Categorias
Bauru Basket

Zebra na Panela: Paschoalotto Bauru perde para o lanterna Lins

Em casa, Paschoalotto Bauru permite a Lins conquistar sua primeira vitória no Paulista

(Direto da Panela) No dia em que Murilo voltou, Robert Day ficou de fora — lesão parcial no ligamento colateral do joelho direito. A fase de classificação tem sido mesmo uma provação para o Paschoalotto Bauru. Mas nem os desfalques, nem a sobrecarga de minutos tiram a perplexidade do resultado dessa noite de quinta: o Lins/Basquete Cearense venceu sua primeira partida em nove disputadas, por 84 a 79. O resultado obriga o time bauruense a vencer Franca, no sábado (18h, em casa) para garantir o segundo lugar no grupo A pelo confronto direto — hoje, os francanos somam seis vitórias, enquanto Bauru estacionou na quinta.

Não se pode desprezar essa derrota para o lanterna, pois ela traz ensinamentos: é preciso ter intensidade o tempo todo, cochilar pode ser fatal. Outra coisa: por pior que seja a arbitragem, a chiadeira não minimiza os erros que foram os principais responsáveis por essa zebraça.

O JOGO
Lins tratou logo de esticar diferença no placar. Gui Deodato tentou em vão os três primeiros ataques, enquanto tudo caía das mãos de Erick, seja de fora ou de perto da cesta. Na metade do período, dez pontos separavam visitantes de mandantes e só Mathias havia pontuado. Aí, Jefferson apareceu em cena e Murilo Becker estreou no Paulista – ambos fizeram 11 pontos, mas não diminuíram muito o prejuízo. Vitória parcial de Lins, 25 a 17.

No segundo quarto a situação demorou a mudar. Os linenses chegaram a abrir 15 pontos, com Jefferson Socas infiltrando com facilidade. Àquela altura, Fernando Fischer já havia pontuado em seu retorno à Panela, mas também levado um toco gatuno de Carioca. O jovem armador tentou impor correria à partida, mas o time precisava mesmo era de paciência. Trabalhando pouco a bola e chutando (e errando) muito de fora, os sete pontos atrás ao final do primeiro tempo (39 a 32) ficaram de bom tamanho para buscar a reação.

Na retomada, um esboço da superioridade bauruense. Em questão de três minutos, o Dragão havia virado o placar, tempo em que Lins ficou sem pontuar. Em busca de sua primeira vitória, a turma de Bial (ausente para comentar o Mundial pelo Sportv) mordia cada bola, o que gerou disputas ríspidas, reclamações e mais holofote do que a arbitragem precisa. Conversando muito e ainda devendo no jogo, Bauru terminou atrás ao soar do cronômetro (52 a 50).

Chegada a hora de fazer valer sua força, os alvilaranjas até começaram bem. Carioca, que não deixou Fischer em paz, roubou a bola e cravou pra inflamar o time. Mas duas bolas de três seguidas mantiveram Lins na briga, que não arredava o pé da liderança do placar, com Bauru perseguindo a duras penas, de olho no cronômetro. Ricardo chamou a responsabilidade e protagonizou a partir daí, acertando bolas de fora, errando outra, sofrendo falta e saindo estourado por cometer cinco. O camisa 5 se irritou com a vibração dos visitantes no banco (gesticulando algo como “Aqui não!”), mas quem não vibraria ao finalmente sentir o sabor da vitória? Que os guerreiros voltem a saboreá-la no sábado.

NUMERALHA
Ricardo Fischer: 25 pontos, 8 assitências
Jefferson William: 16 pontos, 6 rebotes
Murilo Becker: 15 pontos, 4 rebotes
Thiago Mathias: 10 pontos, 10 rebotes

ABRE ASPAS
“Não podemos perder. Simplesmente não podemos. Eles jogaram bem, nós jogamos mal. Não desmerecendo Lins, mas eles já estão fora do campeonato… Nós queremos algo mais e isso não pode acontecer. Agora é esquecer porque sábado temos que ganhar bem para começar os playoffs. O único ponto positivo é que demos minutos para o Murilo, porque vamos precisar deles. Mas não há muito o que falar. Acho que desprezamos, depois não conseguimos correr atrás, pelo cansaço”, avaliou, honestamente, o armador Ricardo Fischer.

“Voltei na terça, treinei duas vezes e hoje de manhã estava com as pernas cansadas. Fiz um trabalho para recuperar e acho que fui melhor do que imaginava. Deu para tirar a ansiedade e agora é encarar um jogo decisivo. Tenho certeza que vamos entrar contra Franca muito mais focados do que entramos hoje. Essa derrota vai ajudar. Aconteceram lances que temos que cobrar, conversar e que servem como lição para as próximas partidas”, comentou o pivô Murilo.

“Precisamos tirar uma lição dessa derrota. Começamos muito mal o jogo, com uma defesa fraca fisicamente e aceitando cortes, bolas de três, rebotes… Depois, correr atrás o desgaste é maior. Tivemos que dividir o tempo do Mathias e do Murilo. Fica difícil achar que pode ganhar a qualquer momento”, ponderou o técnico interino Hudson Previdelo.

“Esse retorno à Panela é estranho. Ainda estou com o coração amargurado. Dei até aquela choradinha no vestiário… O carinho da torcida me faz falta pra caramba… Teve gente que veio aqui hoje pra me ver jogar. É difícil adquirir esse respeito e isso não tem preço”, disse o ala Fernando Fischer, em seu reencontro com a torcida bauruense na Panela de Pressão.

ROBERT DAY
O ala Robert Day sofreu uma pancada no joelho direito em treinamento, mas a lesão não preocupa em relação a cirurgia. Serão até três semanas de fisioterapia intensiva para o norte-americano voltar nos playoffs.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *