Categorias
Bauru Basket

Direto das férias, Robert Day manda recado: “Estou ansioso para começar a trabalhar”

De férias nos Estados Unidos, reforço do Paschoalotto Bauru conversou com exclusividade com o Canhota 10. Confira!

O torcedor de Bauru sonhava há muito tempo com um ala 3 pontuador. Mais especificamente, sonhava com Robert Day. A Associação sonda formalmente o jogador há três temporadas e, desta vez, deu certo.

De férias nos Estados Unidos, Day falou por e-mail com o Canhota 10 sobre sua escolha pelo Dragão e a expectativa de atuar nesse elenco tão forte que está sendo formado. O camisa 31 (é essa camisa que vai pedir para vestir) está curtindo a nova casa, adquirida recentemente em Damascus, no estado de Oregon. Ele cresceu em Portland (distante cerca de 30km), mas agora está na mesma cidade onde vivem sua família e a da esposa.

Detalhe: as perguntas foram enviadas em português e respondidas idem. “Desculpe se meu português é ruim, estou trabalhando para melhorar”, escreveu Day, seguido de um kkk. Claro que editei as respostas, até para não expor suas (compreensíveis) dificuldades na grafia das palavras, mas ele se faz compreender muito bem. A exemplo de Larry Taylor, já pode ser considerado um gringo-brasuca.

Por falar em Larry, o Alienígena está muito feliz com a chegada do compatriota. “Ele é um jogador de alto nível e também uma ótima pessoa. Vai encaixar bem com nosso time”, disse o capitão bauruense.

A seguir, as declarações de Robert Day, que se apresenta ao Paschoalotto Bauru, provavelmente, no dia 7 de julho.

Bauru, finalmente
“Depois cada temporada, Bauru sempre esteve entre os times da parte de cima da minha lista. Desta vez, Franca e outros times estavam interessados. Mas vi o time que Bauru queria montar. E meus amigos me disseram que Bauru é um lugar que minha família vai gostar.”

Elenco forte
“Estou muito empolgado com essa formação. Tenho muito respeito por todos os jogadores desse time. É difícil não sonhar com as possibilidades com esse grupo. Espero que agente realize esses sonhos!”

Adaptação e estilo de jogo
“Espero me encaixar bem. Sei que todos os jogadores estão pensando num time vencedor. Eu também. Lógico que minha grande força é meu chute de três, mas vou dar o que o time precisar de mim.”

Ajuda na armação
“Já armei há muito tempo. Não é meu forte, mas se não tivermos opções, vou tentar. É só não me comparar com armadores como Valtinho e Larry!” (risos)

Welcome, Robert
“Falei um pouco com Larry e Guerrinha. Eles me deram boas-vindas. Estou ansioso mesmo para começar a trabalhar.”

Camisa 31
“Acho que vou pedir a 31, mas pode ser a 13 também, um número que já usei antes e que minha família gosta.”

Recado para os torcedores
“Podem esperar um jogador que vai se doar dentro e fora da quadra, até o fim.”

Foto com os filhos, na frente da casa nova: Arquivo Pessoal

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *