltou foi qualidade e tranquilidade para trabalhar melhor a bola, nas pouquíssimas vezes que o time, de fato, chegou próximo à área adversária no primeiro tempo. A única investida aguda foi a que resultou no gol da vitória, aos 27. Flávio cruzou da direita, Cléberson e Bruno Santos brigaram na área e ela sobrou na entrada para Márcio Luiz, que chutou firme e contou com desvio da zaga para balançar a rede.

Na etapa final, Yuri foi exigido apenas duas vezes. O Monte Azul até que pressionou, no sufoco dos minutos finais, mas em chuveirinhos rechaçados por Marcos Aurélio e Magrão, seja lá no alto ou, na queda da pelota, emendando chutão. Afinal, bola pro mato que… Já o ataque, novamente Márcio Luiz pressionou, numa descida pela direita que parou na mão do goleiro. A pequena torcida (195 pagantes) já se contentava com a vitória simples, até que um contra-ataque bem encaixado resultou em mais uma alegria nessa tarde fria. Aos 38, Cléberson foi à linha de fundo, na esquerda, e cruzou na marca do pênalti para Marco Túlio completar rasteiro.

Apitado o final, muita vibração do técnico Edinho Machado: uma ponte que pariu, um sinal-da-cruz, o desabafo aliviado. Os jogadores foram até o alambrado saudar a galera, torcedores que nunca abandonaram o time. Agora, o  Norusca está a três pontos da zona de classificação e volta a sonhar com a próxima fase.

Abre aspas
“Graças a Deus! A gente sabe o quanto a gente lutou por essa vitória. Fico muito feliz, sei da dificuldade que estamos enfrentando e a qualidade desse grupo. Queria pedir para a cidade de Bauru apoiar esse clube, pois dentro do vestiário só tem homem, independente de quem comanda o clube. Nós honramos essa camisa. A gente espera que parem de falar nos bastidores e ajam um pouco mais. Esperamos, pra ser bem sincero, um pouco mais de honestidade”, desabafou em tom firme o goleiro Yuri, ao sair do campo, aos microfones de Jota Martins (87FM/Jornada Esportiva) e Jota Augusto (Auri-Verde).

O Noroeste finalmente venceu com Yuri; Flávio, Marcos Aurélio, Magrão e Jorginho Paulista; Alex Bacci, Rafael Muçamba, Ruan (Douglas) e Márcio Luiz (Marco Túlio); Cléberson e Bruno Santos (Zé Roni).

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *