Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru perde em Limeira e sai do G-4 do NBB

Paschoalotto Bauru perde para o líder Limeira, cai para a sexta posição, mas com jogos a menos

Água no chope, faixa carimbada, termos que Limeira pode mesmo curtir ao vencer o campeão sul-americano. Ainda mais liderando o NBB7 de forma invicta com sete vitórias. Tudo certo. Mas vale uma ressalva para o Paschoalotto Bauru, que sucumbiu por 77 a 71 para os comandados de Dedé: apenas oito jogadores à disposição de Guerrinha — molecada na Liga de Desenvolvimento — e Ricardo ainda saiu com corte no supercílio.

Com pouca rotação, o Dragão, que controlou a diferença no placar cirurgicamente nos três primeiros quartos, sucumbiu na fração derradeira. Uma derrota que tem circusntâncias — além da falta de banco jovem, a contusão no joelho de Robert Day, que só volta em 2015 — mas que serve como combustível, aprendizado. A derrota para Brasília na estreia, apurei, foi fundamental para aumentar a motivação da equipe na decisão continental.

Tem muito chão pela frente, a final dos Jogos Abertos certamente atrapalhou e é difícil evitar a ressaca, sobretudo depois de um título tão relevante. Mas fica nisso. É preciso bater Rio Claro na sexta. As partidas contra Minas, sensação até aqui, e Uberlândia, que anunciava-se modesto, mas apresentou-se encardido, serão bons testes para Bauru. Bobear agora significará pedalar por melhor lugar nos playoffs. E nada menos do que top 2 vale para esse timaço, convenhamos.

NUMERALHA
Larry Taylor: 23 pontos, 4 rebotes
Alex Garcia: 19 pontos, 7 rebotes, 3 assistências, 2 bolas roubadas
Murilo Becker: 9 pontos, 4 rebotes
Rafael Hettsheimeir: 8 pontos, 3 rebotes
Jefferson William: 7 pontos
Ricardo Fischer: 5 assistências

ABRE ASPAS
“Foi um jogo intenso, muito disputado e infelizmente eles levaram a melhor. O jogo já ficou para trás e agora é pensar na sequência do campeonato que sexta-feira temos outro jogo”, comentou o armador Larry Taylor, via assessoria.

 

Foto: Henrique Costa/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *