Categorias
Noroeste

Edinho Machado atribui permanência no Noroeste aos jogadores

Após a primeira vitória, técnico Edinho Machado afirma ter permanecido no Noroeste a pedido dos jogadores

Conforme relatei na crônica da primeira vitória noroestina nesta Copa Paulista, o técnico Edinho Machado está aliviado — ao apito final, palavrão de desabafo e aquela benzida básica.

Depois que saiu do vestiário, concedeu entrevista à imprensa, descontraído entre os jornalistas e mais ainda entre colegas do clube. Brincou, deu risada, estava solto, sem o peso dos cinco jogos sem vitória que antecederam os 2 a 0 sobre o Monte Azul.

Mantido no cargo pelo presidente Anis Buzalaf, a despeito do desejo do gestor Fabiano Larangeira, Edinho não economizou nas palavras durante a coletiva. Trazido pelo empresário gaúcho, hoje ele parece afastado de quem lhe confiou o cargo há algumas semanas. E deu o recado: quer melhores condições de trabalho para o grupo, que, garante, pediu sua permanência.

“Espero que esse jogo de hoje tenha sido um marco para o Noroeste. De maneira nenhuma pensei em sair, como disse a cogestora. Mesmo sem a mínima estrutura, ganhamos, os jogadores se empenharam. Eles estavam pedindo a minha permanência”, revelou.

Acompanhando a partida atrás do banco de reservas, pude perceber o diálogo entre Edinho e jogadores. Parece mesmo haver cumplicidade. Ele dá bronca, cobra posicionamento e é atendido. Sua demissão seria mesmo precipitada, levando em consideração o turbilhão de fatos negativos ao redor do elenco. Deixemos a turma trabalhar, eles são o menor dos problemas em Alfredo de Castilho.

E como têm que trabalhar: os próximos quatro jogos, sendo três fora de casa, serão difíceis. Apesar da euforia da primeira vitória, a situação noroestina ainda é incômoda na tábua de classificação da Copa Paulista.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *