Categorias
Coluna

Papo de Futebol: coluna da semana

Fernando BH mantém a toalha jogada como jornalista, mas acredita como torcedor!

Texto publicado em 4 de abril de 2011, no jornal Bom Dia Bauru

Já era? Que nada!

A vida do Noroeste continua difícil, mas a boa vitória sobre a Portuguesa, fora de casa, faz ressurgir uma esperança que parecia ter morrido antes dos últimos. Há uma semana, este colunista jogou a toalha, após semanas de insistente defesa de um time que não é tão medíocre como dizem. Jogou porque a tabela era ingrata. E mantém o pano na lona, pra ser coerente.

Ao mesmo tempo, este torcedor passeou orgulhoso no domingo com sua camisa alvirrubra. Quer que a coerência se exploda por aí. Quer que venha uma vitória improvável e emocionante sobre o São Paulo. Que Lucas se esqueça por um dia como é bom de bola, que Rogério Ceni volte a ver um chute de Vandinho balançar as redes – como em 2007 e 2008.

Jorge Saran, o herói da vez, deve assistir com muita atenção duas partidas. A derrota noroestina para o Palmeiras, para identificar os buracos que o time cedeu aos alviverdes quando cansou. E a vitória do São Paulo sobre o Mirassol, ontem, para estudar como neutralizar o brilhante Lucas e como conter os avanços de Juan pela esquerda.

Correndo errado
O menino Diego tem chance de emplacar em um bom time da Série B nacional, pelo menos. É raçudo, sabe driblar e faz seus golzinhos – apesar do jeito desengonçado de chutar a gol, como foi contra a Lusa. Mas o cabeludo precisa conhecer melhor seus limites. Não há jogo que não corra como um louco e saia substituído, sofrendo com câimbras. Isso desde a Copa Paulista, diga-se.

Correndo certo
Assim como Diego, Gustavo Henrique foi outra grata surpresa na Copinha. Garantiu seu lugar no Paulistão, foi escalado e ficou quietinho em quase todas as partidas, além de quebrar o galho na direita. Quando teve sua primeira chance na lateral-esquerda, não decepcionou. Que seja mantido.

Novo velho herói
Torcedores aclamam o ex-presidente noroestino Cláudio Amantini – da famosa foto ajoelhado no acesso de 1970 –, que mobilizou a rubraiada para apoiar o Norusca no Canindé. Não deixa de ser emblemático, afinal, se o clube se salvar do rebaixamento, não será Damião Garcia o nome exaltado. Por mais heroica que possa ser essa fuga, já está claro para os alvirrubros que não terá sido feita mais do que a obrigação.

Grande Verdão!
Vila Belmiro, Neymar, Ganso… Nada disso assustou ou Palmeiras, afinal, líder do campeonato não pode temer ninguém. Ainda mais quem tem a defesa que ninguém passa. Apesar de baseado em forte marcação, não é um time de pouco talento. Patrik está tão bem na armação a ponto de ninguém se lembrar de cobrar o retorno de Valdivia, novamente no departamento médico. E a equipe vai melhorar: para o Brasileirão, Felipão contará finalmente com um camisa 9 de ofício (Wellington Paulista) e com um bom zagueiro para substituir Danilo, que vai embora no meio do ano – Gustavo Bastos, do Mirassol.

Vem logo, Muricy
Acho que o homem já descansou o suficiente. Se Muricy Ramalho vai mesmo assumir o Santos, que comece logo a trabalhar, pois o time está precisando. Um desafio e tanto para a imagem imaculada do treinador: não vacilar no Paulistão, nem sair precocemente da Libertadores. No Brasileirão, com o elenco que terá nas mãos, brigará por seu quinto título em seis anos.

E como Arouca faz falta! Outro nome que faria o Peixe voltar a jogar bem é Dorival Junior. Mas, da forma como saiu ano passado, além de ainda estar prestigiado no Galo, parece ser só um sonho.

Atualizado: apurei mais tarde, depois de a coluna publicada, que o secretário de esportes Batata e o vice-presidente do Noroeste, João Bidu, também contribuíram para a viagem da torcida ao Canindé, ao lado de Amantini. O Noroeste cedeu os ingressos, com a ajuda de colaboradores.

Atualizado 2: cometi o grande equívoco de citar Lucas como perigo tricolor, mas o camisa 7 são-paulino está suspenso e não enfrenta o Norusca…

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

4 respostas em “Papo de Futebol: coluna da semana”

Correndo errado : Os seus comentários sobre o Diego demonstram que você não sabe “nem a metade da missa”. Precisa melhorar suas informações.

Correndo certo : Atualize-se, ainda há tempo. Poderá salvar o seu diploma. Tente conversar com técnico ou jogadores para saber mais.

PC

Não havia publicado ainda porque estive longe do computador por algumas horas, meu caro. Críticas fazem parte do meu trabalho e as respeito. Mesmo sob tal deselegância. Grande abraço e continue visitando o Canhota 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *