Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru perde para o Flamengo e cai para nono

Paschoalotto Bauru não resiste ao líder Flamengo, chega a 13 derrotas em 26 jogos e cai para nono no NBB

Que seria muito difícil o Bauru Basket vencer o Flamengo no Rio de Janeiro, todo mundo sabia. Mas, depois da façanha do ano passado, vencendo por 15 pontos de diferença, não custava acreditar. O baixo desempenho ofensivo e a temerária condição da quadra, entretanto, corroboraram para a vitória rubro-negra por 85 a 66. Como resultado, o Dragão está com 50% de aproveitamento (13 vitórias em 26 jogos) e caiu para a nona posição — o Basquete Cearense bateu São José e está em oitavo. O confronto direto contra a turma de Fortaleza, no próximo dia 15, será decisivo; antes, também na Panela, os guerreiros enfrentam Mogi, dia 13.

Faltam seis partidas para o término da temporada regular e Bauru seguirá mesmo brigando por uma vaga entre sétimo e oitavo. No máximo, sexto. E, em caso de tropeço inesperado, até mesmo nono. Chega aquela hora de projetar prováveis adversários nos playoffs e desenha-se um encontro com cearenses ou francanos. A luta pela sexta posição seria primordial para fugir de Flamengo ou Brasília numa eventual fase de quartas. Mas, uma coisa de cada vez. O fato é que o que fez falta mesmo foi vencer o Macaé.

O jogo
A partida começou estranha, com muitos erros e pontuação pobre, sobretudo o Flamengo, desperdiçando chutes inclusive com o calibrado Marcelinho. Bauru levou a melhor (7 a 12), mas foi só. Com chuva forte lá fora, o ginásio do Tijuca sofreu com goteiras, que se misturaram à sujeira encrostada na quadra e formou-se o quiabo. Os rubro-negros, mais acostumados a esse sebo, deslancharam. Dali em diante, não deram chances aos bauruenses. Apenas no último quarto houve uma certa reação, não permitindo uma parcial elástica, mas insuficiente para diminuir a grande vantagem construída pelos atuais campeões nacionais — e finalistas da Liga das Américas.

Números
Ricardo Fischer: 22 pontos, 5 rebotes, 4 assistências
Murilo Becker: 14 pontos, 13 rebotes
Larry Taylor: 13 pontos

Abre aspas
“O Flamengo é um time melhor que o nosso e soube colocar isso em prática. Sofremos muito com o baixo rendimento de alguns atletas e isso foi determinante para que não conseguíssemos sair com uma vitória aqui”, comentou o técnico Guerrinha, via assessoria.

“Não tivemos uma boa atuação defensiva e no ataque nos precipitamos muito. O Flamengo é um bom time e depois que eles abriram ficou muito difícil buscar a diferença”, avaliou o armador Ricardo Fischer.

Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *