Categorias
Bauru Basket

Paschoalotto Bauru aplica cestada em Osasco e enterra desconfianças

Paschoalotto Bauru cesteia Osasco e enterra desconfianças

(Direto da Panela) Chega um desavisado ao planeta Terra e assiste ao passeio do Paschoalotto Bauru sobre Osasco, por 114 a 85. Ao ouvir a pergunta “Quem é o líder e quem é o lanterna?”, provavelmente ele cravaria o Dragão como ponteiro do Campeonato Paulista. Pois é. Quando a bola subiu, eram os bauruenses os últimos colocados do estadual. Algo totalmente circunstancial, como era a liderança dos visitantes, que pegaram Limeira com molecada e o América, sendo apenas a vitória sobre Franca, em Franca, um resultado mais forte.

Na primeira partida de Paulinho Boracini em sua nova casa e no retorno de Alex Garcia, restabeleceu-se a ordem das forças. Poderia brincar com o termo acabou a brincadeira, mas é muito sério o que a comissão técnica planejou para poupar os principais guerreiros nesse início de temporada. No fim da partida, sim, os meninos puderam brincar um pouco, com o placar elástico.

Próximo voo do Dragão modelo 15/16: sábado, 18h, em Limeira, contra o combalido Winner, já com David Jackson, mas ainda juntando os cacos. Não será fácil, mas quem vai pegar o Real Madrid tem mais é que encarar jogo cascudo.

bauru-osasco-alexBOLA QUICANDO
Justificando o status de líder no início da partida — mas só no início… —, a turma de Enio Vecchi sai na frente e abre 14 a 10, com bom cartão de visitas do argentino Pineda. Até o craque Alex entrar e acordar o time, com uma roubada de bola com contra-ataque em sua primeira intervenção. Assim, Bauru consegue virar ainda no primeiro quarto, fechando em 26 a 23.

Com as mãos certeiras, Paulinho, Day e Alex guardam triplos. Dominante nos rebotes ofensivos, o Dragão vai abrindo vantagem, construindo boa fração de 30 a 16 para ir descansar com tranquilos 56 a 39. A nota triste fica para o corte no supercílio direito de Murilo, em disputa com Cícero. O camisa 21 foi direto para o tratamento médico e precisou dar seis pontos no local.

bauru-osasco-predadorO reinício da partida é nervoso, com poucos pontos e muita reclamação da arbitragem. A arte só flui a partir de 6min para o fim desse terceiro quarto, com Roberdei inspirado e bela infiltração de Paulinho — mas pode chamar de Magic Paulo —, que dribla até o fotógrafo… Carioca começa a aparecer e dá uma canseira em Thyago Aleo. No finalzinho do período, uma cena curiosa. Uma bola sobra pra Guerrinha, que chuta de longe e dá aro. “Uhhh…”, grita a galera pelo quase. E ele toma falta técnica!

Pra fechar o vareio, Hett guarda jampezinhos, Alex infiltra pra mostrar para os osasquenses que não adianta marcação afoita. Bauru coloca Osasco na roda, com rápida troca de passes. Faltando menos de 3min para o fim, chega a hora da molecada. Com direito a jogada Sena: Wesley assite, Yuri crava. Léo Eltink também enterra. E o menino Stefano, armador de 17 anos, estreia como profissional com duas assistências, feliz da vida.

EMBOLOU
Há três equipes com três vitórias (Osasco, Franca e Rio Claro) e três com uma (Bauru, Limeira e América), no grupo A. A porta do G-4 se abriu. Alguém aí ainda está encanado?

ABRE ASPAS
Alex Garcia fala de seu retorno:

 

Hettsheimeir, o Pescador, fala do jogo, da dispensa da Seleção e, no final, tenta me entregar, mas minha esposa sabia que eu estava tomando chope na segunda!

 

Guerrinha, que quase fez cesta de três, comenta o resultado:

 

NUMERALHA
Hett: 24 pontos, 13 rebotes, 4 assistências, 2 tocos
Roberdei: 24 pontos, 3 rebotes, 3 assistências, 2 roubos de bola
Magic Paulo: 16 pontos, 4 assistências
Brabo: 15 pontos, 6 rebotes, 5 assisitências
Wesley Sena: 10 pontos, 4 rebotes
Patrick Predador: 8 pontos, 7 rebotes, 4 assistências, 2 roubos de bola
Léo Eltink: 7 pontos, 4 rebotes
Yuri Sena: 4 pontos
Stefano: 2 assistências, 1 roubo de bola

 

Abaixo, arte sobre clique desse belo corta-luz Hett-Paulinho:
bauru-osasco-corta-luz

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *