Categorias
Bauru Basket

Bauru Basket, novo elenco (3): Shamell não vem mesmo

Na segunda-feira, o Canhota 10 publicou que dificilmente SHAMELL viria para o Bauru Basket (relembre). E não vem mesmo. O jogador renovou com o Pinheiros, segundo o Basketeria (aqui). Era desejo do gringo vir jogar ao lado do amigo Larry Taylor, houve conversas, mas a contratação não evoluiu por fatores que vão além do financeiro — já que na parte técnica não há o que discutir. A temporada 2012/2013 foi muito desgastante para diretoria e comissão técnica do Dragão em relação ao excesso de estrangeiros. Foi preciso apagar pequenos incêndios de relacionamento. Apesar de serem dois caras ótimos de grupo e exemplos de dedicação em quadra, a dupla Larry/Shamell poderia causar certo desconforto no restante do elenco — conclusão minha, ok? Algumas notas sobre a formação do elenco:

• Com as dispensas de MOSSO e NANDÃO, está claro que o garrafão é o principal foco da formação do novo elenco. Hoje, apenas Tischer e Andrezão figuram nessa posição. A situação de JEFF AGBA não depende apenas do julgamento, muitos acreditam que venceu seu tempo em Bauru. E a de COLEMAN segue em aberto, mas quem se lembra como as renovações com Jeff demoravam, que não se espante se um novo vínculo com o camisa 24 ocorra às vésperas do Paulista.

PILAR é um jogador fundamental para o Bauru Basket, por ser um coringa, além de raçudo, claro. Mas na pauta da renovação, provavelmente pedirá para ser valorizado. Até o momento, nenhuma novidade, mas é certo que o time quer continuar contando com o Eclético.

• Imaginava-se um jogador sub-22 mais badalado, que pudesse ser aproveitado na equipe principal, mas por enquanto o ex-joseense RADAMÉS chega apenas para a LDB. Quem deve pintar da equipe jovem no time de cima, no Paulista, deverá ser o ala/armador Rafael (o filho de Maury). O moleque promete.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *