Categorias
Bauru Basket

Contra o Palmeiras, Paschoalotto Bauru retoma NBB como sempre: vencendo

Paschoalotto Bauru retoma NBB de olho no título e quebra recorde de vitórias consecutivas na 1ª fase

Esse era um jogo, confesso, que temia pelo fim da invencibilidade. Não pela ressaca do último título, mas porque o Palmeiras é dos adversários mais encardidos, sobretudo jogando em seu ginásio. E porque já havia vencido o Paschoalotto Bauru duas vezes nessa temporada, ambas no Campeonato Paulista. Mas o Dragão conquistador da América não deu chances, dominou a partida de ponta a ponta e venceu por 77 a 65. Foi a 21ª vitória consecutiva, registrando recorde no NBB numa fase de classificação. O líder do campeonato agora soma 24 triunfos em 26 jogos, líder absoluto.

Hett: mais uma vez cestinha. Fotos: Henrique Costa/Bauru Basket
Hett: mais uma vez cestinha. Fotos: Henrique Costa/Bauru Basket

BOLA QUICANDO
Bauru começa dando carteirada de multicampeão, abrindo diferença com Murilo inspiradíssimo: os oito primeiros pontos do time são dele. O Alviverde de Neto tenta reagir, mas dois triplos de Hettsheimeir garantem o primeiro quarto, 19 a 15. No segundo período, reaparece a mão quente de Day, Gui faz ponte aérea de cinema, Alex faz bom jump. Larry entra bem, Day guarda mais uma e pronto: a fração de 22 a 16 garante uma dianteira que decidiria a partida: 41 a 31.

O Palmeiras retorna disposto a reagir e, como diz o cronista, começa a gostar do jogo. Até Guerrinha pedir tempo, cobrar os cobras. “É hora de matar o jogo”, pede o treinador. Hett atende, com outra bolaça de fora. No vaivém do placar, o chute de Day no estouro do cronômetro ajuda a abrir mais quatro pontos (21 a 17), 62 a 48.

Incansável e movido pelas broncas de Régis Marrelli, o Verdão abre parcial de 7 a 2 e reacende a torcida. Mas o Especialista, em noite inspirada, contém a euforia no Palestra. E quando, por instantes, a diferença fica menor do que dois dígitos, é a vez de Guerrinha falar grosso. O Dragão deslancha, com Ricardo, e fecha bem a partida em 77 a 65 (15 a 17 no último quarto).

ABRE ASPAS
Entrevistas ao repórter Chico José (Auri-Verde/Jornada Esportiva):

“A gente tinha que manter o foco. Aquele campeonato já acabou. Queremos terminar em primeiro no NBB. Conseguimos defender e atacar pacientemente. Foi uma vitória importantíssima, porque muitos times perdem aqui”, disse Ricardo.

“Eu aproveitei minhas oportunidades hoje. Estava mais livre que em outros jogos e procurei mais o jogo também. Estamos acostumados de esquecer o ontem e olhar para frente. Nosso projeto é ganhar o NBB”, comentou Day.

“A gente teve o controle do jogo, principalmente defensivamente. Não estávamos tão inspirados ofensivamente, é natural, mas teve a tranquilidade para garantir a vitória. Todo jogo pra gente é como se fosse o último e o primeiro, o resultado é consequência. Se tiver que perder, ninguém é invencível. Nosso objetivo não é ser recordista, mas terminar em primeiro lugar”, avaliou Guerrinha, que comemorou o cancelamento do Interligas. “Já tivemos muito intercâmbio este ano!”

NUMERALHA
Canela: 15 pontos, 5 rebotes
Ligeirinho: 14 pontos, 5 rebotes, 8 assistências
Roberdei: 14 pontos, 3 rebotes
Brabo: 11 pontos, 3 assistências
Pai do Biel: 10 pontos, 9 rebotes
Alienígena: 10 pontos, 5 assistências

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *