Categorias
Noroeste

Guia da Série A3 2016: como chegam os 20 clubes na luta pelo acesso

Conheça detalhes dos clubes que vão disputar a terceira divisão paulista em 2016. Um oferecimento do CANHOTA 10!

A Série A3 do Campeonato Paulista começa neste sábado, 30 de janeiro, com duas vagas em disputa para a A2 de 2017 e seis temidos túmulos rumo à Bezinha. Após as 19 rodadas da primeira fase (todos contra todos, em turno único), os oito primeiros formarão dois quadrangulares, dois quais sairão os campeões das chaves com o acesso. Sem delongas, saiba como chegam os 20 clubes para a competição:

AtibaiaATIBAIA
11 anos de fundação
Em 2015: 4º lugar da A3
Apesar da conquista em campo, o Atibaia não conseguiu viabilizar o aumento da capacidade do estádio municipal Salvador Russani, que comporta apenas 3 mil pessoas. Assim, continua na A3, novamente sob o comando de Luiz Muller (ex-atacante de Bragantino e Sport Recife nos anos 1990). O atacante Tavares (autor do gol do “acesso”) e o volante Léo Cruz também são remanescentes de 2015. Reginaldo, que compôs elenco do Sport Recife campeão da Copa do Brasil em 2008, é o nome mais rodado.

catanduvenseCATANDUVENSE
17 anos de fundação
Em 2015: 19º da A2
Depois de ter a segunda pior defesa da segundona paulista e ser rebaixado, o Grêmio Catanduvense se reforçou com o experiente goleiro Matheus, ex-Linense, e com o volante Willian Baiano, com vários acessos no currículo, para proteger a defesa. Também é peça importante no elenco da Bruxa o atacante Fabinho, de 33 anos, autor do gol do acesso à elite em 2010. O atacante Walker, ex-Noroeste, está por lá.

ComercialCOMERCIAL
105 anos de fundação
Em 2015: 17º da A2
Após sentir o gostinho de ver Samuel Eto’o fazendo gol com sua tradicional camisa, o Bafo volta à realidade, um degrau abaixo. O camisa 9 obviamente não será um camaronês, mas o ex-noroestino Boka (jogou a A2 de 2012 pelo ECN). O Leão aposta no meia Dionatan, de 20 anos, revelação do Batatais, e na experiência do lateral-direito Wanderson Cafu, que veio do Confiança de Sergipe e tem mais de uma dezena de clubes no currículo.

FernandopolisFERNANDÓPOLIS
55 anos de fundação
Em 2015: vice-campeão da Bezinha
Ano passado, o Fefecê interrompeu as aposentadorias — por um curtíssimo tempo — dos veteranos atacantes Muller e Alex Dias. Desta vez, vem mais comedido, apostando na manutenção dos destaques do acesso. O goleiro Camilo, o zagueiro Jean Pierre, o lateral-esquerdo Walter, o meia Diego Choque e o atacante Billy permaneceram. Os principais reforços são o volante Rafael Rueda (com passagem pelo Atlético Paranaense) e o meia Tiago Matias, que em 2015 subiu com o PSTC para a elite paranaense.

flamengoFLAMENGO DE GUARULHOS
62 anos de fundação
Em 2015: 13º da A3
Além de ser uma “incubadora” de jovens do Corinthians (de lá veio o meia Riva, por exemplo), o Rubro-negro da Grande São Paulo aposta em jogadores experientes para ter êxito na competição. Vários nomes do elenco acumulam acessos no currículo, como o atacante Neizinho, de 33 anos, que já subiu com Bragantino, Votoraty e Atlético Sorocaba, além de ter atuado na elite pelo Botafogo de Ribeirão, em 2013. Ídolo do corvo no título da A3 de 2008, o atacante Tom, que estava no futebol amador, retornou ao clube.

gremio-barueriGRÊMIO BARUERI
27 anos de fundação
Em 2015: 15º da A3
A Abelha já não goza de boa relação ($) com a prefeitura de Barueri, como nos áureos tempos de elite nacional. Nem a Arena está confirmada como casa do time na temporada. Para piorar, o clube avisou que não tinha condições de estrear contra o Primavera, na primeira rodada, antecipando o WO — prometeu estar tudo certo para o segundo jogo. Em campo, uma das esperanças é o atacante Dedé Guerreiro, de 26 anos, que tem sete anos de bagagem no futebol português. Prata-da-casa, o meia Rafael Sabino terá grande oportunidade.

Gremio OsascoGRÊMIO OSASCO
9 anos de fundação
Em 2015: 8º da A3
Depois que o Audax virou o primo rico em Os, o Grêmio Osasco original já não é tão ambicioso. O principal objetivo é dar espaço para as categorias de base. Tanto que o treinador do sub-2o também subiu: Lucas Macorin, de apenas 24 anos! Para ajudar a molecada, chegou o lateral-direito Rafael Mineiro (disputou o Paulistão 2015 pelo Marília). O meia Juca, de 30 anos, tem extenso currículo a serviço dos Audax carioca e paulista e tem identificação também com o Monte Azul.

GuaratinguetaGUARATINGUETÁ
18 anos de fundação
Em 2015: lanterna da A2
Aí está outro time nômade que não se entende com o poder público local… O Guará irá mandar suas partidas em Limeira, no estádio Pradão. E vai a campo com um elenco modestíssimo, recheado de garotos que foram mal na Copa São Paulo (três jogos, três derrotas). Os mais experientes são o volante Ruan (26 anos), que jogou no Noroeste em 2013 e 2014, e o atacante Henrique Bisqui (28), que tem passagens por XV de Piracicaba, Mogi Mirim e Caxias.

Inter de LimeiraINTER DE LIMEIRA
103 anos de fundação
Em 2015: 6º da A3
Depois de bater na trave ano passado, o Leão da Paulista vem com o experiente treinador Jorge Parraga, acostumado a treinar garotos. Ele também irá contar com atletas mais rodados ou identificados com o clube, como o lateral Rodolfo e o volante Giba. O zagueiro Diego Gaúcho atuou na Série A1 2015 pelo Mogi Mirim e chega para comandar a defesa. No ataque, Juninho Frizzi (com passagem pelo Figueirense) e Felipe Barreto (cria do Noroeste que passou pelo Palmeiras) despontam como opções.

itapirenseITAPIRENSE
69 anos de fundação
Em 2015: 14º da A3
Sem medalhões em campo, a Esportiva Itapirense tem um nome famoso no banco: o técnico é Mirandinha, centroavante do Palmeiras no anos 1990 e primeiro brasileiro a jogar na Premier League, da Inglaterra. Ele irá comandar um elenco com baixa média de idade. O goleiro Felipe Lacerda, por exemplo, tem apenas 23 anos, mas já acumula a experiência do acesso na Bezinha e disputou a última Série A-3 — sempre pelo Nacional da capital, que o revelou. Já o atacante Alex é um dos remanescentes da última temporada.

MatonenseMATONENSE
40 anos de fundação
Em 2015: 18º da A2
A dupla de ataque da SEMA é a grande aposta do técnico Pinho. Em 2015, Sócrates anotou quatro gols pelo Guaratinguetá na A2; Medina fez seis pelo Manthiqueira na Bezinha (dois sobre o Noroeste). Ambos têm 23 anos. Quem irá armar jogadas para eles é o experiente meia Edson Pio, de 30 anos — ano passado, ele ajudou o Uberlândia a ser campeão da segunda divisão mineira. Outro nome para orientar os garotos é o quarto-zagueiro Toninho, 35. Ele passou pelo Norusca em 2007 e vestiu camisas de peso como Náutico, Figueirense e Criciúma no Brasileirão.

NacionalNACIONAL
97 anos de fundação
Em 2015: 9º da A3
O tradicional clube da Barra Funda conta com um trio que está há algum tempo atuando no Nicolau Alayon. O goleiro Carlão (35 anos), há quatro temporadas no Naça, o lateral-esquerdo Caio Mendes (29), há duas, e o meia Emerson Mi (35), que fez seis gols em 2015. Emerson, aliás, é de péssima lembrança para a torcida do Noroeste, pelos dois pênaltis perdidos na campanha do rebaixamento em 2013. O atacante Anderson Magrão (27) atuou pelo São Bernardo do Paulistão do ano passado.

É rapidinho! Clique aqui
É rapidinho! Clique aqui

NoroesteNOROESTE
106 anos de fundação
Em 2015: 4º da Bezinha 
O Norusca conseguiu montar um time honesto, diante de suas dificuldades financeiras, graças a parcerias interessadas na vitrine que é sua tradicional camisa. O goleiro Roni, que ano passado “subiu” com o Atibaia, o zagueiro Herick Samora, que em 2014 ajudou o Marília a subir para a elite, o meia Marcelo Santos, maestro e capitão do acesso alvirrubro ano passado, são as referências do time de Bauru. Clique aqui e veja o raio-X do elenco noroestino.

OlimpiaOLÍMPIA
70 anos de fundação
Em 2015: 3º da Bezinha
Do time que conseguiu o acesso à Série A3, o Galo Azul manteve como titulares o volante Emerson Guioto e o atacante Douglas. Trouxe o meia Juninho Ortega, campeão da Copa Paulista 2015 pelo Linense, e apostou as fichas restantes em atletas de outros estados. O goleiro Juninho, por exemplo, veio do Murici de Alagoas — e terá como preparador Silvio Luiz, maior camisa 1 da história do São Caetano. O lateral-direito Madson veio do Corumbaense-MS, o zagueiro Binho do Alagoinhas-BA, o meia Cassimba do Araxá-MG e o também meia Célio, destaque na pré-temporada, fez um bom campeonato amazonense ano passado pelo Manaus.

PrimaveraPRIMAVERA
90 anos de fundação
Em 2015: 7º da A3
O Fantasma inscreveu sete atletas que compuseram a equipe que fez boa campanha na Copa São Paulo, quando avançou à terceira fase. O treinador é Pita, 43 anos, que chegou sem custos ao Primavera — ele é funcionário do Osasco Audax, clube parceiro. O destaque é o atacante Paulo Morais, remanescente da campanha de 2015, quando marcou seis gols. Outra esperança está depositada no retorno do goleiro Adinam, 40 anos, ídolo do Tricolor de Indaiatuba que vem mantendo a forma física, mas faz mistério.

rio-pretoRIO PRETO
97 anos de fundação
Em 2015: 17º da A3
Apesar da posição de Z4, o Rio Preto foi salvo da degola por conta da exclusão do Cotia, que provocou dois WOs na edição passada da terceirona. E se preparou melhor para 2016, inclusive fora de campo: reformou o estádio Anísio Haddad e disponibilizou aos torcedores o “Kit do Jacaré”, composto por uma camisa retrô, um boné, um chaveiro, ingressos para as nove partidas em casa, além de concorrer ao sorteio de uma moto Suzuki 125. Ótima ideia e fácil de executar. Nas quatro linhas, os destaques são o lateral Alan Maciel (que ajudou o Água Santa a subir à elite) e o rodado atacante Elionar Bombinha.

Sao CarlosSÃO CARLOS
13 anos de fundação
Em 2015: campeão da Bezinha
Nada como manter o que funcionou. A Águia da Central segue com o quarteto ofensivo que conquistou o título da quarta divisão: os meias Matheus Augusto (quatro gols na campanha), Willian Dias (sete) e os atacantes Alexandre Vecchio (seis) e Elton (quatro). Antes, Elton já havia atuado na A3 de 2015, marcando cinco vezes pelo Taubaté. O técnico Rafael Guanaes aproveitou bem os quatro jogos-treinos para entrosar o elenco, saiu invicto deles, mas mantém um discurso comedido em relação às aspirações do time.

Sao Jose dos CamposSÃO JOSÉ DOS CAMPOS
18 anos de fundação
Em 2015: 11º da A3
Ex-Joseense, o São José genérico encontrou uma forma menos onerosa de encarar a Série A3, fazendo uma parceria com o Red Bull Brasil — tanto que está sendo chamado de “Toro Loko B”. Do clube campineiro vieram atletas que atuaram na última edição da Copa São Paulo júnior, quando chegaram à terceira fase e pararam no Flamengo, que conquistou o título. O técnico Pablo Fernandez também veio do time que dá asas, foi ele quem treinou a molecada na Copinha e terá sua primeira experiência à frente de um time profissional. Será uma equipe de correria, certamente.

sao-joseSÃO JOSÉ
40 anos de fundação
Em 2015: 10º da A3
Vice-campeã paulista em 1989, a Águia do Vale já contou com Viola vestindo a camisa 9 naquela época. E sonhou recentemente com outro craque de Seleção: Adriano. Houve proposta oficial, mas o Imperador preferiu defender o Miami FC dos Estados Unidos, clube que ele acaba de adquirir 40% das ações. Pensando grande, o São José também causou polêmica em dezembro, quando apresentou uniformes da Nike — a empresa negou ser fornecedora. Os meias Douglas Santos (ex-Atlético Sorocaba) e Jeferson (Catanduvense), que disputaram a A2 em 2015, estão entre os mais experientes.

sertaozinhoSERTÃOZINHO
72 anos de fundação
Em 2015: 12º da A3
O Touro dos Canaviais é sempre um adversário encardido, sobretudo em seu alçapão, o estádio Fredericão. E tem mais um ingrediente para aumentar a preocupação dos adversários: a parceria entre o técnico Ito Roque e o meia-atacante Luciano Gigante, que tanto deu certo nos acessos do Penapolense. Quem comanda a zaga é Cristiano, cria do Noroeste. E o meia-atacante Rossini, que um dia foi uma esperança revelada na Vila Belmiro, hoje tem 30 anos e vasta experiência no Interior paulista.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *