Categorias
Noroeste

Memória alvirrubra (1)

Estreia a seção que vai relembrar grandes momentos da história do Norusca

A dinâmica desta nova seção do Canhota 10 será esta: a foto é publicada na fan page, com link para o texto do blog. Lá no Facebook, a galera se diverte adivinhando o craque (ou escalação) da imagem, de que ano é, qual campeonato, etc. Depois, vem para o C10 conferir a resposta.

Pois bem. O personagem de estreia é o zagueiro Amarildo. Ele veste essa épica camisa da Dellerba, com patrocínio da Tilibra, posando como reforço para o Paulistão de 1992. A foto (de Nelson Coelho) é do Guia do Campeonato Paulista da revista Placar.

Amarildo já havia defendido o Norusca naquele inesquecível time de 1987, que tinha Éverton, Márcio Araújo, Chico Spina e Rodinaldo. O zagueiro, que ficou conhecido no Palmeiras (vice estadual de 1986), retornava a Bauru depois de passagem pelo Leixões, de Portugal. Outros reforços daquela temporada: o lateral-direito Jorge Raulli (que mais tarde seria auxiliar de Paulo Comelli na Vila Pacífico), o meia Zé Rubens (atual coordenador da base alvirrubra) e o atacante Sergio Clavero (até outro dia técnico do sub-20). Turma comandada por Marco Antônio Machado.

Aquele time de 1992 figurava entre os grandes. Fazia parte do grupo verde, que classificava seis para a fase final, enquanto outras 14 equipes (entre elas Marília e XV de Jaú) do grupo amarelo disputavam apenas duas vagas — de lá brotou o carrossel caipira do Mogi Mirim. O Alvirrubro terminou em nono lugar, com nove vitórias, sete empates e dez derrotas em 26 jogos. Contra os grandes, venceu uma (1 a 0 sobre o Santos, no Alfredão), empatou quatro (duas vezes com o Corinthians, uma com o Palmeiras e uma com o Santos, todas por 0 a 0) e perdeu três (Palmeiras 3 a 0; São Paulo 1 a 0, no Alfredão, e 6 a 0 (!) no Morumbi, cinco de Raí — lembrando que o Tricolor era campeão da América e venceria a final daquele Paulista logo depois de trazer o Mundial de Tóquio).

No semestre anterior, o Noroeste havia disputado a Série B do Brasileiro e, por muito pouco, não chegou à elite nacional (naquele ano, 12 clubes subiram). Perdeu o último jogo, em casa, para o União São João (2  a 0). O sonho nunca esteve tão perto…

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *