Categorias
Noroeste

8 a 1 na Matonense: isso é que é dever de casa, Norusca!

Noroeste pegou o vice-lanterna e o respeitou da melhor forma: com bola na rede! Confira a opinião do CANHOTA 10 e entrevistas com os protagonistas.

Pegar um time da zona de rebaixamento, como mandante. Obrigação de vencer, isto é, “fazer a lição de casa”, como prega nossa senhora do clichê. Foi o que o Noroeste fez, com louvor: aplicou 8 a 1 na Matonense! Assim, estabeleceu-se na quinta posição ao chegar aos 25 pontos, abrindo quatro do nono colocado.

A partida foi um deleite para os pouco mais de 1,3 mil torcedores. Como a quantidade de público é termômetro do momento do time, a torcida estava desconfiada depois dos quatro pontos perdidos nos dois últimos jogos — sem contar que ainda não é dia 5 e o bolso do trabalhador está daquele jeito.



Tomara que essa goleada anime a galera para o próximo compromisso em casa, no próximo domingo (11/mar), contra o Rio Preto. Antes, outra “lição de casa”, mesmo como visitante: levar à lona o cambaleante Manthiqueira, vice-lanterna — quarta, às 20h.

O Noroeste goleou jogando com Ferreira; Pacheco, Jean Pierre, Marcelo Augusto e Hipólito; Maicon Douglas (Alex Silva), Igor Pimenta, Leandro Oliveira e Vilson; Gindre (Alef) e Jorge Mauá (Romão).

Confira os gols da partida:

“Toca pro Mauá que é gol”

O centroavante Jorge Mauá dera o cartão de visitas em sua estreia, na derrota para a Portuguesa Santista, mandando bola na trave. No Alfredão, atendeu às expectativas que criou. Depois do esforçado Gabriel Esteves, fora de combate, a camisa 9 alvirrubra ficou à deriva, mas agora encontrou um dono.

Festa no Alfredão: 1,3 mil sortudos viram a goleada histórica. Fotos: Bruno Freitas/Noroeste

Abre aspas

“Conversamos que esse era o jogo da nossa vida, não poderíamos deixar escapar os três pontos. Tínhamos que nos impor desde o início do jogo. O destaque foi o coletivo. Fazer gols é minha função. Time que quer subir tem que se impor, não importa a posição do adversário”, disse o goleador Jorge Mauá, que pediu a música Cicatrizes, de Bruna Carla. Alô, Fantástico!

“O importante foi o foco e a intensidade. Fizemos gols rapidamente e nossa equipe fez a partida ficar fácil. Vínhamos fazendo bons jogos, mas a bola não estava entrando. O grupo todo está de parabéns”, comentou o meia Leandro Oliveira.

“O grupo sabia da importância dessa vitória para a classificação, mas não esperávamos um resultado tão elástico. Estou muito feliz pelo desempenho dos jogadores, que aproveitaram as chances. A lição de casa foi muito bem feita. Os jogadores não relaxaram, nem fizeram jogadas de efeito para menosprezar o adversário. É importante destacar a postura da Matonense, que não deu pontapé. Retrubuímos da mesma forma, sendo profissionais o tempo todo”, disse o técnico Alberto Félix.

ENTREVISTA 10 de 5 de março é com o NORUSCA!

Nesta segunda, às 21h, o técnico Alberto Félix é o convidado ao vivo do ENTREVISTA 10. Você pode acompanhar pela TV FIB (canal 14 da NET) ou pela fanpage do Canhota 10.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *