Categorias
Bauru Basket

Bauru vence Franca e volta ao G-4!

Revanche é isso. Devolver na mesma moeda. Ganhar de Limeira lá não valeu os Abertos. Nem o triunfo sobre São José tirou a dor da eliminação do Paulista. A Copa América de 1989 do futebol, no Maracanã, não lavou a alma da derrota para o Uruguai na Copa do Mundo de 1950. Mas vencer em Franca no segundo turno (82 a 80, que sufoco!), para devolver a derrota sofrida em casa no primeiro, foi uma senhora de uma revanche! Se não foi suficiente para levar no confronto direto (a vantagem dos francanos lá foi maior), foi fundamental para a caminhada rumo ao G-4, deixando os rivais com uma vitória a menos para correr atrás. O Dragão agora tem 14 vitórias e sete derrotas (66% de aproveitamento).

Foto: Newton Nogueira/Divulgação

Como de costume, foi nos últimos segundos, com o coração na mão, e novamente com uma queda de rendimento no último quarto — apesar de, dessa vez, os guerreiros não terem conseguido esticar tanto a diferença com em outras partidas. Tinha uma distância segura no início do último período, mas que foi moída pelo jovem pivô Lucas (15 pontos na parcial!). Ainda bem que Ricardo Fischer (também garoto, também cheio de personalidade) fez sete pontos e deu duas assistências (fechou o jogo com 15 pontos e cinco assistências). “Eu tenho uma maturidade grande para minha idade, o Guerrinha me dá essa confiança e chamei a responsabilidade do jogo. Ainda bem que deu certo”, comemorou Ricardo Fischer, em entrevista ao repórter Chico José (Jornada Esportiva/Auri-Verde).

Larry Taylor, mais uma vez — o que tem sido corriqueiro nas últimas rodadas — foi o cestinha bauruense, com 20 pontos. Ele ainda pegou cinco rebotes e roubou quatro bolas. Merece menção também a atuação de Mosso, dez pontos e cinco rebotes em 15min em quadra. O pivô comemorou sua atuação: “Tenho que aproveitar os poucos minutos que tenho em quadra e dar o meu melhor. O Guerrinha pede para eu fazer faltas e elas são importantes. Três faltas são seis pontos a menos para eles. Às vezes o jogador tem que sacrificar para ajudar o time. E isso é o que importa”, disse o camisa 25.

O menino Gui se sacrificou para ajudar com 14 pontos, mesmo com o tornozelo direito um pouco zoado, que o tirou mais cedo do jogo em Uberlândia.

Agora, vem a segunda fase da Liga de Desenvolvimento em pleno carnaval. Guerrinha ficará em Franca, apoiando o time bauruense como auxiliar de Hudson Previdelo. Boa sorte aos meninos. E boa folia para os guerreiros mais velhos, que vão passar a festa de Momo no G-4!

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *