Categorias
Bauru Basket

Paschalotto Bauru vence Liga Sorocabana e fecha semana perfeita antes de seu maior desafio

Paschoalotto Bauru vence Liga Sorocabana, cumpre seu papel em casa e agora foca seu momento maior: a semifinal da Liga Sul-Americana

Hoje não é direto da Panela. Por que eu tenho essa mania e contar por que não fui? Porque eu tenho leitores fiéis que aguardam meu relato e minha opinião? Também, mas consigo até à distância, pelo traquejo. Mas também pra dar um pouco de humanidade e menos clichê para o texto. Casal que tem um carro só e não tem vovó na cidade pra olhar filho pequeno vai me entender.

Espero que desculpas aceitas, sigamos: o Paschoalotto Bauru fechou uma semana perfeita ao vencer a Liga Sorocabana por 97 a 80. Dois jogos, duas vitórias e campanha (3V-1D) de G-4. Mesmo com a cabeça no Final Four da Liga Sul-Americana, fez o que tinha que fazer jogando em casa. O curioso é que pouco revezou. Contra o Paulistano, porque a partida exigiu as feras. Contra a LSB, por orientação do preparador físico Bruninho, porque serão poucas as oportunidades de treinamento nos próximos dias, pelo uso intensivo da Panela de Pressão nos Jogos Abertos. Assim, o time manteve o ritmo. E com Alex Garcia, ninguém relaxa, amigo. Faça corpo mole pra ver o tamanho da bronca.

Antes da grande partida, contra o Malvín-URU (25/nov, 21h15), o Dragão encara a primeira fase dos Jogos Abertos, com a molecada, mas com os cobras no banco.

O JOGO
Guerrinha até começou rodando o elenco. Minutos bem fracionados — enquanto Rinaldo usou o que tinha, conseguindo controlar o placar no primeiro quarto (21 a 22). No segundo, a defesa funcionou, Hett e Ricardo decidiram lá na frente e a boa parcial (24 a 10) encaminhou a vitória. Na volta do intervalo, os sorocabanos conseguiram novamente jogar de igual pra igual (21 a 22), mas isso lhes custou fôlego para a última fração, quando os guerreiros souberam administraram (31 a 26), fechando em 97 a 80.

ABRE ASPAS
Declarações ao impagável Luiz Lanzoni (Auri-Verde/Jornada Esportiva)

“Estamos tendo uma maratona de jogos e temos que ganhar. Mas é difícil, não estamos cem por cento e temos um jogo decisivo na Sul-Americana pela frente”, avaliou o armador Ricardo Fischer.

Não é difícil. A única coisa que atrapalha é a quantidade de jogos. Só isso. Mas temos bastante tempo para descansar. Vamos estar preparados”, discordou o ala Roberdei, digo, Robert Day.

“O importante hoje era a vitória. Deixamos mais tempo de quadra hoje porque o Bruno, preparador físico, instruiu, porque estamos sem quadra para treinar. Precisamos treinar o time, que está bem. A oscilação é normal, porque não houve pré-temporada, mas estamos administrando”, comentou o técnico Guerrinha.

NUMERALHA
Rafael Hettsheimeir: 23 pontos, 5 rebotes
Ricardo Fischer: 17 pontos, 3 assistências, 2 roubadas
Robert Day: 17 pontos, 3 rebotes, 2 roubadas
Larry Taylor: 12 pontos, 3 rebotes, 6 assistências
Jefferson William: 11 pontos, 4 rebotes

Cravada do cestinha da noite. Fotos de Henrique Costa/Bauru Basket
Cravada do cestinha da noite. Fotos de Henrique Costa/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *