Categorias
Bauru Basket

Bauru vence o Palmeiras e fecha a série quartas do Paulista

Bauru vence o Palmeiras, fecha a série em 3 a 1 e avança no Paulista

Bauru está na semifinal do Paulista. Foi uma série difícil contra o Palmeiras (fechada por 3 a 1), mas valeu a superioridade do líder da primeira fase e, agora, o Dragão pode focar o grupo semifinal da Liga Sul-Americana. Apesar dos desfalques de Murilo Becker e Fabian Barrios, expulsos na partida da véspera (junto com os alviverdes Tyrone e Átila), os comandados de Guerrinha conseguiram evitar o quinto jogo, novamente com uma defesa forte e, pela primeira vez na série, ultrapassou a barreira dos 80 pontos. Placar final: 90 a 79 e primeiro time a garantir vaga entre os quatro primeiros.

O time mostrou maturidade, ao não contar com seu principal jogador, mas está numa fase em que, depois de Murilo, há vários talentos num patamar altíssimo. Ricardo Fischer vive fase impressionante (e Magnano deve estar de olho nele), Larry voltou a jogar bem no momento decisivo (mas nunca se escondeu do jogo, apesar de números tímidos), a bola de Gui está voltando a cair e Lucas Tischer é aquele sangue nos olhos que faltava em temporadas passadas. A comemorar, e muito, a volta do gatilho de Fernando Fischer, que compreendeu seu novo papel no time e tem contribuído bastante. O camisa 14 ainda lembrou, em entrevista pós-jogo, do retorno de Luquinha, que já preocupava pela demora e que ganhou confiança. Aliás, esse elenco inspira confiança e dá mesmo para acreditar que este ano vem o caneco. Faltam seis vitórias!

Atualizado: para conhecer o adversário das semi, Bauru tem que esperar. Se Franca passar por São José (série está 2 a 2), será Franca.  Mas pode ainda ser Liga Sorocabana (empatou a série, 2 a 2), Pinheiros ou Mogi (também tudo igual, 2 a 2). Só o Dragão matou em quatro jogos. Resumindo o que diz o regulamento: há um realinhamento entre os classificados, valendo a campanha da primeira fase para determinar as colocações.

O jogo
A partida começou como todas as outras da série: placar amarrado, muita disputa física. Mas com uma diferença crucial: dessa vez os donos da casa não puxaram o placar o tempo todo. O Dragão  venceu as duas parciais do primeiro tempo (18 a 17, 18 a 15) com Larry Taylor dominando a pontuação. No intervalo, Guerrinha pediu atenção no ataque, para valorizar cada bola e, de cesta em cesta, irem construindo a vitória, que na primeira metade do jogo foi de 38 a 32.

No terceiro quarto, depois de um cochilo inicial (o Palmeiras abriu 0 a 8), o Paschoalotto deslanchou. Bolas de fora, com Larry, Fernando e Ricardo, bolas lá dentro, com Tischer. Com excelente fração de 29 a 18, os bauruenses praticamente consolidaram o triunfo. O período final foi de administrar a vantagem. A torcida palmeirense com todo o fôlego tentanto empurrar seu time, enquanto o Dragão teve a frieza necessária para fechar calar a galera verde, com os irmãos Fischer impossíveis nas bolas de três. E quanto Gui cravou no minuto final, sacramentou a classificação. Vitória por 90 a 79 (parcial final de 26 a 28) e vaga na semifinal.

Abre aspas*
“Desde ontem, por tudo o que aconteceu, a gente já mudou dentro do vestiário. Jogamos com o coração pelo Murilo e pelo Fabian. Sem o grande nome do time, ganhamos e garantimos a classificação. Esse time tem coração e jogamos por todos”, disse o armador Ricardo Fischer.

“O equilíbrio dessa série. Nosso time está de parabéns por ter passado essa série difícil. E numa superação, pois tivemos dificuldades para jogar contra eles. Queremos o título. A mudança primeiro foi mental, depois física. Nós corremos bastante e conseguimos colocar o Fischer, nosso chutador. Nós brigamos entre nós, por nós e conseguimos o resultado”, comentou o ala Gui.

“Hoje conseguimos encaixar nosso contra-ataque, que é fatal. Eu estava precisando ter uma atuação legal para ajudar o time e estou muito satisfeito. E gostaria de enaltecer a entrada do Luquinha, eu sei o que ele passou, fez bolinhas importantes, ele é parte do nosso time, é nosso amigo, estou feliz por ele”, disse o ala Fernando Fischer.

“Estou emocionado, feliz, acho que agora vai. Tenho muito a melhorar, agora vou engrenar para ajudar o time”, comemorou o armador Luquinha, que marcou seis pontos na partida.

“O time teve o prêmio de ganhar um final de semana no calendário. Essa vitória fortalece para a Sul-Americana, é daquelas de lavar a alma. E serviu para jogadores como o Fischer, que teve um papel fundamental hoje, crescer e nos ajudar bastante daqui em diante”, avaliou o técnico Guerrinha.

*Entrevistas ao repórter Arthur Sales (Jornada Esportiva/Auri-Verde)

Números
Bauru ganhou o jogo no bom aproveitamento de chutes de fora (47%), pegou mais rebotes (32 a 29) e errou apenas três lances livres em 16. Os destaques individuais:
Larry Taylor: 19 pontos, 4 assistências
Ricardo Fischer: 18 pontos, 5 rebotes
Fernando Fischer: 16 pontos, 5 rebotes
Lucas Tischer: 12 pontos, 8 rebotes
Gui Deodato: 11 pontos

Jogadores e comissão técnica vibram: classificados! Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket
Jogadores e comissão técnica vibram: classificados! Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *