Categorias
Bauru Basket

Larry Taylor brilha na Panela e Mogi derrota Paschoalotto Bauru na Liga das Américas

rentranca-LDA2016(Direto da Panela) A última rodada do grupo E da Liga das Américas será de calculadora na mão. Até o Malvin, que acumula duas derrotas, tem chances. Tudo porque o Paschoalotto Bauru perdeu para o Mogi das Cruzes, por 75 a 66. Falemos das contas mais abaixo. Antes, aplausos para Larry Taylor. O Alienígena sentiu-se mesmo em casa e passeou em quadra. Ele foi o cestinha da partida e ainda contribuiu com três rebotes e quatro roubos de bola. Já o Dragão tomou decisões erradas na execução de seu jogo, cometeu 17 violações e precisará evitar esses equívocos para vencer o Quimsa na última rodada (neste domingo, às 20h), se quiser avançar.

BOLA QUICANDO
Mogi foi dominante desde o início. De cara, abriu 10 a 1, com sete pontos de Larry. A contusão de Guilherme Filipin — que travou as costas, a cena assustou, mas não preocupa — poderia sugerir a queda de rendimento do time, mas seguiram mordendo cada bola. Triplos de Jé e Day mantiveram o Dragão no retrovisor: 16 a 13.

No segundo período, o banco bauruense entrou bem e comandou a virada no placar. Paulinho Boracini, guardou duas de fora, roubou bola, Wesley e Léo Meindl também fizeram suas bolinhas e o Paschoalotto conseguiu ir para o intervalo em vantagem (35 a 36), após parcial de 19 a 23.

É rapidinho! Clique aqui
É rapidinho! Clique aqui

A partida recomeçou como começou, com Larry aprontando. E com Tyrone absoluto no garrafão. Roberdei manteve Bauru na parada com três bolas de três, Murilo entrou bem, mas a noite era mesmo mogiana. Lucas Mariano trabalhou bem dentro (cravada) e fora (triplo), enquanto Alex Garcia errou uma enterrada, desperdiçou um ataque e ficou bravo. Fração da turma do Alienígena (23 a 19, somando 58 a 55), que voltou a liderar para não perder mais.

Os cinco primeiros minutos do último quarto foram de poupar o fôlego das estrelas. Ricardo, Hett e Alex sentados de um lado, Larry do outro.Paulinho errou três vezes e o placar praticamente não se mexeu nesse tempo… A torcida também não estava numa noite inspirada. Na hora H, empolgou-se com um tocaço de Wesley em Shamell, na bola de três de Day que manteve o time vivo, e só. Quando Larry guardou três pontos a 1min05 do fim e abriu 13 pontos, muita gente levantou e foi embora… O minuto final passou rápido, nada de falta pra amarrar o cronômetro. Resignado, o Dragão despediu-se de uma noite ruim perdendo por 75 a 66, após parcial de 17 a 11.

Os amigos Larry e Ricardo: o Alienígena riu por último.
Os amigos Larry e Ricardo: o Alienígena riu por último.

DOEU
O ala Guilherme Filipin deitou na quadra e não levantou mais. Saiu de maca, aplaudido, com as costas travadas. Perguntei se foi só um susto. “Nem tanto, travou feio mesmo!”, disse ao Canhota, garantindo não ter condições de jogo para a terceira rodada.

GOTEIRAS
O último período já não estava favorável e o teto da Panela aprontou de novo. Goteiras quebraram o ritmo da partida e queimaram o filme de Bauru mais uma vez. Enquanto isso, a Arena municipal segue sendo apenas um belo projeto no papel.

GUERRINHA
Larry na quadra, Guerrinha na plateia. A dupla mexeu com as emoções de muita gente nessa noite. O ex-treinador voltou à Panela pela primeira vez desde sua demissão, em outubro passado. Horas antes, havia revelado ao repórter Guilherme Giavoni, do GloboEsporte.com, que encabeçará o projeto de retorno do Corinthians ao basquete. Toquei uma ideia com Jorge Guerra, que você pode ouvir abaixo:

ABRE ASPAS
Falei com Ricardo Fischer, no calor pós-jogo, eu e ele ainda sem refletir sobre a matemática:

 

O técnico Demétrius avaliou o revés:

 

FAZENDO AS CONTAS
O Mogi encara o Malvin às 17h45 na Panela e vitória por qualquer placar o coloca no final Four da #LDA2016. O Quimsa, que venceu fácil o Malvin na segunda rodada (75 a 56), precisa apenas bater Bauru para sair da Sem Limites como líder da chave. Já o Dragão precisará vencer os argentinos por seis ou mais pontos de diferença — menos do que isso, dá Quimsa. A conta é feita pelo saldo de cestas dos jogos entre os times empatados: Bauru hoje tem -9 e o Quimsa +2. Se o Malvin ganhar do Mogi, bastará a Bauru uma vitória simples. Se o Malvin ganhar e o Quimsa ganhar, dependendo dos placares até o time uruguaio pode passar. Enfim, rodada imperdível!

NUMERALHA
Day: 15 pontos, 1 rebotinho
Alex: 11 pontos, 4 rebotes, 4 assistências
Ricardo: 10 pontos, 6 rebotes, 8 assistências
Jefferson: 8 pontos, 5 rebotes
Hettsheimeir: 6 pontos, 7 rebotes
Paulinho: 6 pontos, 3 rebotes
Wesley: 4 pontos, 2 rebotes
Meindl: 4 pontos
Murilo: 2 pontos, 3 rebotes

Abaixo, os melhores momentos da partida:

Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru vence Malvin na estreia da semi da Liga das Américas

rentranca-LDA2016(Direto da Panela) Se possível, vencer bem. Mas, sobretudo, vencer. O placar de 89 a 77 até sugere tranquilidade, mas houve um cochilo no último quarto que quase pôs a perder. Entretanto, mirando o Final Four e o bicampeonato da Liga das Américas, está tudo certo, primeiro obstáculo superado, o uruguaio Malvin. Nesse sábado (20/fev), é a vez de Mogi, que perdeu na abertura do grupo E para o argentino Quimsa (69 a 67) e jogará sua sobrevivência contra o Dragão. Partida marcada para 21h, mas quem for ao ginásio antes, vai curtir Quimsa e Malvin.

BOLA QUICANDO
O Paschoalotto construiu boa diferença logo de cara, que se mostrou ser fundamental no fim. Alex e Hettsheimeir fizeram as honras iniciais e dois triplos de Day colocaram Bauru dez pontos na frente. Houve também chutinho certeiro de Murilo, que mais tarde trombaria com Tischer (ele mesmo), provocando cortes nos dois cabeções. O camisa 21 precisa se benzer. Final de primeiro quarto tranquilo e favorável (né, Lanzoni?), 26 a 14.

Alex: cestinha ao lado de Hett. Fotos: Caio Casagrande/Bauru Basket
Alex: cestinha ao lado de Hett. Fotos: Caio Casagrande/Bauru Basket

No segundo período, a joia Wesley Sena, que anda devendo, teve um lampejo de encher os olhos, ao dar um baita prego em Calfani e, depois, cravar a partir de bela assistência de Boracini. Dominante no garrafão, Hett colocou suas canelas de ouro pra dançar antes de um ajeitado jump. Mas também teve air ball de Léo Meindl. E Roberdei cavando duas faltas de ataque. 22 a 20 na fração (somando 48 a 34) e vestiário sem bronca.

O terceiro período foi de “manutenção”, com a defesa atenta e o ataque explorando o jogo interno, que gerou dez lances livres (oito convertidos). De fora, só o camisa 30 guardou, duas vezes. Do lado uruguaio, o perigo se resumiu a Martinez e ao ianque Hoskin. Parcial pró-Dragão de novo (24 a 19), indicando um fechamento tranquilo do caixão, 72 a 53.

Só que não. O técnico Pablo López apostou em três moleques (Souberbielle, Santiso e Serres), que injetaram energia para tirar os uruguaios das cordas e golpear um Bauru na zona de conforto. A diferença, que chegou a ser de 19 pontos, caiu para cinco a 1min do fim. Foi quando um belo triplo de Jefferson retomou a normalidade, abrindo vantagem de novo. Consenso pós-jogo: último quarto merece atenção, pois um adversário mais forte poderia ter complicado a situação. Período uruguaio (17 a 24), vitória bauruense, 89 a 77.

É rapidinho! Clique aqui
É rapidinho! Clique aqui

MANDANTE E VISITANTE
Uma curiosidade, para quem estranhou o Dragão jogando de azul em casa e usando o banco de reservas que não é seu lado habitual: apesar de sediar o grupo E, Bauru jogará as três partidas como visitante. É que consta no regulamento da Fiba que anfitrião que não dispõe de placar eletrônico dos dois lados não tem o mando, o que acarreta em jogar o segundo tempo de costas para o único placar.

ABRE ASPAS
, o Definidor (e foi mesmo, na bola importante a 1min do fim), comenta o resultado e fala de sua escolinha:

 

Day, o Especialista, lamenta a queda de rendimento do time no final:

 

Fala, Hett, seu figura:

 

O técnico Demétrius Ferracciú estava satisfeito com o resultado:

NUMERALHA
Rafael: 22 pontos, 9 rebotes
Garcia: 22 pontos, 3 rebotes, 2 tocos
Robert: 16 pontos, 2 rebotes, 3 assistências, 2 roubos
Andrade: 10 pontos, 4 rebotes
Becker: 6 pontos
Berger: 5 pontos, 2 rebotes
Sena: 4 pontos
Ricardo: 3 pontos, 10 assistências
Paulo: 1 pontinho, 2 rebotes
O time somou 6 roubos de bola e 4 tocos

Confira os melhores momentos da partida:

Categorias
Bauru Basket

Como sede, Paschoalotto Bauru ganha força para encarar difícil grupo E da Liga das Américas

rentranca-LDA2016Bauru será a cidade-sede do grupo E da Liga das Américas de basquete, pela fase semifinal da competição. A grande notícia chegou no início da noite dessa quarta-feira (10/fev) em nota oficial do time, após um bom trabalho de bastidores, pois os uruguaios do Malvin estavam de olho na oportunidade também — inclusive houve barrigada de parte da imprensa uruguaia, uma vez que não houve anúncio oficial da Fiba Americas.

O Paschoalotto Bauru irá hospedar Mogi das Cruzes, Malvin-URU e Quimsa-ARG. Uma chave dificílima, por isso a importância técnica de contar com o apoio da torcida e de atuar em seu habitat natural. No grupo F, que será disputado em Barquisimeto, na Venezuela, jogarão o anfitrião Guaros de Lara, Flamengo, Brasília e Correcaminos Colon, do Panamá.

É rapidinho! Clique aqui
É rapidinho! Clique aqui

A disputa do grupo E será nos dias 19, 20 e 21 de fevereiro. O que você precisa saber sobre como a Sem Limites conquistou a sede, a participação decisiva da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) e como deverá ser a política de ingressos está no áudio abaixo, em conversa exclusiva do Canhota 10 com o diretor Vitinho Jacob e com o secretário de esportes Roger Barude:

Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket

Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru vence Quimsa e fecha grupo B da Liga das Américas em primeiro

rentranca-LDA2016Dois jogos e duas vitórias. Esse é o retrospecto do Bauru Basket sobre o Quimsa, da Argentina, na Liga das Américas. Se em 2012 o Dragão fez valer o fator casa, nesta noite de 2016 venceu no ginásio dos argentinos: 76 a 71. E levou a melhor numa noite inspirada de Ricardo Fischer, o cara que gosta de decidir. Ele não foi apenas o cestinha da partida, foi ele que assumiu a responsabilidade de marcar os pontos decisivos nos lances finais, quando a partida estava empatada.

Rafael Hettsheimeir, praticamente poupado no jogo da véspera, por um desconforto na coxa esquerda, também deu ótimo recado com um duplo-duplo. Como o nível da partida foi mais exigente, Murilo Becker, voltando depois de quatro meses, acabou por atuar pouco. O menino Wesley também deu breve contribuição. E Paulinho saiu praticamente zerado do confronto. Isto é: foram apenas seis jogadores efetivos, o que é pouco para partidas decisivas. É um ponto a ser estudado e melhorado.

É rapidinho! Clique na imagem acima
É rapidinho! Clique aqui

PRIMEIRO
Com a vitória, o Paschoalotto terminou em primeiro no grupo B da Liga das Américas. Se não é algo que decide chaveamento da próxima fase, não deixa de ser um diferencial na hora de a Fiba Americas ponderar a força dos times classificados para montar a agenda das semifinais. E mais: dá moral para o time pleitear se sede de uma etapa — se bem que, com a Prefeitura (que sempre ajuda) de cofres apertados, nem creio ser um bom momento.

Meindl celebra o partidaço de Ricardo. Foto: Marcelo Figueras/Fiba Americas
Meindl celebra o partidaço de Ricardo. Foto: Marcelo Figueras/Fiba Americas

ABRE ASPAS
“A gente já estava classificado, mas sabíamos da importância de sair em primeiro. Fizemos uma partida muito dura na casa do adversário, que é o atual campeão argentino, mas a gente teve paciência, jogamos contra tudo e contra todos, e saímos com uma grande vitória. Isso nos fortalece muito para a próxima fase e também para o NBB”, comentou o armador Ricardo Fischer, via assessoria.

“A vitória e a classificação é muito importante para fortalecer o grupo, sair invicto no grupo da morte, com equipes fortíssimas, isso dá consistência para a equipe, dá moral e faz com que a confiança aumente. O grupo é forte e se tiver focado com certeza vamos colher bons resultados”, analisou o técnico Demétrius Ferracciú.

NUMERALHA
Ligeirinho: 24 pontos, 7 rebotes, 9 assistências
Canelaimeir: 21 pontos, 13 rebotes
Brabo: 10 pontos, 5 rebotes
Roberdei: 8 pontos, 2 rebotes
Léo Monstro: 6 pontos, 6 rebotes
Jé, o Definidor: 5 pontos, 3 rebotes
Wesley, a Joia: 2 pontos, 3 rebotes

 

Foto topo: Caio Casagrande/Bauru Basket