Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru vence Capitanes e altitude na estreia da Liga das Américas

Em noite discreta, mas eficiente, Paschoalotto Bauru supera Capitanes e dá importante passo para a segunda fase

lda2015A expectativa era ser um jogo difícil, o primeiro tempo deu a entender facilidade, depois os colombianos apertaram, mas venceu o melhor, pra variar. Em sua estreia na Liga das Américas 2015, o Paschoalotto Bauru venceu o Capitanes de Arecibo, de Porto Rico, por 82 a 71 e deu um importante passo rumo à classificação — a partir da hipótese de que tratava-se do adversário mais complicado.

O desempenho bauruense não foi de encher os olhos, mas considerando-se a altitude, o desconhecido adversário — por mais que se estude, é diferente de encarar um rival habitual, do próprio país — e o nível internacional, a vitória é um alívio e um prêmio à preparação bem planejada. E, convenhamos, esse time acostumou mal os torcedores. Não vai ter show todo dia. Entretanto, mesmo em noite discreta, a vitória é rotina. Neste sábado, também às 21h, o adversário será o Trotamundos, da Venezuela, que venceu os anfitriões (Patriotas) por 98 a 88. Duelo de líderes, portanto. Com Sportv? Provavelmente não… Mas tem Jornada Esportiva, como sempre. E no LiveBasketball.tv, US$ 8 resolvem a parada.

BOLA QUICANDO
Logo de cara, Bauru mostra que a noite não seria das mais felizes nos chutes de fora. Do perímetro, só cai com Larry e Gui no minuto final — a do Batman, aliás, em contra-ataque elogiado pelo narrador gringo (“That´s it: transition basketball!”). Ninguém atua todos os dez minutos do primeiro quarto, evidentemente uma cautela inicial por conta do ar rarefeito. Se o ataque não inspira, a defesa se destaca, gastando faltas e parando os colombianos, o que garante a diferença inicial de 20 a 13.

No segundo período, a bola longa começa a cair, da mão do Brabo! Alex Garcia guarda três de fora, dá trabalho também nas infiltrações e o Dragão consegue abrir vantagem. Larry segue bem na partida, costurando a defesa do Capitanes, enquanto Jefferson domina o garrafão. A boa parcial de 25 a 14 dá a impressão de que viria um passeio no segundo tempo: 45 a 27.

Melhor guardar a euforia. Depois de uma linda investida de Ricardo (cesta mais bonificação), os erros se sucedem. O norte-americano Ahearn comanda a reação hermana e, a 6min do fim, a diferença já não marca dois dígitos. Não fossem dois chutes certeiros de Hettsheimeir, a coisa ia complicar. Parcial de 14 a 23 e atenção redobrada para o último ato.

“He is in a hot, hot day”, empolga-se o narrador com a mão certeira de Rétsvaier, segundo sua pronúncia. O Paschoalotto consegue conter a reação do Capitanes e manter a diferença sob controle. Murilo, que havia errado uma cravada no terceiro quarto, desta vez afunda sofrendo falta e vibra muito. Robert Day, em dois lances livres, faz as pazes com a redinha — cold day for him, mas nada como um dia após o outro. Os colombianos tentar conter os avanços dos guerreiros com faltas e de lance livre em lance livre, pausas e fôlego renovados para o próximo desafio. Fração equilibrada, 23 a 21, e vitória importante por 82 a 71.

ENTERROU, LARRY!
Na crônica da partida contra o Flamengo, brinquei que Larry Maravilha  teve “humildade em cesta” e não enterrou num contra-ataque — logo ele que tem tanta plasticidade nesse quesito. Nessa noite, entretanto, ele voou para  a cesta, de mão trocada. Coisa linda.

Belo clique de Henrique Costa/Bauru Basket
Belo clique de Henrique Costa/Bauru Basket

ROUPA NOVA
No dia 21 de janeiro o Canhota 10 mostrou as opções de uniforme que Bauru teve para escolher sua farda para esta LDA. Já estava decidido, mas o anúncio só viria agora. Pedi a opinião do leitor e o gosto bateu com o da diretoria: 51% da galera escolheu a combinação em preto e branco, com detalhes em laranja. Ficou bonito mesmo.

NUMERALHA
Hett Canela: 23 pontos, 5 rebotes
Brabo: 14 pontos, 5 rebotes, 7 assistências
Alienígena: 13 pontos, 5 rebotes, 3 assistências
Ligeirinho: 10 pontos, 4 rebotes, 4 assistências
Jé: 8 pontos, 7 rebotes
Murilaço, o pai do Biel: 5 pontos, 5 rebotes, 4 assistências, 2 roubos de bola
Batman: 5 pontos
Roberdei: 4 pontos, 3 rebotes
Balothias: 4 rebotes, 1 roubo de bola, 1 toco

 

Foto topo: Felipe Caicedo/Fiba Americas

camisa-guerrinha-brasil

Quer ganhar a réplica da camisa que o Guerrinha usou na conquista do ouro no Pan de 1987? CLIQUE AQUI e saiba como concorrer

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *