Categorias
Bauru Basket

Bauru 3, Franca 2: na final de novo!

Em noite de Alex e Hett, Bauru vence Franca e vai pegar Limeira na decisão do Paulista

Por Júlio Penariol, direto da Panela

Ingressos esgotados em pouco mais de uma hora. Arquibancada lotada quase meia hora antes do início do jogo. “Franca: bem-vinda ao inferno”. Eram os dizeres da faixa colocada na lateral da quadra, e que recepcionou o adversário assim que ele subiu pro aquecimento. Será que a atmosfera hostil iria atrapalhar o tradicional time de Franca, onze vezes campeão paulista?

Pelo menos, não no primeiro quarto da partida. Com defesa forte, sem dar espaço para as estrelas bauruenses, e concentração no ataque, sem chutar no desespero, Franca chegou a abrir 6 a 13, com boas participações dos Leonardos – o ala Meindl e o pivô Leozão. Do lado de Bauru, a esperança de que as bolas de três, que tão bem fizeram à equipe no quarto jogo, fora de casa, começassem a cair a qualquer momento, tornavam jogadas tranquilas em chutes forçados de fora, e desta vez sem sucesso. Nem as entradas de Larry e Gui, que iniciaram o duelo no banco, melhoraram a eficiência ofensiva do time.

A segunda parcial começou com Franca quatro pontos à frente (15 a 19), diferença que em pouco mais de um minuto se transformou em dez (15 a 25). Time ligado, com bom jogo dentro do garrafão, e Bauru ainda procurando a partida perfeita que deixara na cidade do sapato, na última quinta-feira. É aí que Alex, o principal personagem da primeira metade do jogo, entra em cena. A garra da Brabo era impressionante. Seja chamando a atenção de Mathias debaixo do garrafão, acertando jogada com os armadores, seguindo Figueroa de perto e não deixando o argentino francano pontuar, ele começou a assumir o protagonismo no primeiro tempo. Praticamente perfeito no lance livre (nove acertos em 10 cobranças) e com duas bolas de três, permitiu aos bauruenses terminarem apenas três pontos atrás do rival (34 a 37). Um prejuízo muito pequeno perto do que foi o primeiro tempo.

Vem o segundo tempo e, com ele, uma nova postura ofensiva de Bauru, que deixou as bolas de três e passou a apostar em Rafael Hettsheimeir debaixo da cesta. E o time logo encostou e virou o placar. Com uma sequência de lance livre, cesta de dois, numa típica jogada de pivô, e enterrada na cabeça dos francanos, Hett levou Bauru à frente pela primeira vez desde o início da partida: 39 a 37 – pra ferver a Panela! O rival não se abalou, era valente. A partir daí, alternância de cestas pros dois lados. Day pra Bauru; Figueiroa de três pra Franca; nova enterrada de Hetts; Lucas de três pros francanos; Hett (impossível!) de três pros guerreiros; Meindl, Ricardo, Jé… Todo mundo pontuando, Bauru na frente por 51 a 49, até que parte da iluminação da Panela sofreu uma pane e a partida foi paralisada, a 1min29 do fim do quarto. A torcida era pra que a pane não apagasse os bauruenses, que finalmente pareciam ter entrado no clima de decisão – e, principalmente, acertado a mão. Na volta, uma cesta de três colocou novamente os francanos na liderança do placar, e a terceira parcial terminou em 51 a 52.

O último quarto, claro, foi uma pilha só. Erros e acertos dos dois lados, torcida inflamada. Até que uma roubada de bola de Jé, uma bola de três de Hetts e nova enterrada do superpivô bauruense colocaram a equipe 12 pontos à frente. Mas Franca não se entregou. Meindl, Lucas Mariano e Figueiroa recolocaram a equipe na partida. Guerrinha pediu tempo, os guerreiros mantiveram a cabeça no lugar e, de lance livre em lance livre, fecharam a partida em 75 a 69. Bauru de novo na final do Paulista, desta vez contra Limeira, que fechou a série contra o Paulistano em 3 a 2.

ABRE ASPAS
“Nosso time é novo, mas obrigou Bauru a jogar tudo o que sabe. Foi uma série muito boa, disputada, um belo espetáculo. É ruim perder, mas da maneira como lutamos, saímos de cabeça erguida”, ponderou o técnico francano, Lula Ferreira.

“A gente entrou um pouco frio, desligado talvez, e eles aproveitaram. Depois melhoramos, voltamos a apresentar uma defesa forte. Estou muito feliz por chegar a uma final no meu primeiro torneio com o time. Agora, teremos mais uma série difícil contra Limeira, que tem um elenco com mais rotação do que Franca, e decidirá em casa. Mas temos elenco pra ganhar em qualquer lugar, e é pra isso que vamos lutar”, avisou o pivô Rafael Hettsheimeir.

“Playoff é playoff. Franca não defendeu uma série, ela entra em quadra sempre pra defender uma história. Lula faz um belo trabalho com esse elenco jovem, e a série foi fantástica. Nosso plantel era melhor, mas temos quatro atletas praticamente titulares ainda se encaixando no time. O que importa é que o astral do elenco é ótimo e isso tem nos ajudado dentro de quadra”, comemorou o técnico Guerrinha.

“Série foi dura, como já esperávamos. Alternamos bons e maus momentos, assim como no jogo de hoje. Hoje, a responsabilidade era nossa. Eles entraram tranquilos, soltos, e foram bem. Mas depois a gente voltou a se encontrar, e o jogo nosso encaixou. A torcida foi maravilhosa, empurrou, e é por ela que temos que buscar esse título também. Agora, temos que descansar e já pensar em Limeira. Eles têm o mando de quadra, mas somos fortes o bastante pra superar isso”, comentou o ala Alex Garcia, o monstro!

NUMERALHA
Alex Garcia: 23 pontos, 11 rebotes, 6 assistências
Rafael Hettsheimeir: 19 pontos, 7 rebotes, 3 assitências
Jefferson William: 12 pontos
Robert Day: 8 pontos

 

julioJúlio Penariol é jornalista formado pela Unesp e repórter da TV Unesp. Já foi cobriu esportes pelo jornal Bom Dia, onde também foi editor. Também atuou na Editora Alto Astral. É mestrando em Comunicação, com pesquisa focada no esporte. Enfim, é fera. Obrigado pelo belo texto, meu amigo!

 

Foto: Henrique Costa/Bauru Basket

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *