CANHOTA 10

Ala Weliton vai reforçar o Itabom/Bauru no NBB 4

Jogador do Regatas de Campinas se destacou na Liga de Desenvolvimento Olímpico

Logo após a eliminação na semifinal do Campeonato Paulista, o técnico Guerrinha anunciou algumas mudanças na preparação para o início do Novo Basquete Brasil. O pivô Mosso foi liberado e o ala norte-americano Nathan Thomas confirmado até o fim do ano (se agradar, revona). Além disso, o ala Gaúcho pode deixar o time se receber uma proposta salarial melhor de outro clube.

Outra novidade, revelada pelo treinador com exclusividade ao Canhota 10, é a chegada do ala Weliton Bianchi (21 anos, 1,96m). O jogador, do Regatas de Campinas, compôs o elenco do Itabom/Bauru que venceu o grupo B da Liga de Desenvolvimento Olímpico (LDO) na última semana. É o primeiro fruto da parceria Bauru/Campinas.

“Conversamos com o Marcelo [Bandiera, treinador do Regatas] e vamos aproveitar o Weliton nesse NBB4. Outro jogador que gostamos foi o Bruno [Mazoni], mas temos dois  jogadores na posição dele [armador], o Thyago e o Luquinha”, contou Guerrinha.

Weliton se destacou na LDO como principal ladrão de bolas de toda a fase de classificação – foram cinco bolas recuperadas por partida. Anotou em média 10,9 pontos, 4,9 rebotes e 2,43 assitências. No Paulista Série A-2, pelo Regatas, teve média de 13 pontos.

A chegada do jogador e a formalização do acordo é questão de tempo. “Com a nossa saída do Paulista, vamos iniciar os entendimentos nesses próximos dias, respeitando os compromissos deles nessa temporada”, afirmou o treinador.

Quanto a esperar, Guerrinha pode ficar tranquilo. O Regatas de Campinas está fora da Série A-2 do Paulista. O clube foi suspenso por dois anos de competições da federação. O clube, em jogo do dia 26/10 contra o Palmeiras, forçou a quinta falta de todos os seus atletas para abreviar a partida – contavam com apenas cinco jogadores exatamente por ter grande parte do elenco disputando a LDO por Bauru.

Atualizado (2/11): saiu hoje no Jornal da Cidade que o acerto não está concretizado, conforme escrevi nas linhas acima (“a formalização do acordo é uma questão de tempo”). A única coisa que fiz foi reproduzir o que Guerrinha declarou a mim. Ao jornal, ele só foi mais específico sobre a questão que sempre pega no Bauru Basket: aporte financeiro. Mas, repito: é uma questão de tempo. Por isso, a afirmação do título deste post segue inalterada.

Aproveitando: a proposta do Canhota 10 é trazer um olhar diferente, complementar o trabalho dos colegas de outros veículos, ser mais uma opção. Não tem essa pilha por furo de reportagem. O segredo está em sacar a pergunta que ninguém fez. Estava óbvio que essa parceria com Campinas renderia frutos. Menos para quem espera release chegar.