Categorias
Bauru Basket

Bauru Basket, campeão brasileiro sub-22!

Quando Guerrinha comentou sobre a chegada de Ricardo Fischer ao Bauru Basket, disse que com ele, Gui, Andrezão e Luquinha, poderiam jogar apenas os quatro que seriam campeões. Claro que ele estava brincando, mas foi quase isso. Só faltou o camisa 10 na reta final. Contundido, Luquinha ganhou dedicatória dos amigos via Skype assim que os meninos concretizaram a vitória sobre Franca, por 73 a 64, no ginásio Nilson Nelson, em Brasília — tornando-se campeões da Liga de Desenvolvimento do Basquete (LDB).

Vale destacar, além do quarteto fantástico, a briga de Fernandão no garrafão (apesar de tímida pontuação), a versatilidade de Kesley e a grande surpresa, a carta na manga, o ala Rafael (o filho de Maury), que ainda vai dar o que falar. E o menino Cadu, apesar de muito jovem (sub-17), já mostrou personalidade e não afinou.

Parabéns ao técnico Hudson Previdelo, de fala mansa e precisa no comando de seus pupilos. E ao Guerrinha, em bom papel coadjuvante, mostrando o respeito pelo trabalho de seu auxiliar e braço direito no time principal.

Esse título coroa o investimento do Bauru Basket nas categorias de base. E por intermédio da Paschoalotto, que além de patrocinadora máster, cedeu imóvel que é o alojamento da molecada. Este ano haverá outra edição da LDB e os garotos também vão disputar o Paulista sub-19. O melhor de tudo é que isso vai refletir no time principal. Já reflete, com Gui e Ricardo Fischer, que são realidade, mas há outros tantos frutos no jeito para amadurecerem.

E que final de semana do Gui! Campeão de enterradas, de arremesso campeão e condutor desse time vencedor. Não em voo solo, pois Andrezão destruiu no garrafão e Ricardo Fischer foi veterano no meio da garotada. Mas, certamente, Gui foi o cara!

Parabéns, Bauru! Fogo neles!

(Fotos de João Pires/LNB)

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *