Categorias
Bauru Basket

Ricardo é convocado para a Seleção. Lista sugere Larry no Mundial

José Neto chama Seleção para Sul-Americano, entre eles o armador Ricardo Fischer. Entenda o que a lista tem a ver com o Mundial

No texto sobre a Seleção sub-18, comentei sobre a expectativa da convocação do adulto, para o Sul-Americano (24 a 28 de julho), nessa sexta-feira (6/jun). Expectativa para saber se José Neto convocaria um Brasil B ou se a lista poderia abastecer as escolhas de Rúben Magnano para o Mundial da Espanha, em agosto.

Veio a lista de 16 jogadores. Vejamos e, mais abaixo, comento.

Armadores: Gegê (Flamengo), Rafael Luz (Monbus-ESP), Raulzinho (Lagun Aro-ESP) e Ricardo Fischer (Paschoalotto Bauru)

Alas: Benite (Flamengo), Arthur (Brasília), Léo Meindl (Franca), Jhonatan (Franca) e Pilar (Paulistano)

Pivôs: Olivinha (Flamengo), Jefferson (São José), Augusto Lima (Murcia-ESP), Cristiano Felício (Flamengo), Lucas Mariano (Franca), Rafael Mineiro (agora em Limeira) e Rafael Hettsheimeir (Unicaja-ESP)

Uma coisa é certa: Neto chamou um time para ficar entre os três primeiros e garantir vaga no Pan 2015, em Toronto. Abdicou de desenvolver molecada, como fez Gustavinho de Conti em 2012. Apostou na experiência de jogadores como Arthur, Olivinha e Jefferson, que têm chances remotas de serem lembrados por Magnano, mas têm nível de sobra para ir bem na competição continental.

Outro ponto: desse grupo sairão jogadores para a lista do Mundial. Raulzinho e Hettsheimeir, certamente. Mas Rafael Luz e Augusto Lima também são nomes corriqueiros na lembrança do argentino, tanto que foram recentemente visitados por ele na Espanha. A princípio, são os quatro nomes fortes para “subir”, mas eles têm concorrência de peso, sobretudo de Ricardo, Benite e Lucas Mariano.

No que diz respeito a Bauru, além da presença de Ricardo — e ausência de Gui Deodato, lamentada por muitos –, a lista mostra um forte sinal de que Larry Taylor estará no Mundial. Afinal, se fosse carta fora do baralho, faria parte da lista de Neto com Olivinha e cia. Mas, não: deverá aparecer na lista de Alex Garcia, Marquinhos, Giovannoni… Há quem não aposte, pelo Alienígena ter caído um pouco de produção na última temporada, mas ele é um xodó de Magnano. Por merecimento: tem disciplina tática e é bom de grupo.

DRAGÃO SEM ARMAÇÃO
Disputar o Sul-Americano já significa Ricardo Fischer fora de quase toda a pré-temporada do Dragão. Os jogadores do Bauru se apresentam na mesma época em que começam os treinos da Seleção, no final de junho. O torneio continental acaba em 28 de julho e o Paulista começa dia 7 de agosto. Se Ricardo não for para o Mundial, ok, volta a tempo do estadual. Se for, e Larry também, Guerrinha fica sem armador. Como eu escrevi outro dia, a aposta será em Lucas Vezaro, do sub-19, depois de se esgotarem as tentativas por um armador sub-22 — o Dragão sondou Arthur Pecos (Paulistano) e Bruno Felipe (Brasília), mas ambos renovaram. Naquele texto, disse que até segunda ordem o cenário será esse, apostar no Vezarinho. Mas, se realmente Ricardo e Larry forem para o Mundial, deve desembarcar um armador na Cidade Sem Limites, segundo apurei. A conferir.

Atualizado: sim, desembarcou um armador. O jovem Carioca (aqui).

Foto: Caio Casagrande/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *