Categorias
Bauru Basket

Bauru Basket oscila, vacila e Flamengo segue invicto no NBB

Larry encara Kojo: erro crucial no final do quarto período. Foto: Sergio Domingues/HDR Photo

 

Não haveria forma melhor para fechar um 2012 cheio de emoções, do que vencendo o time mais poderoso do Brasil. Chegando a abrir quase 20 pontos (segundo e terceiro períodos excelentes), o Dragão acabou vacilando no último quarto, quando tinha 6 pontos de vantagem a 30s do fim e os rubro-negros foram buscar o empate. Após duas prorrogações, o Flamengo acabou vencendo a partida por 102 a 97.

O primeiro quarto foi equilibrado, com o Dragão perseguindo o Urubu (parcial de 18 a 19). Fischer e Pilar, com 5 cada,  puxaram a pontuação.

O segundo período foi do impressionante aproveitamento nas bolas de três dos guerreiros (7/9), com destaque para Mosso, que fez 11 pontos seguidos (sendo três chutes de fora), e Ricardo Fischer (7) — eles tiveram aproveitamento de 100% na parcial. Com 32 a 24, Bauru garantiu boa vantagem para o vestiário: 50 a 43.

Na volta do intervalo, Bauru continuou melhor. Jeff Agba, Coleman e Larry capturaram juntos 9 rebotes defensivos e Fischer, novamente calibrado, ajudaram o Dragão a aumentar a diferença, fechando em 71 a 59 (parcial de 21 a 16).

Quando a vitória tranquila parecia construída, o Flamengo apertou. E foi buscar o placar, ficando somente três pontos atrás a menos de 4min do fim (77 a 74). Depois disso, Bauru respirou um pouco, liderado por Larry (10 pontos na parcial). Entretanto, nos segundos finais os donos da capa perderam dois ataques seguidos e o adversário conseguiu levar a partida para a prorrogação: 86 a 86.

Primeira prorrogação lá e cá. Caio Torres de um lado, Larry (de três) do outro. Marquinhos nos lances livres, Jeff depois. A,í o Flamengo errou um ataque e Pilar sofreu falta: só um chute convertido e vantagem de dois pontos a um minuto do fim. Cada um desperdiçou um ataque, depois Benite foi parado, converteu as duas bolas e empatou a 40s do fim. Larry perdeu bola no ataque, mas, ufa, Caio Torres comete falta de ataque. O Dragão errou a última ofensiva e veio mais uma prorrogação! 92 a 92.

O segundo tempo extra começou rubro-negro, que abriu 5 pontos. E Guerrinha soltou os lagartos a plenos pulmões, incluindo sonora bronca sobre Larry, que às vezes exagera em jogadas de efeito. Mas havia acabado a perna. A equipe carioca conduziu com tranquilidade, gastando a posse de bola para fechar o jogo. Frustrada, a torcida vaiou ao soar do cronômetro.

O momento é de estudar minuciosamente o vídeo dessa incrível partida, na qual o time acertou e errou muito. E começar 2013 com os acertos apurados e os erros atacados.

Números
Larry fechou o jogo com 21 pontos, 8 rebotes e 5 assistências. Ricardo Fischer fez boa partida, com 13 pontos e 7 assistências. Fischer (14 pontos), Coleman (11 pontos e 6 rebotes), Mosso (12 pontos), Jeff Agba (8 pontos e 8 rebotes) e Pilar (13 pontos e 7 rebotes) também contribuíram bastante. Sidão novamente não disse a que veio, ficando em quadra menos tempo do que o ainda desentrosado Detrick.

Aspas
“É um jogo que a gente tinha que ganhar e recuperar uma derrota. Não faltou perna, faltou inteligência. Não podemos perder jogo assim em casa. Mas ainda tem muito jogo pela frente”, disse o capitão Fischer ao microfone de Rafael Placce, da dobradinha Jornada Esportiva/Auri-Verde.

“Temos que corrigir alguns erros, mas temos que enaltecer o time todo pela vontade”, comentou Mosso, monstro no segundo quarto.

“A gente tem que saber que basquete é céu e inferno. Se vencemos, teríamos quebrado o último invicto. A equipe jogou certo e errado, bem e mal. Por erros em duas posses de bola no último quarto… Poderíamos fechar o jogo por tudo o que fizemos. Não se pode cometer esse tipo de erro diante de uma equipe tão forte. Mas os jogadores foram brilhantes e voltaram a jogar de igual para igual diante de um time top. O time teve uma força muito grande na primeira prorrogação, mas aí na segunda o Marquinhos finalizou o jogo. Se ganha, estaria tudo certo, no bom sentido. No emocional, ninguém fica feliz com a derrota, mas nosso caminho é tentar melhorar, trabalhar esses jogadores em quem a gente acredita. A pegada voltou”, analisou Guerrinha.

O treinador do Flamengo, José Neto, valorizou bastante sua suada vitória: “Bauru jogou uma partida espetacular. Dificilmente alguém terá um aproveitamento parecido. O mérito da vitória foi da nossa defesa, que conseguiu parar essa verdadeira artilharia de Bauru.”

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *