Categorias
Bauru Basket

Contra o São José, Paschoalotto Bauru embala quarta vitória

Bauru bate São José na Panela, alcança a quarta vitória seguida e confirma boa fase

Estava eu de plantão na frente da secretaria do Esporte Clube Noroeste, aguardando a batida do martelo a respeito do novo técnico, Nei Silva, e ouvindo a vibração dos mais de 700 torcedores que estavam logo ali do lado, na Panela, acompanhando o dérbi entre Paschoalotto Bauru e São José. Deve estar um jogo pegado, pensei. E como! Quando entrei no ginásio, com o terceiro quarto em andamento, um lá e cá no placar, ninguém desgarrava. Tanto que foram os dois pontinhos a mais de Bauru no segundo quarto que definiu o jogo em 78 a 76 (parciais de 22×22, 21×19, 19×19, 16×16).

Deu tempo de ver que Lucas Tischer, mesmo ainda em fase final de recuperação, está com a raça de sempre — a bolinha decisiva foi dele. Murilo tem jogado no sacrifício, o que reflete em números mais discretos (diminuíram os duplos-duplos), porém ainda fundamentais. E, o melhor de tudo, Fabian Barrios voltou! O argentino superou a má fase e tem mostrado todo o seu repertório, que não é pequeno. Fechou a partida como cestinha bauruense, com 14 pontos. Larry e Ricardo (outra infiltração decisiva no final!) cumpriram bem seus papéis. Nos minutos em que estiveram em quadra, Andrezão e Mathias também contribuíram, dando opções a Guerrinha.

Com a quarta vitória seguida, o Dragão chega a 12 em 23 (52,2%) e alcança a oitava posição. Agora, pega nova sequência fora de casa (Limeira, Flamengo e Macaé). Antes, descansa, treina bastante e faz amistoso de leve com a seleção chilena. E promete voltar mais forte para a reta final.

Números
Fabian Barrios: 14 pontos, 4 rebotes
Murilo Becker: 13 pontos, 4 rebotes
Ricardo Fischer: 12 pontos, 3 rebotes, 3 assistências
Lucas Tischer: 9 pontos, 8 rebotes
Larry Taylor: 9 pontos, 5 rebotes, 7 assistências, 2 roubadas
Andrezão: 6 pontos, 7 rebotes, 3 assistências, 2 roubadas

Abre aspas
“Estamos trabalhando como estávamos antes. Perdemos alguns jogos na última bola, hoje ganhamos assim. Tem algumas situações extras que eu não sei explicar (risos). Numa condição normal como a de agora, certamente teríamos três vitórias a mais, o que nos colocaria no G-4”, disse Guerrinha, que comentou sobre a folga e a preparação dos próximos dias. “Essas duas semanas vamos usar para treinar como não fizemos até agora. Será uma ‘minipré-temporada’ dentro do NBB. Felizmente, pelo lado do marketing temos Murilo, Ricardo, Fischer e Gui no Jogo das Estrelas. O Murilo está sentindo, precisa avaliar. Todos vão ficar treinando, fazer trabalho de defesa, melhorar rotação, parte física. Contra o Chile, vamos segurar o Larry, se o Murilo ficar, não joga. Vamos ver os meninos jogando. Para nós será um treino”, finalizou o treinador.

“Estou muito feliz de voltar. A equipe evoluiu muito desde que saí. Agora estou tendo que correr em dobro para alcançar os meninos. O Guerra pegou pesado e o time respondeu, conquistando vitórias importantes. Temos condições de chegar na final, continuar acreditando que dá pra ser campeão. As vitórias fora de casa levantaram o moral da equipe”, comentou o pivô Lucas Tischer.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *