Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru vence Brasília e garante mando nas oitavas

Frieza para vencer Brasília mostrou a força do Dragão para os playoffs

Bauru vai poder decidir em casa, se necessário, nas oitavas de final do NBB6. A vitória por 93 a 85 sobre Brasília garantiu, no mínimo, o oitavo lugar ao Dragão. Para chegar ao sétimo posto, precisará vencer Goiânia no sábado e secar São José. Independentemente de alcançar esse objetivo, o que mais animou o torcedor foi a maturidade do time para finalizar o jogo, contra um adversário do quilate de Brasília, tricampeão nacional.

O jogo
Arthur estava com a mão boa logo de cara, enquanto Ricardo Fischer, de fora, e Larry, na bandeja, equilibravam o início do duelo. Até que Bauru conseguiu explorar os contra-ataques para abrir importante vantagem no primeiro quarto: 24 a 17.

No segundo período, lá e cá. Enquanto Larry fez a diferença pelo lado bauruense, Guilherme Giovannoni estava com o chute certeiro pelos candangos, igualando a parcial (20 a 20), por isso a providencial dianteira dos primeiros dez minutos, levando 44 a 37 para o vestiário.

No terceiro quarto, foi a vez de Alex Garcia aparecer. Em suas habituais infiltrações, achou faltas (cobrou sete lances livres para cinco acertos) e incomodou bastante a defesa bauruense. Coube a Larry e Murilo tramarem boas jogadas, sempre vigilantes no placar. A fração de 24 a 26 para o time do DF anunciava o enrosco que seriam os minutos finais.

Até então um jogo movimentado, mas na paz, evidentemente que ia esquentar. Seguiu leal, mas com o ouvido da arbitragem quente, as disputas mais ríspidas, a bola mais arisca. Do jeito que as coronárias gostam. Brasília encostou, virou, a liderança do placar se alternou. Na metade do quarto, Murilo fez falta de ataque boba, reclamou, tomou técnica. Ela custaria caro lá na frente, quando foi excluído com cinco faltas a 3min do fim. A partir dali, o camisa 21 se tornaria o principal animador de torcida do ginásio. Os gritos ficaram mais fortes e os mais de 900 pagantes gastaram suas gargantas. Diferença segurada na unha, com Ricardo invadindo o garrafão com Goree e tudo. E com Andrezão roubando bola decisiva a 18s do fim. Essa frieza contra o gigante Brasília mostra o nível como o Dragão vai chegar nos playoffs. Grande vitória.

Abre aspas
“Achei que minha reclamação com a arbitragem era justa, não foi falta e acabei ficando fora da hora mais gostosa de jogar. Eu errei por reclamar, mas não faltou respeito. Mas o legal é que a partir da minha exclusão, a torcida nos apoiou mais. A gente sabe que o sétimo lugar vai ser difícil, mas o importante é que vamos chegar fortes nos playoffs”, comentou Murilo, com mais um duplo-duplo na conta.

“Estou treinando para decidir os jogos. O grupo e o Guerrinha me dão confiança e fico feliz de, tão jovem, sem importante nessas horas. Na época da fase ruim, já avisávamos que esse bom momento ia chegar na hora certa”, disse o armador Ricardo Fischer.

“A gente tem que brigar, pode ser que não mude a posição na tabela, mas estamos jogando pensando no playoff. A gente trabalhou muito a situação de fechar o jogo, pois a derrota em Franca foi doída. Apesar da arbitragem, cometemos nossos erros pra finalizar. E todo o time rendeu, o revezamento foi importante e conseguimos fechar bem depois da exclusão do Murilo”, avaliou o técnico Guerrinha.

O jogo foi legal, mas o Jonas não tem condições de apitar. Tem que apitar mirim e jogos escolares… Mas NBB ele não tem condições!”, reclamou o ala Alex Garcia, de Brasília.

 Números
Larry Taylor: 25 pontos, 10 rebotes, 5 assistências
Ricardo Fischer: 20 pontos, 4 assistências
Murilo: 16 pontos, 13 rebotes
Barrios: 10 pontos
Gui Deodato: 10 pontos

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *