Categorias
ABDA

ABDA conquista Brasileiro sub-15 (masculino e feminino!) de polo aquático

Jovens atletas da ABDA conquistaram título brasileiro de forma invicta, confirmando o grande momento do polo aquático de Bauru

Entre os dias 17 e 20 de setembro, no Rio de Janeiro, as equipes sub-15 (masculino e feminino) da Associação Bauruense de Desportos Aquáticos (ABDA) disputaram o Campeonato Brasileiro da modalidade, categoria juvenil. Com campanhas invictas, ambas trouxeram o título nacional para a Sem Limites!

abdaVale destacar sempre que a ABDA toca um encorpado projeto de inclusão social na cidade e, além de gerar frutos à cidadania, vem garimpando medalhas. A instituição ainda atua forte no atletismo, igualmente com resultados expressivos em competições de base.

Feminino
As meninas somaram seis vitórias, com 90 gols marcados e apenas 24 sofridos. Leticia Belorio foi a artilheira da competição, com 24 gols, enquanto a goleira Isabela Souza foi a menos vazada. Na decisão, vitória apertada e valorosa sobre o Paineiras, por 12 a 9.

“Apesar desses destaques individuais, a equipe prezou pela homogeneidade, onde todas as atletas conseguiram desenvolver seu bom potencial, o que foi um diferencial em relação às demais equipes do torneio”, destacou o treinador Emerson Martins, via assessoria.

Masculino
Os garotos também acumularam seis vitórias (incluindo inapeláveis goleadas de 22 a 2 sobre Flamengo e Botafogo), numa campanha de 85 gols a favor e 18 sofridos — o goleiro Luan Barbieri, de longe, o menos vazado do torneio. Na linha, os destaques foram Pedro Zwicker, Ítalo Vizacre e Thiago Ferreira, sobretudo na acirrada final contra o Sesi, vencida por 8 a 6.

“Fizemos um ótimo campeonato, fomos campeões invictos e, o mais importante, conseguimos nos manter no topo até o momento. Somos Bicampeões brasileiros”, comemorou o técnico Vinicius Marques.

abda-masculino
Meninos da ABDA fizeram a festa no Rio. Fotos: Divulgação ABDA

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *