Categorias
Noroeste

Em São Carlos, Noroeste cede empate no finalzinho

Noroeste vencia de virada até minutos finais, mas cedeu empate ao São Carlos

Não era querer bancar o adivinho, mas com quem conversei após a partida de estreia, disse que estava animado com esse Noroeste jogando fora de casa. Pela entrega, pela correria, configurava-se ser um visitante encardido. E foi. O Norusca quase saiu de São Carlos com a vitória, mas o empate não foi de todo ruim — até porque, pelas chances que criou, o time da casa não merecia perder. O goleiro Rodolfo Romano teve duas intervenções decisivas no primeiro tempo e Hércules ainda tirou uma bola em cima da linha.

Se a zaga alvirrubra deu lá seus sustos na etapa inicial, no segundo tempo foi pouco exigida. O São Carlos tinha pouco volume ofensivo e ameaçava mais na bola parada — foi assim que marcou seus dois gols, com o centroavante Fábio Luis, completando de cabeça cobranças de escanteio, uma em cada período.

Já o Noroeste mais uma vez se destacou pela disposição de seu trio do meio, muito aguerrido, que foi o motor do time na escaldante tarde de sábado. Os dois gols da Locomotiva promoveram a virada ainda no primeiro tempo, primeiro em cabeçada de Zé Roni, no primeiro poste, após cobrança de escanteio de Lelê. E Luiz Azevedo, que vai se configurando no craque desse time, guardou da entrada da área, em chute firme, após bola mal rebatida da zaga azul.

Se invencibilidade com empates pode ser meio enganosa, essa do Noroeste, por enquanto, é para ser comemorada. Afinal, a expectativa sobre a qualidade do elenco era baixa e essa molecada corre até o apito final, para a alegria da torcida que se deslocou de Bauru para prestigiá-los. No meio da Sangue Rubro, aliás, estava o presidente Emilio Brumati, conforme relatou o repórter Bom de Bola. Se empatar contra o Flamengo na próxima rodada — ou perder –, aí sim podemos começar a nos preocupar. Se vencer, o contrário, o ânimo rumo ao G-8.

Abre aspas*
“O placar não agradou. O pensamento era trazer a vitória”, disse o meia Douglas, que entrou no segundo tempo na lateral-esquerda.

“Fui feliz naquela bola, os companheiros vinham cobrando para eu chutar mais de fora da área. O segundo gol deles foi uma desatenção, mas bola pra frente. Eu posso estar todo quebrado, mas vou sempre ajudar meu time“, comentou o volante Luiz Azevedo.

“Foi um empate amargo, ninguém saiu satisfeito. Meu gol finalmente saiu, atacante tem que fazer gols”, falou o atacante Zé Roni.

“Somar ponto fora de casa é sempre importante, mas por tomar o gol no final, deixamos de marcar dois pontos. Não matamos o jogo e fomos penalizados. Quase deu certo. Temos que trabalhar, acertar alguns erros para ganharmos do Flamengo no próximo jogo”, avisou o técnico Luciano Sato.

* Declarações ao repórter Jota Martins (87FM/Jornada Esportiva)

Reforços
O técnico Luciano Sato confirmou ao Jota que estão chegando dois jogadores. Conforme o Canhota 10 adiantou, um deles é um atacante, vindo do futebol paranaense — especificamente, do Paraná Clube. De lá também virá um lateral.

Foto gentilmente enviada pelo torcedor Rodolfo Fernandes

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *