Categorias
Bauru Basket

NBB 8, final: carta ao Bauru Basket

Carta aberta do CANHOTA 10 aos guerreiros do Paschoalotto Bauru antes da decisão do NBB 8, contra o Flamengo

retranca-final-nbb-8Chegou a hora, moçada. A tão falada obsessão a poucos quiques. Fiquei a semana inteira ensaiando um texto diferente, que de alguma forma contribuísse com este momento. Como não leio autoajuda, não quero ser pretensioso de bancar o motivador. Considerem os recados abaixo como uma tentativa de falar pelos torcedores, um afago de quem já está orgulhoso de vocês, seja qual for o resultado da peleja.

PAULINHO,
que bronca, Magic! Você chegou com a pressão de quem ocuparia a lacuna do insubstituível Larry Taylor. Todo mundo preocupado com seu joelho, e pelo joelho do Ricardo a responsa ficou ainda maior. Você encarou, melhorou seu escaute e ajudou o Dragão a chegar até aqui. Já tem uma baita história pra contar e pode se orgulhar de ter transformado vaias em aplausos.

RICARDO,
o melhor armador do campeonato, mesmo com trajetória abreviada. Agora é o “melhor jogador-assistente-técnico”, humildemente aplaudindo os amigos e guardando pra si a frustração de ficar de fora. Virão outras finais, outras Olimpíadas. Até aqui, você deixou sua marca, sua liderança e seu talento. Valeu, Ligeiro.

LÉO,
o Léo II, Eltink, menino que já pisou no solo sagrado da NBA. Sobrevivente. Muito amigo seu passou pelo alojamento da base e já está longe. Você permaneceu, está no meio das feras, aprendendo. Aproveite, moleque.

STEFANO,
ainda não vi você jogar na base. Falam maravilhas, que é diferenciado. Deu pra perceber nos minutinhos que você atuou entre os adultos. Você é atrevido, Boludinho, não tem medo de cara feia. Vida longa defendendo o Dragão.

ALEX,
quando você chegou, avisou que atuaria em alto nível por mais quatro anos. Já foram dois, sempre na ponta dos cascos. Que vitalidade, Brabo! Você sabe que a sequência de títulos do Paschoalotto Bauru é consequência da sua liderança, da sua fome de vitórias. Sobretudo pelo exemplo de quem trabalha duro. Quem vai miguelar, se o Capitão América não para de correr?

JEFFERSON,
você está monstruoso nesta decisão! Quando voltou da cirurgia no tornozelo, pintou aquela dúvida, a gente pensando o que vai ser do Jé, arrastando-se em quadra. Com dedicação, você voltou a mandar no garrafão e essa mão certeira, Definidor, pode dar o título ao Dragão. De qualquer forma, essa recuperação já é uma ótima história pra contar para o filhote que vem por aí.

WESLEY,
joia bauruense. Acho que lancei muita expectativa sobre você, queria que jogasse 40 minutos e atropelasse quem cruzasse seu caminho no garrafão. Tudo isso porque seu talento é imenso, o futuro é promissor demais. Mas tudo a seu tempo. E fica a dica: ouça o Josuel e serás imbatível embaixo da cesta.

GUI SANTOS,
você deixou seu recado no Final Four da Liga das Américas. Numa fogueira… E ganhou um espaço bacana, ajudando na rotação com preciosos 8min em quadra. Percebe-se o carinho que os veteranos têm por você, absorva cada segundo desse aprendizado, para estar pronto quando o Ricardo for pra Espanha.

MURILO,
Murilaço, pai de todos. Que da hora se fizer história, o único nas conquistas de 2002 e 2016! Ainda mais depois do perrengue dos últimos anos, a luta do Biel, a sua retina… Certamente ao fim da temporada você vai refletir se segue nesta luta dentro da quadra. Seja qual for sua escolha, será apoiada por todos. E nunca se esqueça: você é um MVP e caras desse nível se reerguem a qualquer momento.

LÉO MEINDL,
Léo Mooooooonstro! Depois daquela cravada na cabeça do Marquinhos, então… Emocionou seu pai mais do que devia, que deu um baita susto em todos. Que bom que está bem, se cuida, seo Paulão! Foi uma temporada de reconquistar espaço, de protagonista francano a coadjuvante bauruense. Mas o talento está todo aí, represado a ponto de explodir a cada infiltração imparável. Não pare, portanto. Fogo neles!

HETTSHEIMEIR,
você chegou aqui com um português sofrível, espanhólico, uma timidez pra entrevista que dá lugar a um falastrão quando o microfone desliga. Pescador ruim de mentir, desde os tempos do “não sei de nada” na Espanha, quando te mandava mensagens  sobre o interesse de Bauru… rs Canela, o garrafão do NBB 8 é seu, MVP do campeonato. Sin duda.

DAY,
achei um barato o anel preso no cadarço e imagino que a barba deve ser uma aposta — simbologias ajudam a contar histórias e seus dois anos aqui são um belo conto, de escalada. Cada dia melhor, mais Especialista, agora com o adendo de um lance eternizado (por onde anda Ronald Ramon?). Eu torço pra você ficar por um pouco de egoísmo — minha filha adora a Lainey —, mas também pelo seu merecimento. Roberdei, você é craque, a torcida sonhou anos vê-lo vestido de Dragão e se belisca a cada triplaço. #ficaDay

LABBATE,
o Super-Homem, o Labbatão da massa. É curioso como tem um pouco de humor na admiração da torcida, pelo seu estilão esforçado, mas sobretudo tem muito carinho. A sua humildade e entrega em quadra conquistaram a galera. E vai ser um prazer ver o seu novo dente estampar um sorriso de campeão.

DEMÉTRIUS,
talvez a sua missão tenha sido a mais ingrata. Saía o cara que praticamente personificava o projeto. Muita gente chiou, compreensível, mas você não tinha nada com isso. Chegou, ganhou a confiança de todo mundo e está aí, na decisão, com o vestiário nas mãos. Assim, justificou a aposta e tem um belo caminho pra trilhar por aqui. Se eu não disse isso antes, permita-me: seja bem-vindo. Bauru é sua casa.

Fica ainda um abraço para uma turma grande que faz esse time acontecer. Vitinho, o presida Sandro, o eterno presida Joaquim, Rodrigo Paschoalotto, Eric, Hudson, Germano, Bruninho, Rogerinho, Vini, Josuel, Biro, Cassião, Xará Mastrangelli, Edvaldo, Chico, seo Hiroshi, demais patrocinadores, Gil Barros (show!), Marcelão, Seo Zé, Pescoço, Alex, Caio, Henrique, Nayara, Fran e mais um monte de gente que certamente devo ter esquecido. Que NBB! Venha o que vier, foi divertido e é isso que importa.

Um abraço,

Fernando BH

Por Fernando Beagá

Mineiro de Ituiutaba, bauruense de coração. Formado em Jornalismo e mestrando em Comunicação Midiática pela Unesp, atuou por 16 anos na Editora Alto Astral, onde foi editor-chefe e responsável pela implantação e edição das revistas esportivas. É produtor de conteúdo freelancer pelo coletivo Estúdio Teca. Resenhou 49 partidas da Copa do Mundo de 2018 para Placar/Veja. Criou o CANHOTA 10 em 2010, a princípio para cobrir o esporte local (ganhador do prêmio Top Blog 2013), e agora lança olhar sobre o futebol nacional e internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *