Categorias
Noroeste

Elenco inchado pra que, Norusca?

Com 31 jogadores e reforços duvidosos, Alvirrubro repete erro dos anos anteriores

Com a chegada do meia-atacante Deivid (25 anos, ex-Bagé-RS) e do centroavante Diego (20 anos, ex-Al-Mesaimeer-QAT), o Noroeste  agora tem 31 jogadores em seu elenco. Situação semelhante de anos anteriores na Copa Paulista: jogadores chegando durante a competição, gerando falta de entrosamento e deixando a dúvida se o time está mesmo com foco no título ou apenas tentando garimpar algum jogador para ser aproveitado no semestre seguinte.

O atacante Marcus Vinícius, que veio de empréstimo do Goiás, mal estreou e já tem mais concorrência lá na frente – sem contar que Somália foi recentemente profissionalizado, mas, pelo jeito, terá poucas chances de entrar em campo. Leleco, outro garoto da base há tempos esperando por uma chance, também deverá perder espaço…

Não gosto muito de conspirar sobre favorecimento a empresários e outros fatores (obscuros) extracampo que poderiam motivar tantas contratações para um torneio teoricamente laboratório,  até por não ter provas. Mas lamento que a base noroestina não tenha mais espaço. Afinal de contas, se não colocar a molecada para jogar na Copinha, o último degrau de prioridade, vai testar quando? O início deste semestre estava animador, com a mescla da base da Série A2 com os garotos – campeões dos Jogos Regionais. Mas bastaram duas derrotas para justificarem esse precipitado desespero por mudanças.

Curioso é que na crônica esportiva bauruense, ao mesmo tempo em que a maioria dos colegas faz coro pelo aproveitamento da base, ouve-se com frequência  que “esse time precisa de reforços”. Muitas vezes por pura força do hábito, a frase sai automática. Claro que não estou generalizando, mas citar nomes é extremamente deselegante.

Pior é que o gerente de futebol Ricardo Occhiuto prometeu mais reforços. “Estamos trabalhando no sentido de fortalecer o elenco para alcançar os resultados na Copa Paulista”, avisou, via assessoria. Não precisa! Foi apenas um jogo oficial, uma derrota… Quanta precipitação. Com o que temos, se houver muito trabalho, comprometimento e, principalmente, foco nos resultados e noção de que a Copa Paulista é a “nossa Copa do Mundo”, como salientou o treinador Marcos Antônio, é totalmente possível não fazer feio.

Hoje, são três goleiros, cinco laterais, cinco zagueiros, cinco volantes, cinco meias e sete (!) atacantes. A não ser que saiam alguns para que novos cheguem – o que desestabiliza um grupo -, é gente demais para esse vestibular do Paulistão. São muitos candidatos por vaga, ainda mais porque desse plantel atual, a boleirada tem que mostrar serviço para ver quem vai ficar no banco na Série A1. Eu disse banco. Portanto, é muita energia gasta para pouco resultado.

Diego Oliveira atacante Noroeste
Diego em ação no Qatar: que venham os gols do D9

Os novos reforços
O meia-atacante Devid, que veio do futebol gaúcho, pelo menos vai suprir uma carência alvirrubra: a bola parada – Rafael Mineiro, Roque e Willian não convenceram nas cobranças. É o que aparenta este vídeo no YouTube (veja aqui): falta de longe, de perto, escanteio, pênalti… É tudo com ele! Já sobre centroavante Diego, há pouco mais do que muita curiosidade. De jovem promissor no Paraná Clube, seguiu para o Qatar. Por lá apareceu muito na imprensa local, segundo o blog organizado por familiares dele (confira aqui) – que aliás o chamam de Diego Oliveira, o “cara”, o D9.

Essa dupla pode estourar, tomara que estoure – Deivid nas assistências e Diego com os gols – mas por enquanto são incógnitas. Como são Leleco e Somália, que pelo visto continuarão sendo…

Importante deixar claro que este argumento do Canhota 10 precede o clássico contra o Marília. Mesmo sabendo que uma derrota para o time incompleto do maior rival poderá gerar uma crise no Alfredo de Castilho, insisto que se dê tempo a esse elenco, como foi dado na Série A2 – jogadores desacreditados deram a volta por cima e foram buscar o acesso. Porque noroestinos não desistem nunca.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

5 respostas em “Elenco inchado pra que, Norusca?”

Está correto,ao que nos parece,os jogadores da base,não vai ter oportunidade novamente,e clube fica refem dos empresarios da bola.

A hora de dar chance aos jovens da base é agora. Se não fizerem isso na Copa Paulista, infelizmente o Noroeste poderá perder vários valores, como Mizael, Giovanni, Juninho, França, Leleco e Somália, jogadores que na minha opinião poderiam entrar com mais frequência nos jogos, e até disputar a titularidade, porque muitos dos “veteranos” não convenceram até agora (como Roque, Almir Dias e Adílson)

ai Bauruenses tem q reforça o eleno mesmo o noroeste é horrivel aqui em guaratngueta chegou um atacante que todos reclamavam rodrigo roberto ai ele fez 4 gols em um jogo da copinha e virou idolo eu acho q o noroesta tem q se contrata boa revelacoes e velhos idOLOS VAO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *