Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru vence prova de fogo contra o Pinheiros

Paschoalotto Bauru vence prova de fogo contra o qualificado Pinheiros

Quem acompanha o Canhota 10 sabe que aqui não tem lero-lero. Não fui ao jogo hoje. Não pude ir. Mas como me arrependo! Ouvindo o segundo tempo da partida no Jornada Esportiva, percebi o jogão que perdi! O Paschoalotto Bauru venceu por 80 a 74. Partida emocionante, que parecia decidida ao final do terceiro quarto, mas que encheu-se de alternativas no período final. E que, segundo a transmissão, foi a primeira vez na temporada que a torcida se inflamou naquele clima que caracteriza a Panela de Pressão como alçapão bauruense. A vitória foi a nova do time alvilaranja em dez jogos, liderança absoluta, com dois triunfos de folga para a concorrência.

Bauru perdeu o primeiro quarto por 21 a 17, mas na sequência teve dois períodos superiores (24 a 19 no segundo, 23 a 12 no terceiro), que constuíram boa diferença (64 a 52) para o início da fração derradeira. Foi quando o time desacelerou, cometeu erros, os jogadores se desconcentraram e Guerrinha precisou caprichar na bronca, na gota d’água que foi uma falta técnica de Ricardo Fischer nos minutos finais. Foi quando Murilo, em noite discreta, acertou bandeja providencial depois de erros anteriores, mostrando seu poder de concentração — aliás, comentei outro dia com o próprio Jorge Guerra: mesmo num mau dia, o camisa 21 ponta em dois dígitos.

Abre aspas*
“Foi um dos jogos mais emocionantes até agora. Foi muito legal a festa, ganhamos, casa cheia… Mas não pode estar ganhando de 14 pontos e deixar encostar. É aprendizado para os próximos jogos”, ponderou o pivô Murilo, que partiu para o abraço com a galera ao final da partida. “Eu sempre estou junto com a torcida, não sou um cara que vai sempre pular na arquibancada, sou mais frio… Mas é bacana reconhecer o apoio deles, ver a casa cheia”, comemorou.

“O Ricardo me deu cada assistências maravilhosa hoje… A cravada é consequência. Mas o time saiu do foco uma hora, discutindo entre a gente, e isso poderia ter nos custado o jogo”, disse o pivô Lucas Tischer.

“Estou muito contente por estar crescendo, ganhando confiança. Somos uma equipe e não dependemos só de um jogador, é importante que todos estão crescendo”, avaliou o ala-pivô Fabián Barrios.

*depoimentos colhidos pelo repórter Arthur Sales (Jornada Esportiva/Auri-Verde)

Números
Lucas Tischer foi o cestinha bauruense, com 17 pontos (mais cinco rebotes), Murilo fez duplo-duplo (15 pontos, 11 rebotes), Ricardo Fischer também (15 pontos, dez assistências), Gui anotou 13, Barrios, 11, e Andrezão, nove.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *