Categorias
Noroeste

Noroeste só empata com a Matonense e rebaixamento é questão de tempo

Noroeste empata, a matemática teima, mas a verdade é que vem aí a quarta divisão…

Se noroestino não desiste nunca, só pode ser mesmo por teimosia. Não dá mais, minha gente. O Noroeste vai disputar a quarta divisão em 2015. Com o empate desta noite com a Matonense (2 a 2), o Alvirrubro chegou aos 13 pontos, ficando seis atrás dos primeiros times fora da zona de rebaixamento, Juventus e Cotia, que têm 19 — faltando seis por disputar. Ironicamente, esses times se enfrentam na próxima rodada e, se a partida terminar empatada, o Norusca cai, pois chegariam a 20, número inalcançável. E nem adianta pensar em marmelada, há outros times perseguindo esses dois, o empate não os interessa.

A verdade é que, há muito tempo, desde o início, aliás, o Norusca não demonstrava forças. Mesmo em partidas em que a vitória parecia próxima, como hoje, havia sempre vacilos para que os pontos escorressem pelos dedos. No segundo gol dos visitantes, o experiente Bira tomou um drible de forma tão imatura… Isso aos 38 do segundo tempo, quando era hora de pegar a enxada e rifar a bola como se não houvesse amanhã. Mas haverá, no inferno da Bezinha, no último degrau do futebol paulista.

O jogo
O Norusca começou bem, abrindo o placar logo aos 8min, com Henrique, de cabeça, complementando cobrança de escanteio de Lauro César. E foi só. A Matonense chegou algumas vezes, mas sem perigo iminente. E o Norusca se contentou com a vantagem mínima. Na volta do intervalo, logo aos 6min, o lateral-direito Denner avançou para empatar. Precisando vencer, Vitor Hugo abandonou o esquema com três zagueiros, tirando Zé Ilton para colocar Allan, o homem do segundo gol, aos 23min, aproveitando bem rebote após mais um córner. Aí, começou a pressão adversária, Aranha teve que trabalhar, mas na base do chutão a vitória parecia sob controle. Até o atacante de azul ameaçar chutar, Bira virar as costas e oferecer espaço para ele cruzar livre para o complemento de Rai, aos 38, colocando mais um punhado de terra na cova.

Por que caiu?
Motivos para a queda há vários — já listei alguns deles neste texto — e teremos tempo, muito tempo mesmo, para esmiuçar a desgraça noroestina, que nasce nos equívocos extracampo.

O Noroeste empatou jogando com Wellington Aranha; Alex Bacci, Zé Ilton (Allan) e Henrique; Bira, Luiz Azevedo, Lelê (Rafael Silva) e Douglas; Lauro César, Jairo e Adelino (Ruan).

Torcida desolada ao final da partida

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *