Categorias
Noroeste

Noroeste perde mais uma e Z-4 assombra

Direto do Alfredão

Haja gordura para manter o Noroeste vivo! Ao perder para o São José (1 a 0) e chegar à oitava partida sem vitória (22 pontos perdidos em 24 disputados), o Norusca está dois pontos acima da zona de rebaixamento graças ao aproveitamento de 63% nas nove primeiras rodadas (contra 8% nas oito jornadas seguintes!!!).

Foi piada pronta. Debaixo de um dilúvio, o Alvirrubro afundou — a foto acima ilustra bem o aguaceiro que inundou, principalmente, o segundo tempo do jogo.

Mais uma vez na competição, o Noroeste desperdiçou cobrança de pênalti. Dessa vez, o meia Emerson. Quando ele cobrou, no fim da primeira etapa, o São José já vencia por 1 a 0, graças a penalidade máxima duvidosa.

Na volta do intervalo, além dos joseenses, as poças d’água também foram adversárias. O Noroeste pressionou como pôde, mas os visitantes foram mais perigosos, em contra-ataques mano a mano. Chance real de gol para o Norusca, mesmo, só no finalzinho, quando a chuva era mais branda e Diego, após rebote de escanteio, chutou da entrada da área e a zaga tirou em cima da linha. Àquela altura, Bonfim havia virado atacante, o goleiro Yuri ia para a área tentar de cabeça…

O zagueiro e capitão, aliás, arriscou até uma cobrança de falta, mas, ali, fez média… Não é a dele, acertou a barreira, mas saiu sob aplausos da galera.

Agora, além de um mínimo de competência, o Noroeste precisa de sorte e de reza.

Debaixo d’água, perdeu jogando com Yuri; Bonfim, Cazão e Neto; Júnior Maranhão (Manu), Pedro, Ruan (Romarinho), Emerson (Bruno) e Adílson; Diego e João Paulo.

Bronca
Tanto Jota Martins (87FM) quando Jota Augusto (Auri-Verde) relataram no intervalo que a diretoria noroestina foi ao vestiário cobrar atitude dos jogadores. Disseram que o teor da conversa foi cobrar a mesma coragem que os atletas tiveram em articular uma greve (pelo atraso de salários), que acabou frustrada.

Balancete
O Noroeste divulgou o fluxo de caixa do mês de dezembro de 2012 e promete logo mostrar o de janeiro de 2013. Em dezembro, relata um saldo “positivo” de R$ 12,8 mil. Entre aspas porque, dentro do ativo, há um empréstimo de R$ 56 mil.

Polêmica amenizada
Fez-se muito barulho sobre a venda do goleiro Walter, sobre contas nebulosas na gestão interina de Toninho Gimenez, mas logo a poeira baixou. Segundo o próprio vice-presidente Filipe Rino relatou, todos os recibos e contratos foram entregues. Aliás, já era sabido desde a ocasião da venda de Walter que o dinheiro seria usado para quitar tributos, conforme a imprensa noticiou na época (como exemplo, esta matéria do JC).

Entretanto, a acusação de que ex-dirigentes melaram um patrocínio de uma rede de supermercados segue sem explicação.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *