Categorias
Bauru Basket

Contundido, Jefferson vai fazer muita falta, mas Paschoalotto Bauru continua forte com Murilo

Foi confirmada ruptura total no tornozelo de Jefferson William. Confira detalhes, além do levantamento do CANHOTA 10 sobre seu desempenho e o de Murilo

A primeira coisa a fazer é lamentar. Pelo craque que vai fazer falta, mas sobretudo pelo atleta que vai ficar afastado do que mais gosta de fazer. O Paschoalotto Bauru confirmou a ruptura total do Tendão de Aquiles do tornozelo direito, em lance na vitória de ontem sobre Uberlândia, pelo NBB.

jefferson-uberlandia-bauru-nbbO camisa 1 do Dragão passará por cirurgia na próxima semana e a previsão de recuperação é de seis meses — isto é, somente na próxima temporada. “Com certeza é a lesão mais grave de minha carreira, nunca passei por nenhuma cirurgia antes, mas tenho fé que tudo vai dar certo e logo estarei nas quadras de volta, fazendo que mais amo fazer que é jogar basquete. Agora, estarei do outro lado, torcendo muito para o time no NBB e Liga das Américas!”, disse o atleta em seu perfil no Facebook, onde as manifestações de solidariedade se multiplicam. Força, guerreiro!

Passado o baque — inclusive do elenco, era visível ontem a preocupação dos amigos, a solidariedade –, é preciso seguir em frente, o Final Four está logo ali. E certamente os jogadores transformação a tristeza pelo colega em força mental, superação. E na quadra, além do fator emocional, tecnicamente a solução é imediata: Murilo Becker tem jogado bem em seus minutos em quadra. Já está com bom ritmo de jogo. Claro que o scout de Jé é mais forte, mas fazendo a conta das médias de pontos e rebotes divididos pelos minutos em quadra (tanto no NBB, quanto na LDA), percebe-se que o MVP do NBB 4 tem potencial para produzir números bem mais expressivos daqui pra frente:

PTS/MIN=pontos por minuto; REB/MIN=rebotes por minuto
PTS/MIN=pontos por minuto; REB/MIN=rebotes por minuto

É fato que Murilo vai focar o jogo interno e terá que revezar com Hettsheimeir entre as posições 4 e 5 — o que acabará por ser uma arma tática que confundirá adversários. E no perímetro, apesar de Jefferson ser o cara — tanto que disputaria o Desafio de 3 Pontos do Jogo das Estrelas –, Murilo está com aproveitamento idêntico ao dele no NBB, 43%. A diferença é que Jefferson acertou 43% em 171 chutes, enquanto o Murilaço fez esse percentual em apenas 16 chutes. Mas, convenhamos, que com Ricardo, Larry, Alex, Day e Hett, ele não precisa se preocupar com esse quesito.

O técnico Guerrinha comentou ao Canhota 10 como deverá ser o comportamento do time a partir de agora, que realmente haverá inversões entre Hett e Murilo: “É uma situação tática interessante. E tem o revezamento do Mathias, o Alex pode fazer 4 também, abrindo o jogo. Perdemos em algumas coisas, mas temos soluções”.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *