Tifanny marca 36 pontos, mas Vôlei Bauru perde mais uma no tie-break

Terminou a sequência dos cinco jogos dificílimos do Vôlei Bauru contra os times da ponta da classificação da Superliga feminina 2017/2018. Cinco derrotas, mas com três pontinhos preciosos em partidas decididas no tie-break. A última, contra o Barueri (25/20, 22/25, 25/15, 19/25, 13/15), na noite desta sexta, a mais doída, pois a equipe jogou bem, abriu 2 a 1, mas permitiu a virada. E segue sem vencer um tie-break…

Como diagnosticou o próprio técnico Fernando Bonatto ao microfone do repórter Chico José (Jovem Pan News), a equipe vem se comportando bem taticamente, mas não está sabendo decidir as jogadas cruciais e, consequentemente, fechar as partidas. No quinto set, foram três contra-ataque desperdiçados quando o placar marcava 13 a 13.

Mais uma vez, Tifanny foi muito acionada: 53 vezes, o dobro de Palacio (26). Isso, evidentemente, aumenta a chance de erros e a camisa 10 falhou nos lances decisivos da última parcial — momento em que, é sabido, está mais desgastada. Nada que desabone sua atuação, afinal, foram 36 pontos (e aproveitamento de 62% no ataque)! Parece mais uma questão tática, de depender menos dela e ter mais variedade ofensiva. Pelo lado do Barueri, a polonesa Skowronska anotou 24 pontos (acionada 41 vezes, aproveitamento de 59%). Vale destacar o retorno da central Thaísa, após dez meses de recuperação.



Agora, o Vôlei Bauru soma 26 pontos, podendo chegar no máximo a 31, mesma pontuação do Fluminense. Isto é: esqueçam o sexto lugar, pois o time carioca também tem dois jogos a disputar, um deles contra o lanterna Sesi Santo André… O São Caetano, com 22, está em nono, ameaça a classificação bauruense e haverá confronto direto na última rodada. Portanto, é bom as gigantes resolverem a parada antes, vencendo Valinhos na penúltima rodada.

O vestibular de Tifanny

No texto sobre os cinco jogos difíceis, opinei que Tifanny seria colocada à prova jogando contra as adversárias mais qualificadas. No quesito pontuação, passou com folgas. Anotou 132 pontos, uma média de seis por set! O número teria sido ainda maior não fosse a má atuação contra o Minas, quando marcou apenas seis. Nesse período, ficou ainda mais no olho do furacão. Tandara afirmou não concordar com sua participação na Superliga, enquanto a líbero Fabi disse não ter visto nada discrepante. O técnico do Sesc Rio, Bernardinho, defendeu o diálogo e mais estudos — o que vai de encontro ao que sugeriu o presidente do Vôlei Bauru, Reinaldo Mandaliti, em entrevista ao CANHOTA 10.

ENTREVISTA 10 começa com o Vôlei Bauru!

Nesta segunda, dia 19/fev, às 21h, estreia o programa ENTREVISTA 10. Começo entrevistando Paula Pequeno! Você pode acompanhar em live na fanpage do CANHOTA 10 ou pelo Canal Universitário (canal 14 da NET). A atração é uma parceria com a TV FIB.

 

Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto/Hinode

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *