Categorias
Bauru Basket

Bauru vence Minas em BH e assume vice-liderança do NBB

Paschoalotto Bauru triunfa na prorrogação e toma a segunda posição do time mineiro no NBB

Time forte é assim: busca a vitória no detalhe, no erro do adversário. O Minas mostrou mais uma vez porque é a sensação do NBB, engrossou bastante, mas prevaleceu a experiência (e o calibre) do Paschoalotto Bauru, que venceu, na prorrogação, por 84 a 79. Com o resultado, o Dragão toma a vice-liderança (cinco vitórias em sete jogos) dos comandados de Demétrius e parte para o Triângulo Mineiro em busca de uma vitória para deslanchar na competição — encara o Uberlândia, na quinta (11/dez), às 20h.

O JOGO
Todos os quartos foram parelhos, em nenhum momento algum time despontou no placar. No primeiro quarto, Shilton dominou o garrafão mineiro, em bom duelo com Jefferson William. O Minas fechou o primeiro quarto dois pontinhos na frente: 13 a 15. No segundo, foi a vez de Ansaloni trabalhar bem embaixo da cesta, bem servido por Danilo Siqueira. O contraponto ao ala-armador Mineiro foi Gui Deodato, em boa participação na parcial que terminou com um pontinho a mais para Bauru (21 a 20), fechando o primeiro tempo em 34 a 35.

No retorno, a partida seguiu lá e cá. Do lado de cá, Hettsheimeir, o Senhor Segundo Tempo, anotou providenciais dez pontos no terceiro período, incluindo duas bolas de fora. Coube a Henrique Coelho — ótimo, esse moleque! — e Collum segurarem o placar à unha: parcial de 18 a 17 para os bauruenses e partida empatada. No último quarto, emoção no ginásio da Rua da Bahia, no charmoso bairro de Lourdes, que merecia estar muito mais cheio, tamanha emoção: Ricardo abriu um ponto de vantagem ao converter bola de três, Alex (ex-Dragão) sofreu falta com o cronômetro praticamente zerado e poderia vencer o jogo, mas desperdiçou um dos lances livres. Ufa, fração de 21 a 21, contagem em 73 a 73 e tempo extra.

Na prorrogação, valeu a experiência. Bauru três pontinhos, administrou e, quando o Minas ameaçou, liquidou a fatura em chute de Jefferson no estourar da posse de bola. Decisivo, o camisa 1, como sempre. Grande vitória de quem persegue a liderança, na casa de quem pretende marcar território na parte de cima da classificação.

NUMERALHA
Rafael Hettsheimeir: 24 pontos, 4 rebotes
Ricardo Fischer: 19 pontos, 5 rebotes, 8 assistências
Jefferson William: 14 pontos, 6 rebotes, 2 tocos
Larry Taylor: 11 pntos, 5 rebotes, 2 bolas roubadas
Alex Garcia: 5 pontos, 10 rebotes, 3 assistências

ABRE ASPAS
Declarações ao dorminhoco Luiz Lanzoni (Jornada Esportiva/Auri-Verde)

“O Minas vive um momento muito bom. Viemos concentrados para esse jogo forte, foi uma importante vitória. Qualquer jogador do time pode aparecer a qualquer momento, pois jogamos com confiança”, resumiu o cestinha da partida, Rafael Hettsheimeir.

“Jogamos muito bem. Jogar no Minas é difícil, o time deles está de parabéns pelo trabalho, é muito bem montando pelo Demétrius. Soubemos cadenciar o placar para beliscar no final e tivemos duas oportunidades. Na primeira, permitimos a prorrogação para eles. Na segunda, aproveitamos a segunda bola. Nosso objetivo é terminar em primeiro na fase de classificação”, comentou o ala-pivô Jefferson William.

“Foi um jogo duro. Ganhamos, mas eles poderiam ter ganhado. Não jogamos mal, mas não fomos bem no ataque por conta da defesa deles. Estamos com mais cansaço, o Murilo voltando, sem o Day… A partida caminhou para não inventarmos muito. Foi um jogo fantástico, o Minas está de parabéns, jogou de igual para igual com um time experiente. E nosso jogo foi de espírito vencedor, de acreditar”, avaliou o técnico Guerrinha.

Ricardo: bola decisiva no quarto período. Fotos de Henrique Costa/Bauru Basket
Ricardo: bola decisiva no quarto período. Fotos de Henrique Costa/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *