Categorias
Noroeste

Fim de feira: Noroeste se despede de 2014 com o hábito de perder

Alfredão vazio, jogo ruim e mais uma derrota na despedida de 2014 do Noroeste

Diante de 53 pagantes e com apenas 14 jogadores relacionados para a partida, sendo um deles o goleiro reserva e outro machucado, o Noroeste terminou de forma melancólica sua participação na Série A-3. Futebol profissional para o Alvirrubro, agora, só na quarta divisão, em abril de 2015…

Para ilustrar o clima de fim de feira, pouca gente responsável pela queda apareceu para fechar o caixão. Não dá pra citar nomes para não correr o risco de ser injusto. Mas posso garantir que quase ninguém da direção do clube e do Conselho Deliberativo apareceu para testemunhar a derrota de 2 a 1 para o Votuporanguense.

E, pasme: quase metade do público pagante era composta de bauruenses torcendo CONTRA o Noroeste. Torcedores de um time amador da cidade, que revelou um atacante do Votuporanguense, foram lá aplaudir o amigo. Que fase!

Entre os poucos noroestinos, pessoal da Sangue Rubro, que saiu do estádio cabisbaixo, em clima de velório; e aqueles torcedores apaixonados, engajados e mal-compreendidos, a já famosa turma da “meia-dúzia”.

A bola rolava lá no campo, mas nem dava para prestar atenção. Pareciam zumbis. Olhar aquele jogo era exercício de masoquismo. Vi o Marcão indo embora mais cedo. Nem ele, outro com assiduidade 100% no Alfredão, aguentou. Nem o gol noroestino saiu de pés locais — foi contra. A virada veio no segundo tempo, sem fazer força. E seria outra goleada, não fosse o bom goleiro Aranha.

O Noroeste se despediu do futebol profissional neste ano jogando com Wellington Aranha; Daniel Rufino (Aguiar), Bira, Lucas Matheus e Fernando Henrique; Marcelo Pinheiro, Ruan, Gustavo e Douglas; Lauro César e Jairo.

Nos próximos dias — e tem muito tempo pra isso… –, o Canhota 10 segue com a série Inferno Alvirrubro, refletindo sobre a desgraceira noroestina. Ver o Noroeste nessa situação seria inacreditável, não fôssemos testemunhas dessa tragédia anunciada.

Abaixo, alguns cliques.

Alfredão vazio...
Alfredão vazio…
Esse foi o números de testemunhas: e pouco mais da metade era de noroestinos de fato
Esse foi o números de testemunhas: e pouco mais da metade era de noroestinos de fato
Tribuna vazia: onde estão os homens fortes do clube?
Tribuna vazia: onde estão os homens fortes do clube?
Meia dúzia de noroestinos apaixonados
Meia dúzia de noroestinos apaixonados
Policiais protegendo trio de arbitragem: contingente exagerado para esse fim de feira...
Policiais protegendo arbitragem: contingente exagerado para esse fim de feira…
Torcedores vão embora, cabisbaixos
Torcedores vão embora, cabisbaixos

 

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *