Categorias
Noroeste

Noroeste não sai do zero pela terceira vez em quatro jogos na Copa Paulista

Samuel dá o combate: zagueiro trabalhou mais do que o centroavante

Direto do Alfredão

Quatro jogos, três placares de 0 a 0. Com exceção do bom jogo em Marília, os outros dois empates decepcionaram por serem diante da torcida – neste sábado, contra o América de Rio Preto, corajosas 314 testemunhas. O Noroeste chega a seis pontos na primeira fase da Copa Paulista.

Depois de um primeiro tempo sonolento em que os visitantes jogaram melhor – e ainda bem que Walter dá sequência à grande fase de goleiros noroestino. Chegadas alvirrubras, somente em chutes de fora da área, sobretudo com o volante Kasado (!)

No segundo tempo, o técnico Amauri Knevitz abriu um pouco mais o jogo, avançando a linha do meio-campo com a entrada de Romarinho. Mesmo assim, o centroavante Fernando Russi seguiu sem tocar na bola. Está isolado, o camisa 9. E olha que Diogo atua mais adiantado do que atuava Leandro Oliveira.

A pouca ofensividade dos laterais noroestinos foi questionada na coletiva. “A orientação é o lateral passar e receber, mas hoje não consegui aproveitar nossa posse de bola para ela chegar, não dava tempo de desenvolver a jogada de fundo”, justificou Knevitz na coletiva, ao microfone de Jota Martins, da 87FM/Jornada Esportiva (a cabine de imprensa escrita é muuuito longe da sala de imprensa, compensa mais confiar na pergunta dos colegas e colher as aspas).

Já se fala em uma certa “síndrome de mandante” nesse início de Copinha. Quer ver o Norusca jogar bem? Vai ter que queimar o chão.

O Noroeste empatou com o América com Walter; Bira, Lima, Samuel e Ralph; Kasado, Johnnattan (Cesinha), Giovanni (Romarinho) e Velicka; Diogo (Daniel Grando) e Fernando Russi.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *