Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru enfrenta o Vitória com Robert Day em sua melhor fase

Em sua última temporada de contrato, Robert Day está voando e é o melhor jogador do Dragão até aqui no NBB. Os números comprovam

retranca-NBBA fase de Robert Day é muito boa. Há algumas semanas o Especialista merece um post sobre seu momento no Paschoalotto Bauru — o melhor, disparado, desde que chegou, há mais de um ano. São vários os motivos, entre melhor condição física, maior adaptação, nova postura tática… Mas penso que um fator é determinante: o último ano de contrato.

Muito amigo do elenco e com a família adaptada à Sem Limites, certamente o gringo adoraria permanecer por aqui e está com sangue nos olhos. E tem números consistentes até a nona rodada para negociar uma renovação. Com isso, o camisa 31 é:

• o jogador mais eficiente do time até aqui (e o terceiro do campeonato)
• o segundo cestinha, o terceiro reboteiro e o terceiro em assistências do Dragão
• quem mais guarda bolas de três por jogo (3,5) no torneio

De quebra, este ano o pai da Lainey e do Cooper entrou para o Hall da Fama da West Oregon University — ele é o maior pontuador da história de sua universidade.

No NBB 8, seu escaute está bem próximo de sua média histórica na competição, sobretudo nos tempos de protagonismo com a camisa do Uberlândia — alguns números, inclusive, superiores:

médiasNBB 7NBB 8histórico NBB
Minutos em quadra252531
Pontos10,714,616,4
Rebotes2,74,94,5
Assistências1,22,22,4
Aproveitamento em chutes de 341,3%54,2%44,1%
Eficiência10,017,716,8

 

Contra o novato Vitória, nesta terça (15/dez), às 20h, na Panela — na arquibancada todos pagam meia, R$ 15 —, Day tem mais uma oportunidade de mostrar que seu arsenal, além de calibrado, está mais diversificado. No passeio contra o São José, campeão paulista, na última rodada  (não cobri o jogo, confira a cobertura dos parceiros da Locomotiva), ele foi sensacional, fazendo 12 pontos de 12 tentados no terceiro quarto.

Acho que vale, no mínimo, deixar o contrato redigido, hein?

 

Foto: Caio Casagrande/Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *