Categorias
Noroeste

Debaixo d’água, Noroeste reage e afunda Catanduvense

Foto: Brunara Ascêncio/ECN

Foi bem feliz o título da matéria pré-jogo do Jornal da Cidade deste domingo: “Divisor de águas”. Realmente, a distância do G-8 (classificados à fase decisiva) ao Z-4 (zona de rebaixamento) era mínima nesse início de Série A-2. E o que não faltou foi água no estádio Alfredo de Castilho! Os 177 pagantes que são Norusca até debaixo d’água viram o time vencer o Catanduvense e se afastar do rodapé da tabela (agora com sete pontos), onde está a Bruxa, naufragada na lanterna.

Após um primeiro tempo de futebol quase impraticável, mas mesmo assim de domínio alvirrubro (inclusive com pênalti duvidoso aos 43min), o Noroeste foi com tudo no início da segunda etapa, já sem tanto volume de água e possibilidade de fazer a bola correr. Logo aos quatro, Nathan reclamou pênalti de novo. O jeito era driblar a miopia do árbitro. E foi aí que apareceu o experiente Joãozinho.

Filho do famoso ponta que brilhou no Cruzeiro nos anos 1970, o meia-atacante foi acolhido por Carlos Alberto Seixas (que jogou com Joãozinho pai) e fez valer o voto de confiança em seu primeiro jogo como titular. Ele abriu o placar os sete minutos e ampliou aos nove — ambas as jogadas com oportunismo, aproveitando bolas rebatidas e justificando o número 9 às suas costas.

Se a goleada sobre o Juventus pareceu enganosa depois dos dois jogos seguintes, acuado na defesa, a vitória sobre o lanterna não deve empolgar muito. Mas o momento nem é de validar a qualidade técnica do time. É de somar pontos! Largar com folga para se distanciar do rebaixamento e o G-8 ser consequência — um sonho possível para esse aguerrido time, aliás.

Por enquanto, o Norusca é o quarto, mas pode ser ultrapassado pelo São José, que joga à tarde. Na quarta (6/2), encara a Ferroviária fora, às 20h, num confronto direto pela zona de classificação. Com a volta de Magrão, Seixas deve retomar o esquema com três zagueiros — neste domingo foi de 4-4-2, pois sabiamente tem escalado o time de acordo com o adversário.

O Noroeste venceu o Catanduvense com Yuri; Mizael, Bonfim, Cazão e Adílson; Pedro, Paulinho, Deives e Nathan (Manu); Joãozinho (João Paulo) e Diego (Neto).

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *