Categorias
Bauru Basket

Análise: como chega o Gocil Bauru Basket para o NBB 9

O NBB 9 vai começar! Canhota 10 analisa números do Dragão

retranca-bauru-basketDê-me minutos, que lhe devolvo números. Pode não ser uma verdade absoluta no basquete, mas, na maioria dos casos, as estatísticas mostram que a oportunidade gera o resultado. As maiores provas disso são os dois estreantes da tarde de hoje, na abertura do NBB 9 (14h), quando o Gocil Bauru recebe o Flamengo na Panela de Pressão. O armador Gegê e o ala Gui Deodato desgarram-se do rótulo de promessas e, aos 25 anos — já não são garotos faz tempo, aliás —, tiveram tempo de quadra em Rio Claro para alavancarem suas estatísticas.

E não são só eles. Quando tiveram que carregar o time de moleques no início do Campeonato Paulista, o ala Léo Eltink e o pivô Maicão não se intimidaram diante de veteranos. Léo Meindl finalmente assumiu vaga de titular no Dragão e mostrou que sabe como protagonizar partidas. Enfim, segue abaixo uma análise dos 12 principais jogadores do elenco alviverde (pode chamar assim agora?). A metodologia: comparar o histórico no NBB com as duas médias mais recentes, o NBB 8 e o Paulista. Bom NBB pra todo mundo!

ARMADORES

9 VALTINHOMINPTSREBAST
Histórico no NBB3210,43,55,3
NBB 8278,72,65,2
Paulista 2016275,83,14,1

O veterano armador, de 39 anos, ainda aguenta bons minutos. Seus números pelo Paulistano na última temporada ainda são animadores, só que no esquema bauruense ele não é tão agressivo ofensivamente. Mas segue garçom.

 

19 GEGÊMINPTSREBAST
Histórico no NBB183,81,72,7
NBB 8142,41,72,0
Paulista 2016309,53,63,7

Como disse acima, em Rio Claro mostrou que pode render mais do que a minutagem rubro-negra permitiu a ele nas últimas quatro temporadas. Será o desafogo de Valtinho, sem dúvida.

 

20 GUI SANTOSMINPTSREBAST
Histórico no NBB82,00,61,3
NBB 882,00,61,3
Paulista 2016154,61,70,7

Esperava-se que o NBB 9 seria o desabrochar definitivo dessa grande aposta do Bauru Basket, mas a chegada de Gegê adia um pouco. Mostrou confiança no Paulista, mas claro que ainda cometeu erros que só a ansiedade da juventude explica. Tem potencial, sobretudo em situações que exigem sua boa condição física — e o Paulista mostrou isso. Terá que dar a vida em quadra nos minutos que sobrarem.

ALAS

10 ALEX GARCIAMINPTSREBAST
Histórico no NBB3216,35,23,5
NBB 83013,65,04,3
Paulista 20163019,05,94,8

Este é impressionante. Continua pontuando em dois dígitos, pega mais rebotes do que muitos pivôs e dá mais assistências do que muito armador. Monstro. O Brabo será o termômetro da equipe ainda mais do que antes — e o protagonismo que assumiu no Paulista é a prova. Se continuar bem, será possível sonhar com mais uma final.

 

23 LÉO MEINDLMINPTSREBAST
Histórico no NBB2610,93,91,6
NBB 8239,44,51,9
Paulista 20163113,66,12,2

Uma temporada de muita expectativa para o filho do Paulão. Afinal, chegou a sua vez de ser peça-chave no quinteto. No estadual, respondeu à altura, com suas passadas largas e infiltrações. Que a sombra de Gui Deodato seja motivadora pra ele continuar crescendo e, consequentemente, ajudando o Dragão.

 

1 GUI DEODATOMINPTSREBAST
Histórico no NBB207,91,91,2
NBB 83415,02,92,5
Paulista 20163314,93,02,5

O Batman dará mais qualidade à defesa quando estiver em quadra e sua passagem por Rio Claro evidencia que também agregará em pontos. A questão será o aproveitamento, pois ele não poderá chutar tanto quanto tentava quando defendia a Cidade Azul. Gui terá que ser mais seletivo e mais eficiente.

 

8 LÉO ELTINKMINPTSREBAST
Histórico no NBB30,70,50,3
NBB 830,70,50,3
Paulista 2016186,03,60,8

O menino que começou no Palmeiras é o único sobrevivente de sua geração na base do Bauru. Aí já está um mérito. Espera-se que possa ter mais do que 3min para dar descanso aos colegas e evoluir seu jogo. No Paulista, deu pistas de que pode ser útil.

ALAS-PIVÔS

11 JEFFERSON WILLIAMMINPTSREBAST
Histórico no NBB2713,56,61,3
NBB 82613,35,51,4
Paulista 20163113,47,81,7

No caso do Jé, os números não mentem: sua média de pontos oscila em décimos! Isto é: o Dragão poderá cotar com uma pontuação em dois dígitos. No Paulista, oscilou bastante, mas mostrou que ainda pode ser um reboteiro de elite — prêmio, aliás, que já ganhou na Liga.

 

25 GABRIEL JAÚMINPTSREBAST
Histórico no NBB11,01,00,0
NBB 811,01,00,0
Paulista 201680,70,10,1

Uma pena que Jaú tenha quebrado a mão atuando pela base da Seleção e não tenha podido atuar na “fase molecada” no Paulista. Como não terá muitas oportunidades durante o NBB 9, terá que aproveitar a experiência também em outros aspectos, como observador, ouvindo conselhos… Mas que esteja preparado mentalmente se uma oportunidade surgir.

PIVÔS

30 R. HETTSHEIMEIRMINPTSREBAST
Histórico no NBB2916,35,91,0
NBB 82716,15,71,3
Paulista 20162916,17,01,2

O Canela ficou mais uma vez. Vou entregá-lo: um dia confidenciou pra mim que se aposenta aqui. Era num momento de empolgação de título, já faz dois anos isso, mas ele vem cumprindo. Vai saber se tem pescaria boa lá na Lituânia… Com médias muito regulares (e boas!), é ao lado de Alex o jogador fundamental para o sucesso bauruense.

 

6 SHILTONMINPTSREBAST
Histórico no NBB268,17,21,5
NBB 8287,57,02,1
Paulista 2016194,25,41,1

O Shiltão da massa não terá os minutos que desfrutava nos tempos de Joinville e, recentemente, no Minas. No Paulista, teve que fazer a importante faxina no garrafão, mas não foi muito efetivo na hora de atacar. Portanto, o pivozão não deverá ser muito notado nas estatísticas, mas certamente vai deixar muito suor na briga embaixo da cesta.

 

18 MAICÃOMINPTSREBAST
Histórico no NBB
NBB 8179,44,50,4
Paulista 2016

Depois se ser o principal jogador jovem no primeiro turno do Paulista — com números de gente grande —, Maicão foi se encolhendo à medida que os adultos foram entrando. E, compreensivamente, só esquentou banco nos playoffs. Agora, Demétrius terá várias ocasiões, durante as 28 partidas da primeira fase, em que será possível colocar o meninão em quadra. Voltemos à primeira frase deste texto: dê-me minutos, que lhe devolvo números.

 

Foto: Divulgação LNB

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *