Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru vence Trotamundos e está na segunda fase da Liga das Américas

Sem dificuldades, Paschoalotto Bauru supera Trotamundos, com direito a triplo-duplo de Alex Garcia

lda2015Sim, está. Matematicamente, enquanto escrevo, Capitanes e Patriotas estão jogando, vitória dos colombianos adia minha manchete, mas não há o que temer. O Paschoalotto Bauru bateu os dois times mais fortes do grupo e pode dormir tranquilo.Neste sábado, bateu o Trotamundos, da Venezuela, por 92 a 68. Destaque para o triplo-duplo de Alex Garcia, a reação de Robert Day e mais uma partida consistente de Jé, Hett e Larry.
Atualizado: o Capitanes venceu o Patriotas, o que garantiu matematicamente a vaga do Dragão.

Vai fechar o grupo D com três vitórias, contra altitude e tudo. Neste domingo, às 23h15 (horário de Brasília), finalmente com transmissão ao vivo do Sportv2, encara os donos da casa, o Patriotas de Boyacá.

BOLA QUICANDO
O Dragão começa de fuça fumegante. A 5min20 do fim do primeiro quarto, o placar mostra 15 a 2, com três bolas de fora convertidas de quatro tentadas. Os venezuelanos também são bons de fora, tentam reagir, mas Robert Day dá a resposta. Larry entra bem, Murilo idem e o primeiro quarto termina com um passeio de 30 a 13, premiado por uma bola de Roberdei no estouro do cronômetro.

No segundo período, Bauru segue abrindo diferença, com Jefferson William inspirado e ganchinho de Alex Garica, que não poderia faltar… O norte-americano Lewis tenta tirar o prejuízo, ma outra fração folgada (21 a 15) leva para o vestiário uma diferença tranquila, de 51 a 28.

Sem nada a perder, o Trotamundos torna-se mais agressivo no terceiro quarto, permite apenas dois pontos bauruenses nos três primeiros minutos. Ricardo erra dois passes longos, Glenn crava com força para buscar reação e Guerrinha para o jogo para alertar seus comandados: “O ataque está parado e a defesa está uma m…”. A parcial é venezuelana, 18 a 26, mas a diferença ainda está em dois dígitos: 69 a 54.

O último período começa truncado, a ponto de uma senhora que trabalha enxugando a quadra é atropelada por Lewis… Nesse lá e cá, os guerreiros conseguem manter a diferença. Oportunidade para Gabriel e Carioca entrarem em quadra, ao lado de Gui, Mathias — Matáias, na pronúncia gringa… — e Alex. No fim das contas, o Dragão consegue deslanchar na fração (23 a 14) e aumentar um ponto de diferença em relação ao primeiro tempo.

Reprodução LiveBasketball.tv
Reprodução LiveBasketball.tv

ABRE ASPAS
O craque Alex Garcia concedeu entrevista à cobertura pós-jogo da Fiba Americas: “Marcamos muito bem no primeiro tempo, conseguimos garantir o rebote e contra-atacar, que é o nosso forte. Abrimos vantagem e no terceiro quarto perdemos um pouco do ritmo, mas soubemos administrar até o final. Nossa equipe tem muitas opções de ataque, tanto penetrando, quanto no tiro de três. A gente sabe escolher muito bem, ter tranquilidade e ver o melhor jogador para arremessar”, disse o camisa 10, que comentou seu triplo-duplo. “Nas assistências, como temos muitas opções de ataque, acabam sendo fáceis. Sou um jogador mais velho, tenho visão de jogo melhor e consigo achar quem está melhor posicionado. Os rebotes são uma característica minha. E nos pontos, tento fazer o meu melhor”, complementou o Brabo, que chegou à marca de 39 jogos em Liga das Américas.

NUMERALHA
Jefferson William: 23 pontos, 9 rebotes
Murilo Becker: 15 pontos, 3 rebotes, 1 toco
Larry Taylor: 13 pontos, 2 rebotes, 2 assistências
Alex Garcia: 12 pontos, 10 rebotes, 10 assistências
Rafael Hettsheimeir: 11 pontos, 6 rebotes, 2 assistências, 2 roubos de bola
Robert Day: 8 pontos, 3 rebotes, 2 roubos de bola (nada como um dia após o outro!)
Ricardo Fischer: 6 pontos, 4 assistências, 4 rebotes
Mathias: 2 pontos, 3 rebotes

 

Foto: Felipe Caicedo/Fiba Americas

camisa-guerrinha-brasil

Quer ganhar a réplica da camisa que o Guerrinha usou na conquista do ouro no Pan de 1987? CLIQUE AQUI e saiba como concorrer

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *