Categorias
Bauru Basket

Bauru Basket: balanço do primeiro turno do NBB5

Segue a saga numérica! Terminado o primeiro turno do Novo Basquete Brasil 5, vamos aos números e destaques do Bauru Basket, quinto colocado até aqui. E não se assuste com a regressão de alguns jogadores. Como tem aumentado o jogo coletivo, as estatísticas acabaram se pulverizando. Larry Taylor, por exemplo, não teria mesmo os números de solista de outras temporadas. Por outro lado, Ricardo Fischer e Gui evoluíram bastante. Abaixo, quem está no top10 em alguns fundamentos:

• O TIME
– Tem o 7º melhor ataque do NBB5 (81,5 pontos por jogo); o Flamengo lidera (92,9)
– É o 6º em rebotes (32,3 por partida); Paulistano na frente: 35,2
– Em assistências, é o  7º (15,2); Uberlândia tem 17,4
Atualizado: Caio Casagrande, assessor de comunicação do Bauru Basket, vem acompanhando jogo a jogo a estatística de pontos sofridos, não disponível no site da Liga — isto é, na unha mesmo. E Bauru tem a 2ª MELHOR DEFESA, com 73,4 pontos sofridos por jogo, atrás apenas de Franca, com 72. Mas ele destaca que, considerando os jogos de 2013, a média bauruense é de 69, o que comprova a boa fase.

• JEFF AGBA
– 6º reboteiro (7,6); Olivinha (Flamengo) pegou 10 por jogo
– 7º em aproveitamento de dois pontos (63,6%); o líder é Marquinhos, do Fla (66,2%) – considerando quem fez pelo menos duas cestas por jogo

• LARRY TAYLOR
– 9º em assistências (4,7 por partida); Fúlvio (São José) na frente: 8,4
– 9º em aproveitamento de lances livres (87,5%); Fúlvio acertou 97,2% – considerando que tentou pelo menos dois por jogo

• FERNANDO FISCHER
– 7º em aproveitamento de chutes de três (46%); Manteguinha (Tijuca) é o primeiro (52,2%) entre os que acertaram pelo menos duas de fora por partida

Veja os números de todo o elenco até aqui:

Eficiência
Agora, vamos ao quadro de eficiência do time, comparação que o Canhota 10 trouxe pela primeira vez após a disputa do Paulista. O quadro abaixo traz os números do NBB4, do Paulista 2012 e desse primeiro turno do NBB5. Vale lembrar que Coleman não jogou o último nacional e o número de Ricardo na temporada 2011/2012 se refere a sua atuação por São José. Compare:

Larry Taylor, como comentado acima, tem precisado protagonizar menos
– Perceba como Jeff Agba se dá melhor em um torneio mais disputado
– Já Coleman sobrou no Paulista e vem rendendo menos no acirrado NBB
Fernando Fischer caiu pouco, se levarmos em conta seu estado físico na atual temporada
Pilar está melhor na atual temporada em relação ao NBB4
– Com mais concorrência no garrafão, Andrezão praticamente sumiu nas estatísticas
– Já o guerreiro Gui subiu a ladeira e é cada vez mais importante para o Dragão
– O mesmo vale para Ricardo Fischer, numericamente o que mais evoluiu desde a última liga
– Aproveitando seus poucos minutos, Mosso tem desempenho estável
– A exemplo de Andrezão, Luquinha vive uma temporada de raro tempo de quadra
(Jason Detrick, Kesley e Nandão não disputaram o NBB4 e o Paulista 2012)
Eficiência = [PT+RB+AS+BR+TO – (arremessos errados + BP)]

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *