Categorias
Esportes

Ronaldinho: “Nenhum brasileiro foi melhor do que eu na Europa”

Frase pode ter sido distorcida. De qualquer forma, você concorda?

Em virtude do encontro entre Milan e Auxerre pela Champions League, o jornal francês L’Equipe entrevistou Ronaldinho Gaúcho, que estreou no futebol europeu, jogando pelo Paris Saint-Germain exatamente contra o Auxerre.

Entre outras afirmações – que Leonardo o resgatou no Milan e que a cobrança é muito grande pelo alto nível em que atuou no passado, que garante ter voltado agora – o camisa 80 rossonero, ao comentar sua ausência na Copa do Mundo, saiu-se com essa: “Nenhum outro brasileiro foi melhor do que eu na Europa. Merecia ser chamado”. Aqui no Brasil, a interpretação carrega na tinta da polêmica, como se a frase falasse de todos os tempos. Somente o próprio Ronaldinho pode decifrá-la. Eu acho que ele quis dizer naquele momento, no semestre passado – quando teve lampejos, não foi regular, mas realmente ninguém da Seleção estava arrebentando.

O dentuço pode mesmo se colocar entre os melhores brasucas na Europa em todos os tempos, mas divide essa honra com Evaristo de Macedo, Julinho Botelho, Romário, Ronaldo e Roberto Carlos, entre outros.

Seus lances geniais pelo Barcelona entre 2004 e 2006 eram de emocionar. O ápice ocorreu no Santiago Bernabéu, quando a torcida do Real Madrid o aplaudiu de pé, após dois golaços na casa do rival.

Sou fã de Ronaldinho e irei torcer por ele até que se aposente. Talvez por isso eu me conforme com os raros momentos de magia que nos proporciona hoje.

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *