Categorias
Bauru Basket

Com cabeça fria e coração quente, Bauru vence Mogi fora de casa

Argentino Fabián Barrios decide em vitória do Paschoalotto Bauru sobre o Mogi, pelo Paulista

O Paschoalotto Bauru voltou a vencer no Campeonato Paulista e ganhou fôlego na luta pela liderança, já que São José e Paulistano também venceram na rodada (XV de Piracicaba e Palmeiras, respectivamente). Se a partida de ida, na Panela, foi difícil, a volta não seria menos complicada. A liderança do placar se alternou, mas valeu a experiência de Murilo para conduzir o time, que contou também com boa pontuação de Larry Taylor e com a personalidade Fabián Barrios nos momentos decisivos, fechando o primeiro triunfo centenário bauruense, por 100 a 90. Já ficou famosa a frase do argentino, de que o time tem que jogar com “la cabeza fría y el corazón caliente”.

Com 14 vitórias em 17 jogos, Bauru está na cola do líder São José (15 em 18), que tem um jogo a mais. O tira-teima será na próxima quinta, dia 3 de outubro, às 20h, na Panela de Pressão. Partida para não sobrar um centímetro sem torcedor. Hora de botar fogo na Caverna do Dragão.

Murilaço: grande partida. Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket
Murilaço: grande partida. Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket

O jogo
Como de costume nas partidas do Dragão, o primeiro quarto foi equilibrado, lá e cá. Os visitantes se portaram bem diante da pressão inicial da torcida mogiana e conseguiram fechar a parcial um pontinho na frente: 19 a 18. No segundo, com boa entrada de Mathias e a onipresença de Murilo, Bauru construiu uma fração mais folgada (26 a 20) e levou vantagem para o vestiário: 45 a 38.

Após o intervalo, Mogi voltou mais ligado. Com Gustavinho inspirado, abriu fazendo 12 a 2, virou o jogo e conduziu vantagem até a metade do quarto. Aí, Murilo novamente chamou o jogo, Andrezão também converteu bolas preciosas e o Paschoalotto, novamente, assumiu a dianteira do placar, 71 a 68 (parcial melhor de Mogi, 26 a 30).

No tempo anterior ao último quarto, Guerrinha chamou a atenção dos jogadores aos cochilos da defesa, assistindo aos pontos de Gustavinho e Alemão. Com o recado, aí foi a vez dos alvilaranjas abrirem boa vantagem no início de quarto (10 a 2). Fato raro em temporadas anteriores e costumeiro nesta, Bauru novamente teve jogador excluído com cinco faltas — Lucas Tischer, a 4min do fim. da dificuldade aparente, veio a solução. Barrios entrou no lugar do Diabo Loiro e decidiu o jogo, fazendo onze pontos decisivos nos instantes finais para sacramentar a vitória bauruense.

Abre aspas*
“Estou contente porque jogamos uma grande partida. Fui um agraciado, principalmente nos minutos finais.Foi uma partida muito dura. Tomara que continuemos nesse caminho, vamos trabalhar para isso”, comemorou o argentino Barrios, herói do jogo.

“Tivemos deslizes, mas perdemos para boas equipes fora de casa. Hoje, melhoramos nossa saída de pressão, que foi o ponto chave das derrotas.  Temos que parar com erros bobos. Se não tivéssemos perdido tantas bolas, não teríamos deixado eles voltarem para o jogo. Mas a equipe foi madura na hora de decidir. Parabéns para o Fabián, que é um jogador importante pra gente e decidiu a partida. Precisávamos voltar para o caminho da vitória e agora temos um jogo chave contra São José”, comentou o pivô Murilo, cestinha bauruense.

“Fomos superiores e mais inteligentes, conseguimos sair da pressão deles. Não desesperamos nos momentos chave e decidimos a vitória. Agora, vamos precisar da torcida, que vai ser crucial para a partida contra São José. Nada melhor do que uma vitória fora de casa para voltar o ânimo do time. Vamos com força total para casa”, avisou o ala Gui.

*Depoimentos ao repórter Chico José (Auri-Verde/Jornada Esportiva)

Números
Murilo Becker: 24 pontos, 11 rebotes, 4 assistências
Larry Taylor: 18 pontos, 9 assistências e 5 rebotes
Fabian Barrios: 17 pontos
Andrezão: 16 pontos
Gui: 12 pontos

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *